happines is found inside your heart.

sábado, 27 de junho de 2015

Love Wins

Hoje é um dia histórico para os Estados Unidos da América. Hoje é um dia histórico não só para os Estados Unidos, mas para toda a sociedade.
Hoje é um dia em que me sinto feliz em fazer parte de uma espécie na qual eu não me orgulho muito de ser, mas hoje me sinto bem, me sinto com um passo a mais, com um avanço. Acredito que hoje eu, e muitas outras pessoas a favor dessa causa, sentiu esse passo mais largo.
Hoje a Suprema Corte dos Estado Unidos decidiu a favor do casamento de pessoas do mesmo sexo em todo o território americano.
Isso para mim é algo histórico por ser esse país, onde é influenciável e que essa influência, seja para o bem e que possam ver que alguém gostar de alguém do mesmo sexo não é uma doença, não é uma coisa ruim, é amor, é, simplesmente, amor!
Hoje eu torço para que não paremos no meio do caminho, espero que possamos prosseguir e lutar cada vez mais e com mais força. Hoje mudei minha foto com as cores do arco-íris, não só porque achei bonito, mas, também, para mostrar podemos e conseguimos e ainda mais para que o preconceito, pelo menos hoje, passe em branco.



#LoveWins

PS: Esse texto escrevi ontem, mas só consegui postar hoje.

terça-feira, 23 de junho de 2015

sósingular II

Fiquei me perguntando se eu nasci sósingular ou se eu me tornei...
Acho que eu nasci assim, sempre fui meio solitária sem tristeza, era difícil eu ser dependente de alguém, porém, sempre tive dificuldade de conversar com as pessoas no primeiro momento, depois isso passa como se nunca tivesse existido, acho que por isso que eu escolhi uma profissão onde eu não tenho TANTO contato com as pessoas, mas isso é outra história.
Adoro fazer coisas sozinha, adoro ir a um bar e ficar sozinha com os meus pensamentos e uma cerveja, hoje eu frequento um bar onde fiz amigos, então, difícil eu ficar sozinha, mas isso não me incomoda, gosto deles e também gosto de sair com meus outros amigos. Adoro ir em shows sozinha e uma vez fiz uma amiga que tenho até hoje, ou seja, tenho vantagens com isso.
Acredito que o tempo e as minhas experiências foram me mostrando muitas coisas, talvez hoje eu seja muito menos sozinha que antes em alguns aspectos, mas muitas coisas aconteceram nesses vinte-e-cinco-anos.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

sósingular


Eu, que sou doente por livros, nunca comprei um livro nas máquinas do metrô. Com minha amiga um dia, vejo um e ela me dá. Comecei a ler na mesma hora em que ele caiu rs. O nome do livro: sósingular

Sósingular é a pessoa que gosta de ser solteira e que prefere estar sozinha a estar num namoro só para estar com alguém ou dentro de um relacionamento, porem, não se opõe a se relacionar com alguém.
Pessoas sósingulares não tem uma aparência que defina o que ela é e se tivesse, são pessoas comuns e se tivesse uma aparência, isso seria muito chato. Ao ler esse livro, fui me encontrando com muita coisa falada, eu encontrei a melhor definição sobre o que eu sou, sobre o que eu sinto (mesmo odiando a ideia de rótulos). Ser assim, não quer dizer que sou uma pessoa fria e sem sentimentos, muito pelo contrário, tenho sentimentos até demais. Eu quero ter alguém, mas isso não é o algo mais importante para a minha vida, tenho outras coisas com o que me preocupar.
Eu nunca tive um relacionamento que durasse mais que dois anos, esse que durou dois anos, foi o primeiro e os outros foram só diminuindo o tempo. Mas isso também não quer dizer nada. 
Estou solteira a quase dois anos pela segunda vez, não estou dizendo que nesses quase dois anos eu não tenha me apaixonado ou me encantado com alguém, muito pelo contrário, me apaixonei e a pessoa não foi tão legal comigo, e, chegou aquele momento em que eu queria estar sozinha (ainda quero estar sozinha) e não faço questão de conhecer ninguém, eu tive e ainda tenho os meus motivos pra isso, e ainda assim, muitas pessoas não entendiam essa minha vontade de não ter e não querer ninguém, eu não me sentia bem comigo para querer isso, e as outras pessoas me vinham com a frase mais cliché da vida: você precisa de apaixonar de novo! Não, eu não precisava e ainda não preciso me apaixonar de novo, não quero, estou bem, estou feliz assim como eu estou. Não entendo essa dificuldade das pessoas aceitarem que outras podem estar solteiras e felizes, que pra ser feliz tem que ter alguém. A paixão, a vontade de querer estar com alguém, não acho que deve ser procurada, acredito que essas coisas acontecem naturalmente e é como me sinto nesse momento.
Hoje, (diferente de alguns meses atrás) eu estou um pouco mais disposta a conhecer alguém (e conheci pessoas interessantes), mas não são para mim, porem, sei que não estou disposta a um relacionamento, não sei se estou disposta a me tornar interessante para alguém. Não quero e não pretendo fazer uma apologia a solitude e a solterice, mas a MINHA solitude me faz bem.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Será que eles (as) falam?

Há alguns dias atrás, ao conversar com uma amiga e contarmos sobre os nossos casos (passados) amorosos, me fiz uma pergunta: Será que as pessoas com quem nos relacionamos falam de nós como nós falamos delas, ou será que existe algum comentário: Na época em que eu estava com a Josefina, fazíamos isso, isso e aquilo... 
Entrei nessa questão e pensei em cada um deles para imaginar o que poderiam falar, acredito que tenha um que fala mal de mim, outro que lembra com carinho (esse eu também lembro com muito carinho), uma que deve falar e dar risada, outra que acho que não fala, que nem lembra e um que eu nem lembro, nem sei mais quem é. Fora aqueles casinhos que não deram certo e você pensa: Uma pena não ter dado certo; ou: Ainda bem que não deu certo.
Isso tudo chega a ser um pouco engraçado porque, a partir do momento que "entramos" - de alguma forma - na vida de alguém, por mais que não dure mais que uma noite, uma tarde, uma manhã, já existe a possibilidade de lembrar, bem ou mal, com mágoa ou não.
Algumas pessoas simplesmente esquecem, mas acho que todo mundo, uma única vez que seja, comenta sobre alguém que tenha feito parte da vida desse outro ser. Claro que algumas pessoas, poderíamos simplesmente passar uma borracha e apagar da mente e isso por vários motivos que não convém falar agora.