happines is found inside your heart.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Crise dos 25

Acabei de ler um texto que fala sobre Crise dos vinte e poucos anos. Me identifique um tanto porque vou fazer vinte-e-cinco esse ano e isso me fez lembrar de um texto que escrevi nesse blog mesmo da crise que eu tive quando ia completar 20, o meu medo de sair do teen, o fato de pensar que agora eu seria realmente adulta. Ou seja, depois de cinco anos, parece que entrei em uma nova crise e me faço todas as perguntas que eu tenho a resposta, mas não entendo bem essa questão do tempo que voa, as vezes:

* Cheguei no 1/4 de vida;
* Eu já cheguei aos vinte-e-cinco anos;
* Faz 10 anos que eu fiz quinze anos!!! (fazdezanosqueeutranso :O);
* Meu primo mais novo já tem dezoito anos e o meu primo mais velho, trinta-e-cinco (se eu estiver certa nas contas);
* Tenho tias que já são avós e uma das minhas avós já é bisavó há um bom tempo.

Se eu não estou errada, dos meus vinte aos vinte-e-cinco, eu quis casar com três pessoas diferentes, dos vinte aos vinte-e-cinco anos, eu entrei em duas faculdades completamente opostas e não conclui nenhuma, dos vinte aos vinte-e-cinco anos eu trabalhei em quatro empresas diferentes e fiquei desempregada poucos meses, mas não vou me lembrar quais e quando, mas foram experiências que me mostraram o que eu queria realmente para o meu futuro.

Dos vinte aos vinte-e-cinco anos eu tive muitas decepções, eu chorei litros e litros, eu sorri muito, eu fui feliz, eu amei, conheci pessoas maravilhosas e depois de um tempo eu descobri que não eram tão maravilhosas. Acredito que eu tenha decepcionado algumas pessoas, e também não fui uma pessoa tão maravilhosa para algumas pessoas. Conheci pessoas que eu não queria ter me distanciado, mas nos distanciamos e não sabemos os motivos. Fiz amizade na balada, no ponto de ônibus, no mercado, na fila do pão, mas nenhuma dessas amizades existe mais.

Nos meus vinte-e-quatro anos, eu consegui muitas coisas, hoje sou mais independente, tenho minha casa, minhas responsabilidades, minha vida e só minha. Claro que alguns planos ainda não se realizaram e algumas outras coisas não mudaram tanto...

Não sei ao certo porque expor minha "crise dos 25", talvez porque ainda não fiz vinte-e-cinco anos, falta um pouco mais de dois meses, será que o meu inferno astral chegou mais cedo?

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

I'm fine!


Eu erro, eu tenho defeitos, muitas vezes percebo muito mais os defeitos do que as qualidades, as vezes as qualidades se tornam defeitos, as vezes percebo que defeitos não são tão defeitos assim. Cada dia da minha vida é um aprendizado, pode ser para o bem, pode não ser, pode ser que eu não entenda como um aprendizado e deixe passar, mas talvez um dia me lembre de todas as coisas que aconteceram e aí sim, posso entender como aprendizado e levar algo para a vida adiante, como não descarto a ideia de nunca aprender por não ter sido nada relevante.

Sou um ser humano e por isso eu erro, sou um ser humano formado de erros, conheço bem os meus defeitos e sei até onde vai o meu limite, sei exatamente onde eu posso pisar e acertar o passo, sei de muita coisa e ao mesmo tempo não sei nada. Sei que quando eu erro eu vou atrás, percebo que mesmo quando não estou errada eu peço desculpa por algo que eu não fiz apenas para manter a paz. Acho que isso é uma bela qualidade que eu tenho, mas também é o meu maior defeito. Eu não acho que sou um monstro e sei que já falei isso muitas vezes, eu sou uma pessoa com uma personalidade que é difícil e todas as pessoas tem uma personalidade diferente, outras combinam, outras não e aí existem os conflitos. Sei muito bem que tenho que abrir mão de muita coisa e tenho que aprender a lidar com muitas outras coisas e outras pessoas, mas também é necessário que as pessoas que eu tento lidar, saibam que também é necessário para elas que aprendam a conviver comigo também, é como todo relacionamento, os dois tem que estar disposto a mudar, a melhorar, a caminhar juntos. Se isso não existe, o relacionamento pode acabar na mesma hora porque não vai mudar nada e a única coisa que vai acontecer será manter mágoa e raiva um do outro e raiva e mágoa, são coisas que eu não guardo... tenho medo de câncer!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Por cima do seu cadáver?


Hoje vi várias mães nos meus feeds de notícia do Facebook postando fotos e desafiando outras mães a também postarem fotos de seus bebês dizendo que são a favor a vida - não entenda que eu sou contra a vida, tem muita diferença entre ser a favor da vida e o aborto - tentando impedir a descriminalização do aborto. Não acho feio, muito pelo contrário, admiro muito as pessoas que tem seus filhos e são felizes com isso, porém, o meu ponto de vista é outro, há anos e anos as mulheres querem ter o direito sobre si mesma, sem governo, política, religião ou pura falta de informação.

Sou a favor da descriminalização do aborto pelo simples fato de que milhares de mulheres morrem por terem que fazer abortos em clínicas clandestinas sem nenhum suporte, sem nenhum auxilio, sem absolutamente nada. Sou a favor da descriminalização do aborto em TODOS os casos. Sou a favor da descriminalização do aborto porque eu acredito e quero que todas as mulheres tem que ter direito e responsabilidade sobre o seu corpo, como eu disse antes. Sou contra essas campanhas de Facebook porque se o aborto for legal no país, não quer dizer que você que está linda e grávida, seja obrigada a abortar, se você quiser ter seu filho e a gestação, ninguém irá te impedir, se você é contra o aborto é simples: Não faça!

E o difícil é que o cerco tá cada vez mais fechado, ministério, câmara, senado e tudo o mais, com um bando de conservadores hipócritas que se escondem atrás do discurso de "protetores da família" pra esconder seus crimes, abusos e afins.

Continuo com o meu discurso de que a mulher tem que ter o direito de fazer o que ela quiser com o seu corpo!

Essa imagem abaixo quer dizer muito sobre o que passamos, esse mundo é machista, temos que provar que podemos mais e mais!