happines is found inside your heart.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

11

"Se te faz bem, escreva."

Escrevi, não postei, acho que não faz muito sentido eu ficar postando tudo, os outros textos vão ficar guardados na gaveta, como você vai mudar de posição no meu coração. Sempre vou lembrar com carinho. Agradeço por ter aparecido na minha vida e me dado o prazer de ter momentos maravilhosos, únicos, risadas, nossa sintonia... Obrigada de verdade. Estarei aqui.

Te desejo amor e luz.
Beijo, N.

18/12/2015

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

10

Essa noite eu sonhei com você.
Acordei mais cedo que o meu despertador.
Bateu aquela saudade, aquela que aperta e que dói.
Tudo bem, eu estou tentando me acostumar a não ter notícias... Tudo bem!
Tomei um banho. Comi. Peguei um livro qualquer e li o seguinte poema:

O AMOR IMPOSSÍVEL É ASSIM

eu queria ir aí lhe dar um abraço
não posso:
sinta-se abraçada

eu queria ir aí lhe dar um beijo
não posso:
sinta-se beijada

eu queria ir aí dormir com você
não posso:
sinta meu calor ao seu lado

eu queria ir aí amá-la
não posso:
sinta-se amada

não posso
não posso
não posso

sinta-se desejada
sinta-se nua
sinta-se minha

sinta-se bem

Nicolas Behr

Te desejo amor e luz, sinta-se bem!

14/12/2015

9

Hoje eu assisti Comer Rezar Amar.
Eu já havia lido o livro e nunca me interessei pelo filme, o livro me fez pensar em tantas coisas na época, que eu fiquei meio perturbada. Domingo, acordei e assisti o filme pela manhã. Depois que assisti e depois de ter chorado com várias coisas e ter lembrado de muita coisa, comecei a refletir com algumas frases faladas. Resumindo muito o filme, ela viaja para tentar se encontrar com ela mesma, no interior e entender o que acontece na vida dela, sobre se perdoar por não amar mais o marido e nem o ex-namorado, por achar que fez mal para algumas pessoas. Estou na mesma situação de tentar entender muitas relações internas comigo mesma. Estou tentando me perdoar por amar demais; esquecer o que foi bom e o que foi ruim; parar de sofrer; 
Ontem discutimos por coisas completamente idiotas e que eu causei, porque a culpa é minha e sempre foi, sempre que acontece algo de errado, a culpa é minha. A culpa é minha por não ter equilíbrio e controle por algo que eu gostaria de ter e não tenho. Chorei pra caralho, tenho chorado demais por ter conseguido desperdiçar qualquer chance que eu achei que pudesse ter para te (re)conquistar de alguma forma. E a vontade de falar com você aumenta todos os dias, mas eu sinto um pouco de vergonha pelas coisas que eu faço, quem sabe um dia eu consiga falar com você de novo?!
Eu sei, e espero, que uma hora toda essa dor passe, não peço para que eu te odeie e muito menos te desejo mal. Uma frase que marcou muito no filme foi: Toda vez que você pensar em alguém que não pode ter, deseje amor e luz e depois esqueça. 
Tenho tentado fazer isso com você, tenho te desejado amor e luz diariamente porque não paro de pensar em você. Estou tentando ocupar a minha mente com outras coisas, mas, isso até se parece com a música da Vanessa da Mata, quanto mais eu tento te esquecer, mais eu lembro.
Eu sinto amor demais, mas eu realmente não consigo mais lidar com tudo isso, com todo esse amor que eu tenho no peito, eu não tenho equilíbrio, preciso buscar o meu equilíbrio, preciso ser feliz comigo mesma antes de qualquer coisa. Amo você, e vou partir. Te desejo amor e luz!

13/12/2015

sábado, 12 de dezembro de 2015

8

Hoje eu decidi te esquecer, decidi apagar tudo o que tem de você em mim, as coisas boas e as coisas que me machucaram, principalmente.
Eu não aguento mais sentir o que eu sinto, me dói gostar de você e saber que não é reciproco, me dói ser ignorada, me dói implorar a sua atenção.
Essa semana parei para ler meu blog e ler as outras coisas que escrevi pra você, não sei porque me sujeitei a isso. Não sei porque guardei tanto amor pra você. Quantas pessoas eu deixei passar esperando que você olhasse para mim? Perdi as contas! E esperei, estou aqui ainda, e eu sei que qualquer coisa que você me disser eu vou acreditar e estarei aqui ainda, não sei mais por quanto tempo eu ainda estarei aqui, dessa vez eu preciso tirar todo esse sentimento de dentro de mim, nem que eu tenha que abrir e tirar na força.
Eu gosto demais de você, mas não to conseguindo mais, não to conseguindo lidar, não sei mais me controlar, quero te cobrar de coisas que eu não vou ter, sei que estou errada, sou ridícula, e sim, o pouco pra mim é muito e fiquei mesmo chateada pelo pouco não ter acontecido, como se eu fosse invisível. Se formos sinceros um com o outro, as coisas vão ser bem mais fáceis e quando eu digo fácil, eu digo para mim, porque pra você já é.



Então, me deixe ir!

12/12/2015

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

7

Ontem eu mandei uma música e desde então, fui ignorada. Engraçado que essa música foi enviada pra mim quando nos conhecemos. 
Poucas palavras, nada demais, sem perguntas, apenas respostas do que eu perguntava.
Hoje eu mandei uma foto de um poema, foda-se que eu mandei qualquer coisa que seja, você não tem a obrigação a falar comigo, mas por que as coisas tem que ser dessa forma?


"É só me dizer o que devo fazer pra curar essa dor, deixo tudo pra trás. Se você me chamar sabe que vou estar perto de você. Longe nunca mais."
(Porque é assim, é exatamente assim, eu sou assim quando o assunto é você!)

Entendo que as coisas podem estar corridas, fuso horário, distrações, sono, estudos... Eu realmente nem sei o que dizer, passei o dia com um qualquer coisa no peito, não quero chamar de aperto, angústia, nada! Só não entendo os motivos, não entendo porque isso, parecia estar tudo bem, tanto do lado de cá, quanto do seu lado.
Eu tenho fumado demais, o cigarro tem sido meu companheiro de todos minutos, agora mesmo eu parei de escrever pra fumar um cigarro, quero chorar, mas não posso, não devo e ao mesmo tempo eu não quero isso.
Mas porque me ignorar? Eu sei que não posso te ter aqui, e o aqui, não é aqui onde estou é aqui dentro de mim.
Acho que a brincadeira é outra.

11/12/2015

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

6

L.D. / Valetta

Você me mandou uma foto essa semana, de um lugar lindo! Perguntei se eu poderia postar aqui quando eu fosse postar alguma outra coisa que calhasse. Quis estar com você, mas essas coisas a gente não fala, mas eu to tão cara de pau que eu poderia ter falado, afinal, te peço em casamento todos os dias. Hoje eu gostaria de escrever sobre como estou sem ter você aqui, mas sinto que tenho mais você hoje do que antes, hoje que você está bem mais longe do que as poucas estações de metrô que nos separavam rs.
Ontem/hoje na madrugada pedi a chance que eu falei, pedi que você pensasse nisso até a sua volta. E falei que gostaria de ser sua, porque eu sou uma pessoa séria, já dizia você!
(bonita)
"Me leve pra Malta na próxima vez!"

10/12/2015

5

Cheguei na empresa hoje e estava/estou extremamente cansada, físico e mentalmente. Realmente eu preciso de férias e estou contando as horas pra que isso aconteça. Ontem teve uma confraternização na empresa e algo que eu chamaria de palestra com uma terapeuta. Ela falou várias coisas que eu já não estava mais prestando a atenção, afinal eu estava cansada e queria ir embora. A palestra continuou e um momento ela pediu pra mentalizarmos algo que queremos muito que aconteça em 2016, um objetivo que queremos realizar. Depois escrevemos uma carta para o futuro, contanto tudo o que aconteceu no ano de 2016 e com a frase final: e isso tudo aconteceu para o bem maior de todos os envolvidos.
Depois disso tudo falado e escrito e todos os meus objetivos no papel, parei pra pensar sobre o ano de 2015, que foi um ano bem difícil, mas eu estou aqui pra contar isso, e confesso que não foi o pior ano da minha vida, foi difícil, complicado, várias etapas e muita, muitas coisas aconteceram boas e ruins, mas ainda estou aqui.
Tenho vários objetivos para 2016, não que não fosse objetivos para 2015, mas agora vejo com outros olhos e penso de outra forma. Dessa vez vai dar certo.
De alguma forma, te trouxe de volta, ou melhor, você não tinha ido, não me arrependo de ter deixado você voltar, hoje eu vejo de outra forma, e aquela chance, dessa vez vai dar certo.

09/12/2015

4

Hoje eu passei a maior parte do dia ouvindo Perfeita Simetria. Eu sempre gostei dessa música, muito. Sempre achei as letras dele (Gessinger) animais. Hoje ela combina um pouco com o que eu sinto. Seu silêncio me agride. Não compensa entrar na dança depois que a música parou. Pega um avião e deixa de lado os compromissos marcados e perdoa o que puder ser perdoado, esquece o que não tiver perdão e vamos voltar pra aquele lugar o tempo em que nada nos dividia... Naquele tempo em que eu podia pensar que as coisas poderiam ser mais fáceis se eu não tivesse falado tudo o que eu já falei, mas não me arrependo de nenhuma palavra. Depois eu ouvi Falamansa, várias músicas e a que eu mais adoro - Confidencias. Ouvi outras que fala sobre esquecer, amor demais, saudade e etc... Lembrei de você (mais uma vez), quando a gente dançava e eu colava no seu cangote e sentia seu cheiro, ontem o seu cheiro estava em mim. Senti a sua falta mais que antes. Adoro ouvir a sua voz e quando eu recebo uma mensagem de voz, parece idiota, mas eu me sinto bem. Essas três horas de diferença e a minha loucura pra ter você comigo e ter uma chance, chance de que algo aconteça alem do que já aconteceu. Porque eu te quero demais, demais e demais.

08/12/2015

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

3

Eu não consigo dormir essa noite, eu tomei um vinho, porque vinho me dá sono, sempre. Mas nem isso está funcionando hoje, minha cabeça está longe e minhas lágrimas não param de cair, meus olhos vão estar inchados amanhã e eu já tenho a minha desculpa, minha crise alérgica de novo. Eu me cortei, não foi de propósito, eu não faço isso, mas a dor não foi nada semelhante ao que eu queria sentir, eu gosto da dor, na maioria das vezes, gosto de sentir. Eu fumei quase um maço de cigarro, minha garganta está áspera, mas eu quero fumar, me sinto leve, minha pressão cai e por isso me sinto leve. Amanhã... ou melhor, hoje. Eu não vou dormir, são quase 2h da manhã aí deve ser quase 5h.

07/12/2015 - 1h42

2

Hoje você chegou, estou com saudades, não consigo não falar, te mando um "oi" e "já sinto saudades!" e você ri, porque com isso você é previsível. 
Gosto de ter você aqui e saber de você.
São 3h de diferença daqui pra Malta. Me pego fazendo cálculos dos horários que eu posso querer falar com você, porque eu não consigo não falar com você. Quero saber como as coisas estão aí. Parece exagero, mas sinto como se o meu coração tivesse um buraco, achei que nada seria diferente, mas estou me segurando pra não chorar de novo, se eu pudesse voltar no tempo... eu sei que você vai voltar e faltam 95 dias pra isso acontecer e o que vai acontecer comigo nesse tempo?

06/12/2015

1

Faz mais de um ano. Quase dois. Eu não sei o que aconteceu. Eu brinco e falo que foi uma oferenda bem boa, mas com qual sentido se foi feita só pra mim? Eu segui minha vida, voltei, chorei, quis de volta, tentei de tudo pra você me amar e eu não consegui. Não sei o motivo, ou nunca quis enxerga-lo, até enxerguei e não liguei, mas a minha vida ta passando. Eu não deixo ninguém entrar. Eu sei que isso vai ter que parar, uma hora tem que parar. Me dói as vezes. Me dói ter e não ter você ao mesmo tempo. Dói não saber da sua vida como eu gostaria, dói saber de poucos detalhes e contar todos os meus. Esse é o primeiro dia bem longe de você, sem ouvir a sua voz ou sem você me tocando, dizendo que está feliz em me ver... E só. Eu não vou mais chorar, chorei demais porque te quis demais. Tenho coisas guardadas de uma forma que eu não gostaria, não são mágoas, são vontades que nunca existiu e acredito que não irá existir. A não ser que você resolva conhecer todo o amor que eu guardei pra você e nunca pude entregar.

05/12/2015

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Você, o Jeep e eu

Estou pensando no Jeep que vamos comprar, aquele Jeep verde exercito. To pensando nos caminhos que vamos fazer e no som do carro eu quero ouvir Creedence. Estou imaginando eu com um short rasgado com as pernas na janela e um óculos escuros, cantando e te olhando - porque eu ainda adoro olhar pra você -, estou imaginando aquela cena clássica de filmes com carros na estrada e depois a câmera vai se distanciando. Estou imaginando aquele mochilão pela America Latina, aquela viagem para Machu Picchu antes que ela suma. Estou imaginando tudo o que não pudemos fazer, mas que, um dia, vamos fazer juntos... juntos na minha mente.

terça-feira, 21 de julho de 2015

Confissão

- Vocês dizem que eu tenho que contar os meus pecados. Porem, se o que eu fiz e vocês julgam ser pecado e eu não acho que seja, como funciona, tenho que falar?
- Não, você tem que pedir a Deus pra tocar no seu coração e fazer você sentir que pecou.
- Hum.
- Não vai me contar, né? (risos)
- Não.

Lembrei da minha última confissão - melhor chamar de diálogo - com um padre (amado e amigo) há uns 10 anos atrás.

quarta-feira, 15 de julho de 2015

sósingular IV

Hoje me lembro bem da época em que eu era apenas solteira, não me lembro de ter sido sozinha, porem nesse momento, estou solteira E sozinha há quase cinco meses. Se sinto falta de ter alguém? Sinto em partes, mas essa falta passa a maioria das vezes e me sinto bem por poder (ou a palavra certa seria conseguir?) fazer coisas minhas sem ter ninguém por perto, coisas minhas e muito minhas, tão minhas que eu não consigo descrever aqui. Como falei outras vezes, tenho tido preguiça de me tornar interessante para alguém e realmente tenho preguiça, não encontro outra palavra, também esse é um dos motivos pelo qual estou SÓ.
Já tive a minha fase vadia (porque eu gosto dessa palavra) e acho que toda mulher deveria ter, sempre que falo isso lembro uma frase clássica de uma amiga minha de quando falavam pra ela que ela transava com qualquer um, a resposta dela era: Não, eu não "dou" pra qualquer um, eu só dou pra quem eu quero! Essa frase é muito minha também porque eu era/sou exatamente assim, eu sou dona do meu corpo, o que eu faço com ele o problema é somente meu e não acho, de forma alguma, que uma mulher que já teve muitas relações sexuais com pessoas diferentes seja... vadia e sem caráter, mas a questão dessa postagem não é essa. A questão é: escolhi ficar sem sexo e pensar apenas em mim. Acredito que quando você pensa muito em ter alguém mesmo que seja só pra sexo, você acaba esquecendo de si, sexo é muito bom e faz bem demais, mas cheguei nesse consenso de ficar sem sexo, não quer dizer que vá virar celibatária ou algo do tipo, nem quero me tornar virgem novamente, mesmo que isso fosse possível, não é essa a intenção, tem um ponto muito importante nisso também, não sinto atração em alguém ou alguém eu simplesmente que eu sinta vontade de fazer sexo. E isso tudo que eu escrevo é em relação a mim, somente a mim.
Estou na solidão a caminho da solitude. Estar sozinha (vou repetir sempre) não é algo ruim, mas me fizeram uma pergunta devido tantas postagens sobre estar só, se eu falo isso para me autoafirmar ou se realmente é bom estar sem ninguém. Cheguei à conclusão (rápida) que são as duas coisas, eu me acostumei a ter alguém e do nada eu não tinha mais e isso aconteceu durante anos, querendo ou não, é uma mudança. Com a minha autoafirmação eu me sinto bem assim. Também me fizeram a pergunta: Será que uma hora estar sozinha não vai ser chato? Eu tenho certeza disso.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

sósingular III

"Todos nós estamos na sarjeta, mas alguns de nós olham para as estrelas."
Oscar Wilde

Volto a ideia das pessoas acharem que por eu estar sozinha, estou triste e preciso de alguém e eu repito: não, não preciso de ninguém e também não estou triste com isso. Não há mal nenhum em ser solteira, não há mal nenhum QUERER estar solteira. Eu me apaixono diariamente pelas coisas que eu faço comigo mesma, pelas minhas conquistas, pelas minhas caminhadas, meus pensamentos, me apaixono pelo meu canto, meus filmes, meus livros, minha vida, meus segredos, sou apaixonada por mim mesma, não preciso de ninguém para compartilhar isso ou alguém que eu queira compartilhar. Se eu quero viver assim pra sempre? Não sei. Mas se isso acontecer? Não tem problema nenhum em morrer sozinha (quem me conhece sabe que eu falo isso sempre rs), talvez um dia eu sinta falta de ter alguém, mas nesse momento eu não sinto. Não vejo como algo negativo não ter ninguém. Jamais. Talvez eu esteja extremista demais, mas isso é assunto para outra postagem que eu farei em breve, ou seja, sim, eu sinto falta de alguém.
Eu tenho uma preguiça imensa de conhecer alguém, preguiça enorme de me tornar interessante, fazer com que as pessoas se interessem por mim. Me canso, talvez também seja um motivo pelo qual estou solteira há quase dois anos, mais uma vez rs. Se for pra ter alguém, tem que ser diferente, não quero um namoro/relacionamento como um exercício, já tive as minhas experiências e já aprendi muita coisa, não que eu não deva aprender mais, isso é complexo porque mudamos, ou não. Hoje eu levo isso comigo.

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Para mim, você morreu!

Sou uma pessoa que dá muitas chances, chega uma hora que o meu limite chega ao fim, logo em seguida, eu consigo ter um dos piores sentimentos - se é que podemos chamar de sentimento - sou indiferente e, pra mim, você morreu.
Não guardo mágoas, eu simplesmente esqueço tudo, como se nunca tivesse visto, conhecido, falado, eu elimino da minha vida. É assim que eu resolvo os meus problemas? Não, não é, afinal, eu dou muitas chances...

sábado, 27 de junho de 2015

Love Wins

Hoje é um dia histórico para os Estados Unidos da América. Hoje é um dia histórico não só para os Estados Unidos, mas para toda a sociedade.
Hoje é um dia em que me sinto feliz em fazer parte de uma espécie na qual eu não me orgulho muito de ser, mas hoje me sinto bem, me sinto com um passo a mais, com um avanço. Acredito que hoje eu, e muitas outras pessoas a favor dessa causa, sentiu esse passo mais largo.
Hoje a Suprema Corte dos Estado Unidos decidiu a favor do casamento de pessoas do mesmo sexo em todo o território americano.
Isso para mim é algo histórico por ser esse país, onde é influenciável e que essa influência, seja para o bem e que possam ver que alguém gostar de alguém do mesmo sexo não é uma doença, não é uma coisa ruim, é amor, é, simplesmente, amor!
Hoje eu torço para que não paremos no meio do caminho, espero que possamos prosseguir e lutar cada vez mais e com mais força. Hoje mudei minha foto com as cores do arco-íris, não só porque achei bonito, mas, também, para mostrar podemos e conseguimos e ainda mais para que o preconceito, pelo menos hoje, passe em branco.



#LoveWins

PS: Esse texto escrevi ontem, mas só consegui postar hoje.

terça-feira, 23 de junho de 2015

sósingular II

Fiquei me perguntando se eu nasci sósingular ou se eu me tornei...
Acho que eu nasci assim, sempre fui meio solitária sem tristeza, era difícil eu ser dependente de alguém, porém, sempre tive dificuldade de conversar com as pessoas no primeiro momento, depois isso passa como se nunca tivesse existido, acho que por isso que eu escolhi uma profissão onde eu não tenho TANTO contato com as pessoas, mas isso é outra história.
Adoro fazer coisas sozinha, adoro ir a um bar e ficar sozinha com os meus pensamentos e uma cerveja, hoje eu frequento um bar onde fiz amigos, então, difícil eu ficar sozinha, mas isso não me incomoda, gosto deles e também gosto de sair com meus outros amigos. Adoro ir em shows sozinha e uma vez fiz uma amiga que tenho até hoje, ou seja, tenho vantagens com isso.
Acredito que o tempo e as minhas experiências foram me mostrando muitas coisas, talvez hoje eu seja muito menos sozinha que antes em alguns aspectos, mas muitas coisas aconteceram nesses vinte-e-cinco-anos.

sexta-feira, 19 de junho de 2015

sósingular


Eu, que sou doente por livros, nunca comprei um livro nas máquinas do metrô. Com minha amiga um dia, vejo um e ela me dá. Comecei a ler na mesma hora em que ele caiu rs. O nome do livro: sósingular

Sósingular é a pessoa que gosta de ser solteira e que prefere estar sozinha a estar num namoro só para estar com alguém ou dentro de um relacionamento, porem, não se opõe a se relacionar com alguém.
Pessoas sósingulares não tem uma aparência que defina o que ela é e se tivesse, são pessoas comuns e se tivesse uma aparência, isso seria muito chato. Ao ler esse livro, fui me encontrando com muita coisa falada, eu encontrei a melhor definição sobre o que eu sou, sobre o que eu sinto (mesmo odiando a ideia de rótulos). Ser assim, não quer dizer que sou uma pessoa fria e sem sentimentos, muito pelo contrário, tenho sentimentos até demais. Eu quero ter alguém, mas isso não é o algo mais importante para a minha vida, tenho outras coisas com o que me preocupar.
Eu nunca tive um relacionamento que durasse mais que dois anos, esse que durou dois anos, foi o primeiro e os outros foram só diminuindo o tempo. Mas isso também não quer dizer nada. 
Estou solteira a quase dois anos pela segunda vez, não estou dizendo que nesses quase dois anos eu não tenha me apaixonado ou me encantado com alguém, muito pelo contrário, me apaixonei e a pessoa não foi tão legal comigo, e, chegou aquele momento em que eu queria estar sozinha (ainda quero estar sozinha) e não faço questão de conhecer ninguém, eu tive e ainda tenho os meus motivos pra isso, e ainda assim, muitas pessoas não entendiam essa minha vontade de não ter e não querer ninguém, eu não me sentia bem comigo para querer isso, e as outras pessoas me vinham com a frase mais cliché da vida: você precisa de apaixonar de novo! Não, eu não precisava e ainda não preciso me apaixonar de novo, não quero, estou bem, estou feliz assim como eu estou. Não entendo essa dificuldade das pessoas aceitarem que outras podem estar solteiras e felizes, que pra ser feliz tem que ter alguém. A paixão, a vontade de querer estar com alguém, não acho que deve ser procurada, acredito que essas coisas acontecem naturalmente e é como me sinto nesse momento.
Hoje, (diferente de alguns meses atrás) eu estou um pouco mais disposta a conhecer alguém (e conheci pessoas interessantes), mas não são para mim, porem, sei que não estou disposta a um relacionamento, não sei se estou disposta a me tornar interessante para alguém. Não quero e não pretendo fazer uma apologia a solitude e a solterice, mas a MINHA solitude me faz bem.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Será que eles (as) falam?

Há alguns dias atrás, ao conversar com uma amiga e contarmos sobre os nossos casos (passados) amorosos, me fiz uma pergunta: Será que as pessoas com quem nos relacionamos falam de nós como nós falamos delas, ou será que existe algum comentário: Na época em que eu estava com a Josefina, fazíamos isso, isso e aquilo... 
Entrei nessa questão e pensei em cada um deles para imaginar o que poderiam falar, acredito que tenha um que fala mal de mim, outro que lembra com carinho (esse eu também lembro com muito carinho), uma que deve falar e dar risada, outra que acho que não fala, que nem lembra e um que eu nem lembro, nem sei mais quem é. Fora aqueles casinhos que não deram certo e você pensa: Uma pena não ter dado certo; ou: Ainda bem que não deu certo.
Isso tudo chega a ser um pouco engraçado porque, a partir do momento que "entramos" - de alguma forma - na vida de alguém, por mais que não dure mais que uma noite, uma tarde, uma manhã, já existe a possibilidade de lembrar, bem ou mal, com mágoa ou não.
Algumas pessoas simplesmente esquecem, mas acho que todo mundo, uma única vez que seja, comenta sobre alguém que tenha feito parte da vida desse outro ser. Claro que algumas pessoas, poderíamos simplesmente passar uma borracha e apagar da mente e isso por vários motivos que não convém falar agora.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Sonho de Céu

Sonhei com você essa noite, parecia ter sido a noite inteira (ouvi dizer que sonhamos alguns minutos apenas), não lembro de nenhuma palavra dita, mas lembro tanto do seu sorriso, você sorria para mim e era tão sereno.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Amor genuíno. Amor romântico.



Depois de ver esse vídeo, percebi que eu não vivi um amor genuíno, nunca vivi um amor genuíno, por mais que eu dissesse que eu não vejo o amor como uma troca, e realmente nunca quis ver dessa forma, não acho que amor seja uma troca, não pode ser, pelo menos pra mim. Mas depois desse vídeo eu só constatei que por mais que eu visse as coisas de uma forma diferente, eu não vivia nada do que eu queria ou do que eu achava que era "certo", era como se eu vivesse essa troca. Não tenho sentimento de posse, nunca quis isso com ninguém porque não queria que tivessem comigo. Nunca quis ser dona de ninguém, mas queria ter alguém comigo, como companheirx, como parceirx, alguém que estivesse do meu lado, acredito que todos queiram alguém com quem possa caminhar ao lado, na mesma velocidade, da mesma form, acredito que isso seja algo que muitas pessoas esperam. Mas posse de alguém, não, nunca. Depois de algumas decepções e a última decepção, é como se eu tivesse me trancado para qualquer tipo de amor. Eu sou uma pessoa difícil de gostar de alguém. Depois desse vídeo parece que eu nunca soube lidar com isso, passou um filme na minha cabeça com todas as coisas que já fiz, já falei, já pensei em fazer, tudo isso faz parte desse amor romântico. Não estou me sentindo mal, não que eu esteja bem, porem, essas palavras mudaram algumas coisas na minha cabeça, algumas coisas na forma de pensar. Sempre queremos ser feliz e se esse alguém com quem estamos não me deixa fazer parte da felicidade delx é como se me expulsasse da vida, mas não era isso que eu queria. Fiz coisas erradas e falei coisas que eu não precisava ter falado, exatamente por ter sido egoísta e medrosa, de alguma forma e da pior forma que eu poderia ter sido. Não vou conseguir explicar ou mostrar o que eu queria, mas talvez agora as coisas possam mudar, talvez eu aprenda um novo jeito de amar, se eu conseguir isso mais uma vez.

"Porque quanto mais nos agarramos, mais temos medo de perder."

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Vai passar...

Eu sei que você não passou e eu não tenho ideia de quando irá passar. Não falo mais, não espero nada além do nada que já existe. Tenho a plena consciência de que será assim, mas eu queria que você ainda estivesse por perto, independente da forma que fosse, eu queria, mas eu também sei que eu não conseguiria mais. O que eu posso fazer pra controlar a saudade? Acredito que eu já esteja fazendo tudo, mas eu não consigo mandar nisso, tudo o que eu ouço, vejo, falo... me lembra você. Não culpo, não cobro, eu sei que esse tempo vai chegar, eu sei que uma hora você vai passar.

sexta-feira, 27 de março de 2015

Eu não estou em cima do muro!

Eu sou bissexual, odeio me rotular, geralmente falo que gosto de pessoas, mas esse rótulo existe e é o que eu sou. Acredito que a maioria das pessoas que me conhecem e que estão próximas a mim sabe da minha orientação, mas acredito que quase ninguém sabe do que foi para mim quando eu descobri que eu gostava de meninos e meninas. Confesso que foi um tanto turbulento, foi algo que eu não esperava que acontecesse isso comigo e eu não falo isso como se fosse um peso, para mim não é e sou feliz assim. Quando eu achei que eu fosse lésbica, aceitei isso numa boa, levantei bandeira e fui ser feliz, sem preconceito próprio, afinal, nunca achei que ser gay fosse algo errado.

Namorei meninas (e quem acompanha meu blog - ainda - sabe desse detalhe) e depois me apaixonei por um cara que se tornou meu namorado (hoje ex), mas até ele se tornar meu namorado foi algo difícil, eu não queria aceitar, não queria que isso acontecesse, eu era lésbica, poxa, como eu fui me apaixonar por um cara se o que eu gosto é mulher? Isso ficou perdido na minha cabeça, eu pensava: vai passar! Mas não passou, a cada dia eu gostava mais dele, ou seja, não passou e eu decidi me aceitar, claro que não foi de um dia pro outro, eu não queria contar para as minhas amigas lésbicas que estava apaixonada por um homem e muito menos falar que o sexo era muito bom (risos). Até que um dia eu falei: CHEGA! Eu sou assim e não posso e não consigo mais "esconder" um namoro hétero (olha o mundo em que vivemos, "esconder" um namoro hétero).

Eu sofri e ainda sofro preconceito com isso, pessoas já me falaram que isso não existia, que bissexuais só querem curtir, fazer menagé, ficar com o maior número de pessoas possível, que não namorariam pessoas bi porque poderiam ser traídas (os), fora os homens quando "descobrem" que você é bi que já fala: não tem nenhuma amiguinha pra ficar com nós dois? Eu, Flor, não é porque eu sou bi que eu quero estar com duas pessoas ao mesmo tempo. Menagé é bom, mas não é por isso que eu vou ter duas pessoas na minha cama sempre que eu vou transar. Não é porque eu sou bi que eu vou trair alguém com o sexo oposto. Não é porque eu sou bi que eu tenho mais chances de não ficar sozinha.

Eu tive sorte com os meus relacionamentos passados (depois que me aceite e me assumi bissexual), não tinha esse papo de que eu ficaria com alguém por eu ter a minha orientação, mas já ouvi de um ex: nunca mais você vai ficar com uma mulher depois de mim. Eu só fiz rir, afinal, não é o sexo apenas que me atrai e sim a pessoa, o contexto, tudo. Primeiramente, eu gosto da pessoa, depois eu me preocupo se é homem ou mulher! Acredito que seja difícil para as pessoas entenderem os bissexuais, é difícil compreender que gostamos de pessoas, ou gostamos de homens e mulheres, e tudo isso, estou falando de mim, não estou generalizando que todos são iguais a mim, claro que existem pessoas que só querem curtir e fazer tudo o que eu falei acima.

Eu gosto do cheiro feminino, do beijo de mulher, de seios, de bunda, de boceta, do sexo! E também gosto de barba, da barba roçando no meu pescoço, de um peito másculo, do sexo com homens. Gosto de tudo isso e gosto de ser assim, é difícil, sofremos preconceito também, também estamos entre as minorias, também estamos na classe LGBTT. Não escrevo isso como um sofrimento, mas como um desabafo, principalmente por nunca ter escrito isso no meu blog, por nunca ter falado isso publicamente a não ser com meus amigos na mesa do bar quando me perguntam o que eu gosto mais, sendo que não sei a resposta não sei porque eu gosto de pessoas e pessoas são pessoas.

Essa semana teve o dia do orgulho gay, eu tenho orgulho do que eu sou, eu sou feliz, eu não estou em cima do muro! Eu desejo força a todos aqueles que sofrem todos os dias por aceitar-se, por não esconder quem és, desejo força a todos nós que a cada dia que passa conseguimos uma ponta de algo que lutamos.

quinta-feira, 26 de março de 2015

Quanto vale?


Pensei em vários começos para escrever esse texto e só tinha a música do poeta maravilhoso na minha cabeça: "É melhor ser alegre que ser triste, alegria é a melhor coisa que existe..." E aí eu me pergunto: Até que ponto vale carregar uma tristeza? Até que ponto vale ser triste?

Não quero que essa postagem tenha um Q de alto-ajuda, odeio alto-ajuda, mas as vezes é bom falar sobre tristezas, ainda mais porque vejo muita beleza na tristeza e isso não é uma ironia.

Algumas vezes somos tristes e não por opção, não acredito que as pessoas são tristes porque querem ou porque precisam de atenção, claro que existem controvérsias, existem pessoas que são realmente tristes por que se decepcionaram, porque perderam pessoas, porque as coisas não aconteceram como esperavam e também as pessoas que fazem isso porque precisam de outras pessoas para uma bajulação ou coisa do tipo. Existem milhões de motivos para que exista a tristeza na vida de alguém, porem, entendi que a tristeza vicia, você se conforta em ser triste e com esse conforto, tudo a sua volta começa a ser cinza, começa a ser feio, todas as pessoas começam a te irritar, a felicidade das pessoas te irrita, o sorriso de alguém te irrita, mas a tristeza passa e não podemos esquecer desse detalhe tão importante. Eu adoro curtir a fossa, adoro chorar no meu travesseiro, ver filmes tristes, chorar no chuveiro, mas ser triste também cansa, como tudo em excesso não é bom, a tristeza não é boa ao exagero, mas diferente da alegria, da felicidade, ser feliz não cansa, não cansa quando você é realmente feliz e quanto mais feliz, mais feliz você quer ser e algumas pessoas tristes, quanto mais triste, mais triste querem ser e vão se afundando num mundo obscuro, vivendo sozinhas, se isolando de uma forma ou de outra. Felicidade é questão de ser, de querer. Tristeza também, mas, como falei acima, a tristeza passa, principalmente se você aceitar que ela vai passar.

Foto do meu instagram, aqui.

sexta-feira, 13 de março de 2015

O que eu vou fazer com a porra da minha vida?

Escrevi e reescrevi esse texto milhões de vezes, não consegui fazer o que as pessoas mais me elogiam na escrita, não consegui transpor todo o meu sentimento e não acho que esse será um dos meus belos textos, as vezes penso que é porque eu não sei exatamente o que é esse sentimento.

Chorei de uma forma que eu não lembrava mais que eu conseguiria. Fiquei triste de uma forma que eu jurei para mim que não aconteceria mais. Me decepcionei da pior maneira possível, acreditei no nada e amei sozinha, me senti o pior dos lixos... E agora me pergunto: O que eu vou fazer da porra da minha vida? Eu sei que não preciso de ninguém para ficar bem ou para ser feliz, não foi a primeira vez, mas posso fazer com que seja a última, posso fazer questão de me fechar e não deixar mais essas coisas acontecerem. Eu decidi mil coisas, coloquei pontos importantíssimos na balança e agora eu não sei mais o que eu posso fazer, poder eu posso, mas o que eu quero. Sei perfeitamente que ninguém nesse mundo tem que pagar pelo erro alheio, ninguém, mas a cada desilusão meu coração nasce mais uma pedra, meu coração está fechado e cansado. Será que eu só preciso de tempo? Sim, eu preciso de muito tempo, nem que seja todo o tempo do mundo e eu acorde quando eu for muito velha (se é que vou viver muito) e estiver com meus gatos, sentada numa cadeira de balanço, talvez aí eu saiba o que eu vou fazer da porra da minha vida.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Crise dos 25

Acabei de ler um texto que fala sobre Crise dos vinte e poucos anos. Me identifique um tanto porque vou fazer vinte-e-cinco esse ano e isso me fez lembrar de um texto que escrevi nesse blog mesmo da crise que eu tive quando ia completar 20, o meu medo de sair do teen, o fato de pensar que agora eu seria realmente adulta. Ou seja, depois de cinco anos, parece que entrei em uma nova crise e me faço todas as perguntas que eu tenho a resposta, mas não entendo bem essa questão do tempo que voa, as vezes:

* Cheguei no 1/4 de vida;
* Eu já cheguei aos vinte-e-cinco anos;
* Faz 10 anos que eu fiz quinze anos!!! (fazdezanosqueeutranso :O);
* Meu primo mais novo já tem dezoito anos e o meu primo mais velho, trinta-e-cinco (se eu estiver certa nas contas);
* Tenho tias que já são avós e uma das minhas avós já é bisavó há um bom tempo.

Se eu não estou errada, dos meus vinte aos vinte-e-cinco, eu quis casar com três pessoas diferentes, dos vinte aos vinte-e-cinco anos, eu entrei em duas faculdades completamente opostas e não conclui nenhuma, dos vinte aos vinte-e-cinco anos eu trabalhei em quatro empresas diferentes e fiquei desempregada poucos meses, mas não vou me lembrar quais e quando, mas foram experiências que me mostraram o que eu queria realmente para o meu futuro.

Dos vinte aos vinte-e-cinco anos eu tive muitas decepções, eu chorei litros e litros, eu sorri muito, eu fui feliz, eu amei, conheci pessoas maravilhosas e depois de um tempo eu descobri que não eram tão maravilhosas. Acredito que eu tenha decepcionado algumas pessoas, e também não fui uma pessoa tão maravilhosa para algumas pessoas. Conheci pessoas que eu não queria ter me distanciado, mas nos distanciamos e não sabemos os motivos. Fiz amizade na balada, no ponto de ônibus, no mercado, na fila do pão, mas nenhuma dessas amizades existe mais.

Nos meus vinte-e-quatro anos, eu consegui muitas coisas, hoje sou mais independente, tenho minha casa, minhas responsabilidades, minha vida e só minha. Claro que alguns planos ainda não se realizaram e algumas outras coisas não mudaram tanto...

Não sei ao certo porque expor minha "crise dos 25", talvez porque ainda não fiz vinte-e-cinco anos, falta um pouco mais de dois meses, será que o meu inferno astral chegou mais cedo?

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

I'm fine!


Eu erro, eu tenho defeitos, muitas vezes percebo muito mais os defeitos do que as qualidades, as vezes as qualidades se tornam defeitos, as vezes percebo que defeitos não são tão defeitos assim. Cada dia da minha vida é um aprendizado, pode ser para o bem, pode não ser, pode ser que eu não entenda como um aprendizado e deixe passar, mas talvez um dia me lembre de todas as coisas que aconteceram e aí sim, posso entender como aprendizado e levar algo para a vida adiante, como não descarto a ideia de nunca aprender por não ter sido nada relevante.

Sou um ser humano e por isso eu erro, sou um ser humano formado de erros, conheço bem os meus defeitos e sei até onde vai o meu limite, sei exatamente onde eu posso pisar e acertar o passo, sei de muita coisa e ao mesmo tempo não sei nada. Sei que quando eu erro eu vou atrás, percebo que mesmo quando não estou errada eu peço desculpa por algo que eu não fiz apenas para manter a paz. Acho que isso é uma bela qualidade que eu tenho, mas também é o meu maior defeito. Eu não acho que sou um monstro e sei que já falei isso muitas vezes, eu sou uma pessoa com uma personalidade que é difícil e todas as pessoas tem uma personalidade diferente, outras combinam, outras não e aí existem os conflitos. Sei muito bem que tenho que abrir mão de muita coisa e tenho que aprender a lidar com muitas outras coisas e outras pessoas, mas também é necessário que as pessoas que eu tento lidar, saibam que também é necessário para elas que aprendam a conviver comigo também, é como todo relacionamento, os dois tem que estar disposto a mudar, a melhorar, a caminhar juntos. Se isso não existe, o relacionamento pode acabar na mesma hora porque não vai mudar nada e a única coisa que vai acontecer será manter mágoa e raiva um do outro e raiva e mágoa, são coisas que eu não guardo... tenho medo de câncer!

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Por cima do seu cadáver?


Hoje vi várias mães nos meus feeds de notícia do Facebook postando fotos e desafiando outras mães a também postarem fotos de seus bebês dizendo que são a favor a vida - não entenda que eu sou contra a vida, tem muita diferença entre ser a favor da vida e o aborto - tentando impedir a descriminalização do aborto. Não acho feio, muito pelo contrário, admiro muito as pessoas que tem seus filhos e são felizes com isso, porém, o meu ponto de vista é outro, há anos e anos as mulheres querem ter o direito sobre si mesma, sem governo, política, religião ou pura falta de informação.

Sou a favor da descriminalização do aborto pelo simples fato de que milhares de mulheres morrem por terem que fazer abortos em clínicas clandestinas sem nenhum suporte, sem nenhum auxilio, sem absolutamente nada. Sou a favor da descriminalização do aborto em TODOS os casos. Sou a favor da descriminalização do aborto porque eu acredito e quero que todas as mulheres tem que ter direito e responsabilidade sobre o seu corpo, como eu disse antes. Sou contra essas campanhas de Facebook porque se o aborto for legal no país, não quer dizer que você que está linda e grávida, seja obrigada a abortar, se você quiser ter seu filho e a gestação, ninguém irá te impedir, se você é contra o aborto é simples: Não faça!

E o difícil é que o cerco tá cada vez mais fechado, ministério, câmara, senado e tudo o mais, com um bando de conservadores hipócritas que se escondem atrás do discurso de "protetores da família" pra esconder seus crimes, abusos e afins.

Continuo com o meu discurso de que a mulher tem que ter o direito de fazer o que ela quiser com o seu corpo!

Essa imagem abaixo quer dizer muito sobre o que passamos, esse mundo é machista, temos que provar que podemos mais e mais!


quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Nunca se desculpe por amar alguém!


Eu li sobre isso e pensei: Eu já fiz isso!
Vou dar um exemplo simples: Quando você sai de um relacionamento e ainda gosta demais da pessoa - principalmente se você sai do relacionamento "obrigado", ou seja, a pessoa não te quer mais - você pode seguir sua vida e fim (que é o mais certo a fazer) ou você surta e tenta entender os motivos de alguém não querer mais você por perto. Com isso, começa a imaginar que fez coisas que a outra pessoa não gostou, encheu de mensagens, falou demais, sufocou, ou simplesmente, se apaixonou, por mais que isso não seja nada de mais. Em seguida você pensa que tudo o que você fez foi errado, se culpa, se julga, se pergunta o que fez e, pelo menos uma vez, pede desculpa por gostar demais e não saber lidar com a situação, e começa a procurar um outro culpado pra tudo isso e encontra... o amor. Afinal, se você não tivesse gostado/amado/apaixonado não teria feito muitas coisas do que fez. Porém, se desculpar por ter um sentimento tão... (não sei explicar o que significa em palavras, talvez), mas se desculpar por amar? Por que? Tantas pessoas gostariam de amar alguém, gostariam de saber o que isso quer dizer, o que significa tudo isso e quem consegue pede desculpas? E também as pessoas que gostariam que alguém a amasse sem tamanho, que fizesse tudo o que você fez com aquele outro que eu falava no começo do texto, quando encontra, somem! Estranho, mais estranho ainda pensar que eu já me desculpei por gostar demais, já me desculpei por gostar sozinha, já me desculpei por não gostar mais... Talvez meu problema seja com a culpa, ou a falta dela.