happines is found inside your heart.

domingo, 28 de dezembro de 2014

Nunca gostei de ano par

Tenho problemas com número pares e eu nasci num ano par. Talvez seja pra eu trabalhar isso na minha cabeça, ou não, pode ser frescura mesmo, mas paro para pensar e lembrar de todos os meus anos pares, não foram tão bons, foram no sentido de: passei por eles, para seguir no ímpar. Enfim, me enrolei, mas é isso, por enquanto.
2014 foi um ano que, para mim, se passou arrastado, em janeiro já queria que fosse dezembro e finalmente dezembro chegou e chegou com alegrias, clandestinas. Esse ano foi um ano de conquistas, consegui realizar alguns dos meus projetos. Já o restante... ficou a desejar, não que tenha que acontecer tudo do que eu queria, mas poderia ter acontecido mais coisas, mas não era pra ser, não agora, e não culpo esse 2014 que foi meio 13, não foi um ano agradável, não para mim. Não vejo a hora de partir, de seguir seu caminho rs.
Sinto que 2015 vem pra arrebentar e ser muito melhor do que foi esse passado!
Que venha e me traga toda a felicidade que 2014 não trouxe.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

#SomosTodasRodadas

Tenho escutado muito (mas muito mesmo) as pessoas no geral - tanto homens, quanto mulheres - falarem sobre a mulher transar no primeiro encontro, sobre as mulheres feministas, sobre o "Bostonaro" falando que não estupra a deputada porque ela não merece, E, no meu momento de ócio, paro pra ler as notícias do dia/semana e vejo "Teste da Mulher Rodada?"... Oi??? Fui entender que uma colunista da Folha de SP fez isso porque viu um cartaz de um rapaz na internet com a frase: Não Mereço Uma mulher Rodada.
Confesso que ainda fico abismada com essas notícias e fico impressionada com a quantidade de pessoas que são machistas, mais uma vez, homens e mulheres. Mulheres... mulheres machistas, não consigo entender.
Bom, se esse ser não merece uma mulher rodada por transar no primeiro encontro, por não saber quantos parceiros já teve, por ter tido um P.A... enfim, eu (e todas as mulheres rodadas) que não merecem um cara babaca e machista como esse.

Para ler a matéria da Marilliz, é só clicar aqui.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

O que você vai fazer com o resto da sua vida?

O que você vai fazer? Você tem planos? Metas? Sonhos? Algo dentro de tudo isso que deseja, o que você vai fazer? Temos várias escolhas, temos a opção de não escolher nada e levar tudo empurrando com a barriga. Será que estamos em uma época em que tudo foi feito pra acabar, ou melhor, estamos numa época em que percebemos que tudo foi feito para acabar. Acho que isso já acontecia há tempos, mas antes as pessoas viviam a solidão de outra forma, hoje temos todos os meios e tecnologias presentes para que ninguém seja sozinho, solitário. Confesso que eu, Flor, sempre tive medo de solidão e confesso também que sempre me vi sozinha, acredito que eu vou morrer numa casa com, pelo menos, uns cinco gatos, solteirona e feliz... Porque não acho que para ser feliz, precisa ter alguém do seu lado, é bom, mas não é tudo. Mas eu me pergunto: o que isso tem a ver com o começo do texto? Exatamente tudo a ver! O que você faz pode te transformar em tudo, ou nada. Então, o que você vai fazer com o resto da sua vida? O que eu vou fazer com o resto da minha vida? Minha vida pode acabar antes de que eu consiga terminar esse texto, minha vida pode mudar completamente hoje quando eu me levantar dessa cadeira, minha vida pode ser outra vida, se eu quiser mudá-la.

domingo, 14 de dezembro de 2014

Existe muito

É aquela sensação de que nunca vai passar, que a dor só vai aumentar e as lágrimas nunca vão parar de cair. O pior de tudo, é saber que poderia ter sido diferente, sempre pode ser diferente, mas algumas pessoas ficam sem controle, sem saber o que fazer e isso só faz parte do egoísmo natural do ser humano. Me disseram que algumas pessoas não sabem ser gostadas, que todo mundo procura isso, mas quando encontram, não sabem como lidar e fogem, somem. Outras pessoas já não sabem não demonstrar o que sentem, não sabem agir de outra forma, e são essas coisas que podem ser diferentes. Outras pessoas me disseram tudo o que todo mundo fala: "não era pra ser", "não é assim que funciona", "quando alguém gosta realmente de outra pessoa, simplesmente vai acontecer, não tem como mandar nisso, como você mesma disse, o ser humano é egoísta, não deu certo, a vida continua".
Não falei nada com nada, porque não acho que tenha nada com tudo pra falar. Existe um vazio (sempre falo de vazios), não existe nada, ou existe muito, existe muito amor e dor e amor, amor, amor...
Odeio anos pares!