happines is found inside your heart.

domingo, 30 de março de 2014

Para alguém mais que especial

Em meados de 2007, eu criei um blog, alguns meses depois, uma pessoa comentava compulsivamente em quase todas as postagens, depois aparece uma solicitação de amizade no Orkut e logo após, a adicionei no MSN, era uma pessoa que eu imaginava que duraria um contato rápido e fim. Conversávamos todos os dias, mandávamos mensagens, ligávamos e um belo dia eu pedi pra que ela procurasse uma música que eu não encontrava (tenho esse problema até hoje) ela encontrou, me passou, nos apaixonamos por ela, me apaixonei e nunca mais a ouvi, mas lembrava que eu gostava dessa música. Depois de um bom tempo sem nos comunicar, conversamos muito e ela me mostrou essa maravilha de música que me faz chorar a cada vez que eu ouço. Não é um choro ruim, é como se fosse um desabafo, um peso que sai dos meus olhos. Diz muita coisa… muita coisa…

Quer ouvir também? Aqui

É claro que o nosso contato não é como antes, afinal, muitas coisas aconteceram e fazem sete anos e sete anos é uma vida. Nunca nos vimos, muitas coisas se passaram, tivemos oportunidades, mas não tínhamos tempo, ou o que quer que seja. Espero muito um dia vê-la, abraçar, sorrir, chorar, apertar a vida que ela carrega agora, um bebê lindo e forte!

Amiga, eu amo você, não preciso te ver pra falar isso, obrigada por ter insistido na minha amizade. Estaremos sempre juntas!!! Mais uma vez, obrigada!

quinta-feira, 27 de março de 2014

Preciso melhorar o que me incomoda para que eu não não morra com as minhas agonias e loucuras, se for pra morrer logo, que seja de amor e alegria.
Eu faço coisas que me atormentam, eu sou de uma natureza diferente das pessoas, eu sou grossa, sou estúpida, mas não sou assim porque eu gosto, eu sou assim porque só percebo que sou assim depois que me falam alguma coisa a respeito. Eu não sei mudar porque me sinto falsa com a mudança, é aí que eu percebo que eu também sou egoísta…

Socorro

Parece que eu não tenho mais nenhum sentimento dentro de mim, me sinto cheia de nada, não sei o que isso significa, odeio ter crises existenciais, odeio não saber o que fazer e odeio não ter respostas para o que eu não tenho perguntas concretas. Eu nem sei como escrever esse texto direito, mas preciso tirar algo de mim de alguma forma, até me fez lembrar da música do Arnaldo Antunes:

Socorro, não estou sentindo nada…

Não sinto…

terça-feira, 4 de março de 2014

Sobre o tempo

Sempre ouço que aprendemos com o tempo, mas a questão do "tempo" é muito relativa. Acontecerá as mesmas coisas, da mesma forma que dissemos ter aprendido, porem, vamos ter a mesma reação de quando necessitarmos que o tempo passe.