happines is found inside your heart.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

saudade e só

você me falava coisas gostosas de ouvir, me fazia dar risadas desesperadas, todas as vezes que era preciso o seu ombro pra eu chorar estava lá, estava pra todos os momentos, um amigo, um irmão, um algo alem que não tem como medir, como explicar. é tudo tão estranho, as vezes me pego pensando e não parece que você se foi, não parece que você não está aqui, e meus olhos se enchem de lágrimas, mas você está no meu coração, na minha mente, em mim, saudades de você, saudades absurdas. saudade de te abraçar forte, de conversar, de rir, de dançar, de contar os planos, as conquistas... ah, vou te amar pra sempre, neguinho!

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Ninguém é feliz o tempo inteiro

Quase meio ano se passou, sinto vontade de aparecer, ainda penso que aqui não é mais o meu lugar, não sei, mas sinto vontade de falar, não me perguntem sobre o que eu quero falar, nem eu sei, mas parece que é só uma vontade de desabafar, ou não.
Eu tenho tido muita felicidade, muitas coisas adoráveis na minha vida, uma pessoa maravilhosa que me faz mais que feliz, me completa, me tira do chão, mas algumas pequenas coisas ainda me incomodam, coisas que eu não deveria me preocupar, mas me preocupo, ainda sinto a vontade de que tudo seja da forma que eu queria, mas não consigo, é uma síndrome de perfeição? Não tenho respostas, mas essas (in)felicidades, são pequenas e fico admirada como eu consigo "esquecer", ou pelo menos não lembrar do que incomoda.
Chega!
Realmente não dá.
E não entenda.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

felicidade

Uma vez eu li que eu não poderia gritar a felicidade que eu tenho, a inveja tem sono leve, algo desse tipo. Mas o que eu posso fazer se a felicidade já não está dentro de mim e, sim, espalhada pelo meu corpo, escrita no meu rosto?

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Eu tenho gostado tanto de você, só que eu não entendo - e nem faço questão - eu só sinto e só sentir tá muito bom!

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Carpinejar*

Porque é isso:

Espero alguém que não tenha medo do escândalo, mas tenha medo da indiferença. Espero alguém que ponha bilhetinhos dentro daqueles livros que vou ler até o fim. Espero alguém que nunca abandone a conversa quando não sei mais falar. Espero alguém que, nos jantares entre os amigos, dispute comigo para contar primeiro como nos conhecemos. Espero alguém que prove que amar não é contrato, que o amor não termina com nossos erros. Espero alguém que não se irrite com a minha ansiedade. Espero alguém que arrume ingressos de teatro de repente, que me sequestre ao cinema, que cheire meu corpo suado como se ainda fosse perfume. Espero alguém que não largue as mãos dadas nem para coçar o rosto. Espero alguém que me olhe demoradamente quando estou distraído, que me telefone para narrar como foi seu dia. Espero alguém que procure um espaço acolchoado em meu peito. Espero alguém que leia uma notícia, veja que haverá um show de minha banda predileta, e corra para me adiantar por e-mail. Espero alguém que fique me chamando para dormir, que fique me chamando para despertar, que não precise me chamar para amar. Espero alguém com uma vocação pela metade, uma frustração antiga, um desejo de ser algo que não se cumpriu, uma melancolia discreta, para nunca ser prepotente. Espero alguém que comente sua dor com respeito e ouça minha dor com interesse. Espero alguém que pinte o muro onde passo, que não se perturbe com o que as pessoas pensam a nosso respeito. Espero alguém que vire cínico no desespero e doce na tristeza. Espero alguém que curta o domingo em casa, acordar tarde e andar de chinelos, e que me pergunte o tempo antes de olhar para as janelas.

Fabrício Carpinejar*

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Feliz!

Nesse segundo dia de 2013, eu preciso e necessito dizer que eu estou muito feliz, muito calma, muito tranquila de tudo, da alma, do corpo, da mente, da vida. Esses últimos dias de dezembro me fizeram muito bem, eu conheci pessoas maravilhosas, reguei uma amizade que está mais forte agora (não que ela tivesse murchado), fiquei bêbada, preciso de um fígado novo e um pulmão também... mas tudo isso me representa coisas boas a vir. O meu ano começou tão bem que não tem como ficar ruim, eu to sentindo que 2013 realmente veio pra mudar a minha vida, mudar não, mas melhorar a minha vida.
E como eu disse em quase todos os dias de novembro e dezembro de 2012: 2013 vai ser um ano de renovação.

E que seja!