happines is found inside your heart.

sábado, 13 de outubro de 2012



Eu não tenho rancor por muito tempo, não tenho raiva por muito tempo, nem sou feliz por muito tempo, as vezes parece que a minha felicidade passa tão rápido. Ela nem chega e já vai embora, as coisas são estranhas. Não quero dizer que minha vida é um desastre e que nada dá certo. Não, não é isso, eu sei que as coisas dão certo, um problema que eu tenho e que, acredito, que muitas pessoas tem, é de guardar um pouco mais do que é triste do que é alegre. Parece que a tristeza vem pra acabar de vez.
Várias coisas passaram pela minha cabeça, mas ao mesmo tempo, eu não sabia no que eu poderia pensar. Essa situação me parece muito estranha, se eu falar agora que eu não sei o que pensar, vai parecer mentira, como eu escrevo um texto sem pensar? O "pensar" que eu digo agora é no sentido de não conseguir estabelecer um pensamento, firmar um pensamento na mente, talvez seja por causa da dor. A minha dor tá sem tamanho, tá uma ferida enorme e eu não sei o que fazer para fechar, aquela coisa cliché de sempre, o tempo vai fechar a tal ferida, o pior é que é isso mesmo. Eu queria mandar no tempo, mas eu não posso, queria voltar nele, muitas vezes. Consertar alguma coisa, fazer outra, será que daria certo? Em filmes (tirando De volta para o futuro) as coisas costumam não dar tão certo quando se volta ao passado para arrumar algo que deu errado no seu futuro. Acredito que mais pra frente, eu vá entender muitas coisas que hoje eu tenho dúvida, talvez o meu passado me volte, ou alguém desse presente me volte para o futuro como passado. Não estou esperando isso acontecer, depois das últimas decepções da minha vida, eu não espero muita coisa das pessoas. Isso é ruim, eu sei, mas apanhei tanto, prefiro não esperar e me surpreender com coisas boas do que esperar muito e me surpreender com coisas desagradáveis.
Hoje, eu decidi que eu tenho que subir esse degrau no qual eu estacionei, e quando eu subir, virar a página e começar a escrever coisas novas. Eu sei disso, eu sempre soube.
E mais uma vez aquele cliché da vida: Eu deixo ir, se for meu de verdade, vai voltar.

4 comentários:

Antônio LaCarne disse...

rancor que é aquela flor murcha que a gente, às vezes, tenta dar nova vida.

o tipo de coisa que não vale a pena, e você está certa.

Flá Costa * disse...

é bem verdade flor, é só no de volta para o futuro que voltar ao passado faz a mudança ser positiva. mas eu insisti nas coisas, e resgatei meu grande amor da época do colégio cabeçuda que sou. e olha não tenho do que reclamar. rs

enfim, costumo dizer que os clichês são sábios, mas muitas vezes um contradiz o outro. o caminho é a gente que escolhe!

beijoca

Lélis Martins disse...

É claro que a vida é boa
E a alegria, a única indizível emoção
É claro que te acho linda
Em ti bendigo o amor das coisas simples
É claro que te amo
E tenho tudo para ser feliz
Mas acontece que eu sou triste...

(Dialética, Vinícius de Moraes)

Fernanda Balster disse...

Muitas coisas que leio aqui parecem que foram palavras saídas da minha boca..

Eu mal te conheço, mas te acho tão especial..

Te acho forte, intensa e decidida! (Mesmo q tenha se perdido tantas vezes. Rs)

Desejo de coração que seja muito feliz com todas as escolhas.
E que aprenda com os erros, levante quando cair e jamais perca a sua força.

Tem uns posts que dá vontade de te colocar no colo, outros de te dar um abraço apertado, outros vontade de te bater hahaha, outros me fazem rir muuuito... :)

Continue escrevendo, por favor!

Beijo

Fe B.