happines is found inside your heart.

sábado, 28 de maio de 2011

The End!

Eu queria chegar perto de você e poder te explicar milhões de coisas que eu não sei. Ou até mesmo falar todas aquelas coisas que eu tenho vontade e que - imagino eu a sua cara - pra você pode não fazer diferença, não mais.
Mas foi como te falei uma vez, quando as coisas não são significantes, não precisam ser contadas. Ok. Ok.
Eu sei que: eu tenho que tirar você de mim, tenho que tirar o que eu sinto por você aqui de dentro, foi bom, foi lindo, foi perfeito, mas lembrar de você me dói, me dói saber que isso passou e me dói, mais ainda, sabe que não existe mais, me dói também gostar de você.
Eu também sei que quem fodeu com tudo fui eu, só queria limpar a cagada, as coisas erradas, mas não sei mais o que fazer, acho que não tenho mais o que fazer, se é que eu tive o que fazer em algum momento.
Te ver ainda me causa tremedeiras, suores, pernas bambas e tudo mais. Tenho vontade de ser invísivel quando passo ao seu lado porque eu sei que você percebe esse tipo de coisa. As minhas coisas.
Queria muito entender o que aconteceu comigo e com todo esse sentimento que existe aqui dentro, essa coisa estranha, essa paixão sem motivos - ou com motivos demais.
Mas sim, eu vou parar de te procurar, parar de te escrever, parar de te ter em mim - acho que essa é a parte mais difícil -. Começou tão rápido, pode ir embora rápido também. Não pense que eu sou uma louca ou qualquer outra coisa, não sei se lembra, mas eu disse que sou movida a sentimentos e isso é uma prova disso.
Fica bem.
Eu ficarei.

9 comentários:

Júh Sodi disse...

Tudo vai ficar bem, ou não...Afinal, o que é a vida sem sofrimento?!

Parabéns pelo blog!:*

Escaminha disse...

Espero que vc fique bem...assim como eu espero ficar bem também...
Tá foda flor!

aline disse...

vamos limpar tudo isso, flor...

Beleza de Ser disse...

Um texto que me cabe tão bem! Quanta similaridade com tudo que tenho carregado no peito.

Abraços

XX disse...

que lindo!

"a vida é a arte dos encontros"

Matheus_Carmo disse...

Postagem gostosa de se ler ...
Mas vocês sempre erram nesse aspecto,deixam de viver algo especial,único e inovador,e prefere ficar olhando para as "pandarias desbundais" da vida !
Saravá !

Olha meu blog também : www.ociosidademoderna.blogspot.com

flor disse...

Escaminha: Espero que você também fique bem, as coisas aqui tão muito fodas. rs

Aline: Eu preciso, amiga. Preciso me purificar.

Mateus: "Vocês" não, não vamos generalizar. Existem pessoas e pessoas, seres diferentes, tem gente com medo de viver, de se entregar. As pessoas são egoístas, já parou pra pensar?

Beijos, pessoas.

Srta. Plácido disse...

Viajei, Flor! rs


Nada é por nada: Alguns "Ends" são justificáveis do ponto de vistas de uns, e de outros não. Talvez o que um tenha como banal, o outro não tenha. Como diria Cartola: Acontece...

renato disse...

Tenho procurado tantas coisas neste emaranhado da minha vida recente e confesso que, apesar de sentir tudo isso, é bom ler um texto sincero que traduz o meu momento.
Gostaria de poder ceder seu texto a pessoa que deveria ter falado isso claramente há mais tempo mas, creio que ela se negaria ainda.
Prolongando um sofrimento desprezado, de alguém longe de ser seu ideal mas um ser vivo, com seus inúmeros defeitos criticáveis mas vivo. Carregando um amor que não me cabe. Perdido e solitário, passando as noites procurando alguém que não quer ser encontrado.
Apenas encontro os vestígios que trazem todas as lembranças suficientes para alimentar a minha loucura, meu amor que sopra para tentar acreditando no impossível.
Mas suas palavras irão me ajudar muito. Talvez ajude a curar minha insônia insana, que me faz buscar sem limite a resposta que não quero ver.
Vendo, mesmo assim olho pro lado e não sei como deixar de amar.
Mas ajudará uma gota.
Um dia conseguirei respirar.
Pra dormir de novo.
Pra sonhar com o vazio.
Obrigado...