happines is found inside your heart.

sábado, 28 de maio de 2011

The End!

Eu queria chegar perto de você e poder te explicar milhões de coisas que eu não sei. Ou até mesmo falar todas aquelas coisas que eu tenho vontade e que - imagino eu a sua cara - pra você pode não fazer diferença, não mais.
Mas foi como te falei uma vez, quando as coisas não são significantes, não precisam ser contadas. Ok. Ok.
Eu sei que: eu tenho que tirar você de mim, tenho que tirar o que eu sinto por você aqui de dentro, foi bom, foi lindo, foi perfeito, mas lembrar de você me dói, me dói saber que isso passou e me dói, mais ainda, sabe que não existe mais, me dói também gostar de você.
Eu também sei que quem fodeu com tudo fui eu, só queria limpar a cagada, as coisas erradas, mas não sei mais o que fazer, acho que não tenho mais o que fazer, se é que eu tive o que fazer em algum momento.
Te ver ainda me causa tremedeiras, suores, pernas bambas e tudo mais. Tenho vontade de ser invísivel quando passo ao seu lado porque eu sei que você percebe esse tipo de coisa. As minhas coisas.
Queria muito entender o que aconteceu comigo e com todo esse sentimento que existe aqui dentro, essa coisa estranha, essa paixão sem motivos - ou com motivos demais.
Mas sim, eu vou parar de te procurar, parar de te escrever, parar de te ter em mim - acho que essa é a parte mais difícil -. Começou tão rápido, pode ir embora rápido também. Não pense que eu sou uma louca ou qualquer outra coisa, não sei se lembra, mas eu disse que sou movida a sentimentos e isso é uma prova disso.
Fica bem.
Eu ficarei.

domingo, 22 de maio de 2011

o que será?*

Será que ela é sapatão?
Ou será que ela me olha porque acha que eu sou sapatão?
Ou, ainda, será que uma onça cheira a outra?
Ou o mundo é, realmente, gay?
Ou será que eu sou louca e nem passa por nada na cabeça da pessoa?

*Falando da cobradora do ônibus que eu pego todos os dias para ir trabalhar.

PS: A palavra "Sapatão" não é pra ofender ninguém.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

acho que não



será que tiraram o melhor de mim?
e eu amo essa música, simples assim.

terça-feira, 17 de maio de 2011

e dói

"Acho que a única razão de sermos tão apegados em memórias é que elas não mudam, mesmo que as pessoas tenham mudado."

Uma amiga me mandou isso essa semana, eu poderia escrever um texto enorme e cheio de explicações, mas não.
Eu só quero dizer que ando sentindo uma falta sua e me dói.


PS: não sei de quem é a frase!

sábado, 14 de maio de 2011

sentimento

Eu não queria que existisse sentimento, ainda mais essa coisa que é tão grande e tão estranha, em tão pouco tempo, porque, de verdade, eu não sei o que você fez comigo e sei lá, to meio cansada de um bocado de coisa, ainda mais porque você deve me achar uma louca ou qualquer outro adjetivo que você deve usar quando eu falo ou faço alguma coisa fora do comum, mas é por isso, eu não gosto de ser comum, eu não gosto de ser igual a todas as pessoas que você conhece ou já conheceu. Ainda penso em ser uma árvore, mas eu sou movida a muito sentimento, eu sou muito intensa em tudo o que eu gosto, e árvores não tem isso.

domingo, 8 de maio de 2011

Do amor e outros demônios*

"Disse que o amor era um sentimento contra a natureza, que condenava dois desconhecidos a uma dependência mesquinha e mal sã, tanto mais efêmera, quanto mais intensa."



*Gabriel Garcia Marques

sábado, 7 de maio de 2011

acho que cabe...

Eu juro
Eu não sei porquê você
Você é mais bonita que a flor
Quem dera
A primavera da flor
Tivesse todo esse aroma de beleza que é o amor
Perfumando a natureza
Numa forma de mulher.


Composição: Carlos Lyra / Vinícius de Moraes

terça-feira, 3 de maio de 2011

2.1

E como eu sempre digo (eu e Cazuza): o tempo não para.
Mais um ano de Flor, mais uma pétala. Sim, fico mais velha e mais uma vez eu venho dizer: é estranho falar vinte-e-um rs. Ainda não me acostumei com essa história. Quem leu o post do ano passado, pode ser que entenda a "quase depressão" que eu entrei rs.
Bom, estou eu aqui, novamente. Espero que o ano que vem eu possa estar aqui ainda e dizer: eu não me acostumo com os vinte-e-dois.
To meio sem assunto hoje, acho que tenho motivos para isso.