happines is found inside your heart.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

pra terminar

hoje eu me senti calma, não veio aquela angústia que eu já estava me acostumando a sentir, mesmo com todos os problemas diários de trânsito, relacionamento, trabalho, pessoas e tudo o que possa me incomodar, eu me senti calma. eu me sinto bem agora ao escrever isso, mesmo que não seja nada muito interessante para quem lê, mas saiba que é um bocado para quem escreve.
hoje eu senti vontade de fotografar de novo - não que eu seja uma ótima fotógrafa, ou que eu seja uma fotógrafa (rs), mas só alguém que gosta de fotos - senti vontade de ler (e li quase um livro todo), eu já estava me sentindo burra e desentendida de tudo. eu não faço a mínima ideia do que aconteceu, eu não me lembro de ter dormido bem, pelo contrário, acordei diversas vezes com a sofia fazendo suas traquinagens pela casa - antes eu tinha o sono bem pesado - hoje o dia rendeu, fiz mais do que eu deveria no emprego - e meu belo emprego -, ouvi john mayer o dia todo - tem dias que eu sinto muita falta dele - mas ainda parece que existe um vazio aqui dentro, acho que eu preciso de outras palavras ao pé do ouvido.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

sobre o nada - ou sobre o muito

eu gostaria de ter a ilusão que eu poderia ser sua, ou pelo menos me sentir sua. ainda mais porque eu sinto falta de quando eu escrevia alguma coisa, algo que fosse meu e eu sentia um certo prazer em ler, o que não acontece mais e não sei o motivo, não, a culpa não é sua e nem minha, não existem culpados, não queremos culpados, queremos o que eu não sei o que é, e que talvez, eu não queira mais saber, mas também, pode ser aquela curiosidade egoísta que eu tenho de querer saciar isso que existe aqui dentro e que só faz mal ao outro.
eu tenho medo de um bocado de coisa que eu não tinha e que eu achava estar preparada para enfrentar quando acontecesse, o ruim é isso, achamos uma coisa antes de acontecer e quando acontece, não é nada daquilo que imaginamos e nos preparamos - se é essa a palavra que eu devo usar. na verdade, eu já não sei de tanta coisa, já não sei mais o que fazer, que atitudes tomar, penso em uma coisa, faço aquilo e depois desfaço e não quero mais, eu nunca quis, mas acho que seja necessário, às vezes não é eu estou me enganando, mais uma vez.
eu não entendo nada, não quero que entenda nada. mas quero muito.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

nada mais do que ouvir a voz.

tem horas que palavras são necessárias

"Acho que é isso que vocês não são capazes de compreender, que a gente, um dia, possa não querer mais do que tem." - Caio F.

é, eu não quero mais do que eu tenho, o que eu tenho (o que você me dá) já basta. pode não parecer, na verdade, eu sei que pode parecer muitas coisas, mas a verdade é que quando nos sentimos bem com algo queremos aquilo, mas eu também sei até que ponto eu posso ter você e o que tem para oferecer, por mais que não acredite nisso.

enfim, eu amo você!

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

'breu-branco'

a lua estava linda.
tão linda que, naquele momento, poderia ter uma pane no sistema de iluminação das ruas e, eu tenho certeza, que ficaria o 'breu-branco' mais belo do mundo.

será que você via a lua?

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

nota

o silêncio me revolta.
isso não é novo. é, eu demoro para me acostumar com novidades.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

cansada!

fim.