happines is found inside your heart.

domingo, 25 de dezembro de 2011

4ª música - a que eu sei a letra

4 - Uma música que você saiba a letra toda.

Salão de Beleza - Zeca Baleiro

Eu sei a letra completa e ainda canto com o mesmo sotaque que o Zeca (risos), faço as firulas que ele faz e é uma música que eu adoro! E qual música do Zeca que eu não gosto? Deve ter pelo menos uma, mas eu não lembro agora (risos). Eu já postei essa música aqui, mas eu não lembro quando e to com a maior preguiça de procurar o post, lembro-me que publiquei a letra e não o vídeo.

Tá aí :)

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

3ª música - a que me faz dançar

3 - Uma música que te faça dançar

KC & The Sunshine Band - Give up

Eu, simplesmente, adooooro KC & The Sunshine Band. Acho o máximo e Give Up é a minha favorita, onde eu estiver eu danço, nem que seja só o balançar dos ombros rs.


Sem reclamações

Eu não vou reclamar do natal como faço todos os anos. Isso não quer dizer que eu passei a gostar da data. Para mim, ela continua chata e falsa como todos os anos, mas não vamos tocar nesse assunto.
E esse ano que passou? O que eu aprendi?
Esse ano eu amei, eu chorei, eu odiei, eu sofri, eu esperei por pessoas que não mereceram, eu deixei algumas pessoas esperando por mim, eu sorri, eu gargalhei, eu conheci pessoas espetaculares que quero levar até o fim da vida, conheci outras que poderia não ter conhecido, me apaixonei, senti borboletas no estômago, me arrependi, me orgulhei de mim mesma, fui reconhecida, perdi uma pessoa que eu amo demais e que achei que não fosse mais viver sem ela (Vó, te amo eternamente), aprendi que ainda consigo acreditar nas pessoas, descobri que o amo ainda existe (por pior que seja ter que lidar com ele), briguei, falei o que não deveria, escondi o que não podia, perdoei, esqueci, guardei!
Esse ano aconteceu muita coisa boa, muita coisa ruim, muita coisa. Esse ano aconteceu. Não foi o melhor ano da minha vida, não está na lista dos melhores, mas eu tive que passar por ele, me orgulho agora de poder escrever que, finalmente, ele está se acabando e um novo ciclo começará. Esse ano de 2012 promete. Espero que seja muito melhor.
Para vocês que tem a paciência de ainda aparecer por aqui, desejo, assim como para mim, um ótimo ano para vocês. Obrigada por todos os comentários, todas as críticas, tudo. E que tudo continue assim e/ou melhore.
Um beijo a todos (as).

Flor

domingo, 18 de dezembro de 2011

2ª música - a engraçada

2 - Uma música que você ache engraçada.

Latino - Amante Profissional

Eu ouvi essa música com Latino a primeira vez, uma outra vez, ouvindo Dibob, vi que eles cantam também, mas nada mais engraçado do que o Latino (risos).
Sim, eu dou risada com essa letra.
Eu não quero um moreno, alto, bonito e sensual que eu tenha que pagar HAHAHAHA.



terça-feira, 13 de dezembro de 2011

1ª música - a da infância

O Desafio musical de 250 dias começou em minha vida. Eu ia fazer isso só no face, mas vou tentar manter aqui no blog também, ainda mais que eu ando meio desinteressante e quase não atualizo mais isso.
Isso tudo porque eu sou movida a música. Por que não brincar? (risos). Aqui, pode ser que eu alongue o assunto.

1 - Uma música que lembre da sua infância

Debora Blando - Unicamente

Antes de tudo, tenho que confessar que desde de pequena eu sou noveleira, não assisto todas as novelas que passam, nem tenho tempo e muito menos saco pra isso, mas sempre que eu começava/começo a assistir uma novela eu gosto de acompanhar, se ela é interessante, é claro. Lembro que quando passava A Indomada, eu tinha de sete para oito anos e ficava com medo do Cadeirudo, mesmo achando engraçado, eu jurava que existia um no meu bairro. Bom, essa música ficava na minha cabeça e não tem como ouvir e não lembrar dessa época.


domingo, 11 de dezembro de 2011

Tanto


Eu precisei tanto de você, eu quis tanto ter você por perto. Desejei tanto a sua presença quando eu me sentia triste. Precisei tanto de você pra enxugar as minhas lágrimas, precisei de você para curar as minhas dores. Precisei de você quando eu estava machucada, quando você disse que não me queria mais, eu precisava de você. Lembrei de você diversas noites, quis todo o seu aconchego, toda a ternura... Eu precisei de você. Eu quis você. Eu nunca tive você.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

desamor


Por tudo o que você faz. Por todas as suas atitudes me mostra mais certeza de que você não é para mim e não merece o que eu poderia um dia sentir por você!

sábado, 19 de novembro de 2011

desamores

Eu tentei acreditar em você, desacreditando.
Eu digo a mim mesma o tempo todo: eu não vou jogar, eu não te quero pela metade, você não me terá por inteira.
Você sabe que tem esse jeito encantador, sabe contar meia dúzia de mentiras e parecer tão real. Você sabe o jeito certo de falar comigo, a forma que deve me olhar. Sabe que eu ainda cambaleio quando te vejo, mas eu não te quero.
Existe um lado do pensamento que diz pra eu te esperar.
Existe um outro lá que diz pra eu matar, mais uma vez, esse sentimento que não me cabe mais.
E eu tenho pra mim que você não me cabe mais.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Por que você não me deixa?

Quando eu penso que você morreu você aparece, pede desculpas e me conta da sua vida?!

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Belc!

Ele não é pra toda hora, mas a hora em que é hora dele, ele é o melhor do melhor do mundo em ser o melhor do mundo!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

leveza

Vou segurar o mundo, tá decidido.
Vou!
Vou, porque é do mundo que eu preciso.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Mais uma canção... para ela II

Não teve como não lembrar de você ao ouvir essa música hoje.
Confesso que tenho pensado muito em você.
Diariamente!

Nada vai mudar entre nós / Como eu sei? / Eu só sei

Tudo vai permanecer igual / Afinal / Não há nada a fazer

Eu não nego / Eu me entrego / Você é meu grande amor / Hoje eu vou te dizer "eu te amo"

Eu imploro / Eu te adoro / Você tem meu coração / A bater pra você mais uma canção

Como pode alguém perder você / Como eu fiz / Como eu quis não te ter?

Vivo iludido / A acreditar que o amor / Não se pôs em você

Eu me entrego / Eu não nego / Eu errei, mas sou capaz de fazer sua vida melhor

Tô voltando / Não sei quando / Pra roubar teu coração / Vou chegar no final de mais uma canção.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Para ela


Todos os sentimentos vieram até mim quando você me abraçou, todos de uma vez. Senti na hora aquela mistura de emoções. Era o seu gostoso abraço tímido.
Todas as lembranças vieram me visitar, lembranças do que ficou, do que compartilhei com você, que você compartilhou comigo, com toda a distância - aquela que ainda existe.
Eu pude, mais uma vez, sentir o cheiro, o cheiro, ah o cheiro bom dos seus cabelos, o seu cheiro bom, o cheiro da pele que é único. Lembrei da música, lembrei da nossa música, aquela que posso ouvir com qualquer pessoa, em qualquer lugar, mas vem você junto com ela.
E todas aquelas palavras bonitas que você dizia em meu ouvido, pouco tempo, mas tantas palavras. E todas as demonstrações de afeto que nós tivemos, lembrei de tudo, como um filme, um filme sem final.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Me transborda a saudade...

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Só pro meu prazer!

Será que um dia eu consigo entrar na sua mente e descobrir o que aconteceu com o que existia dentro de você?

terça-feira, 20 de setembro de 2011

VIPs


Antes de tudo, tenho que dizer que eu sou mais que apaixonada pelo Wagner Moura, depois de um bom tempo sem aparecer, decidi escrever algo sobre o filme VIPs, no qual o Wagner é o protagonista.
Digo que: o filme é sensacional!
É uma história muito alucinante e que te prende. Esse cara existiu, se deu bem, depois foi descoberto, preso e etc...
Enfim, voltando. Eu, Flor, chego a ficar agoniada com alguns filmes. Fico ansiosa, quero ver logo o fim, chega a me dar uma vontade de adiantar o filme e ver o final... mentira, claro.
Mas VIPs foi um deles. Um filme que me deixou extasiada e super pensativa após.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

?


Diz tudo sobre mim...
... sobre nós...
... sobre?

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Caio me dilacerando

Já não tenho mais dúvidas de que esse homem me conhecia. Sabe quando você se encontra? É disso que eu to falando.

Lá está ela, mais uma vez. Não sei, não vou saber, não dá pra entender como ela não se cansa disso. Sabe que tudo acontece como um jogo, se é de azar ou de sorte, não dá pra prever. Ou melhor, até se pode prever, mas ela dispensa.
Acredito que essa moça, no fundo gosta dessas coisas. De se apaixonar, de se jogar num rio onde ela não sabe se consegue nadar. Ela não desiste e leva bóias. E se ela se afogar, se recupera.
Estranho é que ela já apanhou demais da vida. Essa moça tem relacionamentos estranhos, acho que ela está condicionada a ser uma pessoa substituta. E quem não é?
A gente sempre acha que é especial na vida de alguém, mas o que te garante que você não está somente servindo pra tapar buracos, servindo de curativo pras feridas antigas?
A moça…ela muito amou, ama, amará, e muito se machuca também. Porque amar também é isso, não? Dar o seu melhor pra curar outra pessoa de todos os golpes, até que ela fique bem e te deixe pra trás, fraco e sangrando. Daí você espera por alguém que venha te curar.
Às vezes esse alguém aparece, outras vezes, não. E pra ela? Por quem ela espera?
E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará.
A moça – que não era Capitu, mas também têm olhos de ressaca – levanta e segue em frente.
Não por ser forte, e sim pelo contrário… Por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo.

Caio Perfeito Fernando Abreu.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

redescobrir

e quando eu penso que você pode ter dormido novamente (dentro de mim), vem você e levanta voraz, me derruba no chão e eu fico sem saber o que fazer. daí você some.

domingo, 21 de agosto de 2011

O meu desconhecido Rio

Talvez nem eu mesma entenda porque a minha vontade absurda de ir embora. E ainda mais, a minha vontade absurda de ir embora para o Rio (de Janeiro). Eu não conheço o Rio, não tenho ideia de como é o Rio, não sei se me acostumo com o lugar, com as pessoas, com a vida nova (claro que me acostumo, eu me acostumo com coisas mais difíceis).
Eu não entendo, mas o que eu sei é que sou fascinada pelo desconhecido, eu gosto mais do que não conheço do que aquilo que eu vejo sempre, aquilo que já sei como é. Sei que pode haver muitas pessoas que pensam como eu (ou que queiram pensar e agir como eu), mas tem pessoas que não sabem o que eu quero dizer, ou fazer. Não me importa.
Se eu tenho medo?
Tenho sim. Mas não penso nisso.

Sem dizer...

Isso acontece quando eu me sinto muito apaixonada, muito romântica, muito carente, muito querendo muito. Muito cheia de vontades, cheia de desejos.
Um desejo de agora?
Quero ir embora. Quero ir porque o Rio de Janeiro me chama e ele já tá gritando, quero ir-me embora da terra da garoa, quero voar pra cidade maravilhosa. Sinto como se aqui não me coubesse mais, preciso de ares novos, preciso de pessoas novas, sotaques novos, vida nova.
To a pensar como Moska em "Sem dizer adeus". Por que é tudo o que eu quero?!



O vídeo antigo me trouxe tanta coisa.
Talvez eu queira e preciso mudar a oração:
Eu preciso me livrar de todo o mal.
Amém.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Carta de saudade para uma grande amiga

Oi, minha linda, como você está?
Saiba, estou com muitas saudades de você e não sei mais o que fazer. Quero te ver e ponto final.
Assim que ler esse e-mail me responda com uma ligação dizendo onde está que eu darei um jeito de te encontrar e eu falo sério.
Sábado tem show do Monobloco e eu juro que queria estar lá com a sua pessoa, se eu tivesse dinheiro eu te daria o ingresso. Existem outras coisas que quero fazer com você, mas temos um pouco mais de tempo.
Eu não desisti de você, amiga. Não mesmo. Você é importante e eu sei do seu tempo (mesmo eu estando desesperada para vê-la). Saiba que eu não vou desistir, isso é fato!!!
Eu sempre penso em você, fico imaginando o que você está fazendo, como está a sua vida, tudo, Y. linda! Quero saber como andam os seus projetos, as músicas, os clipes, tudo o que você está fazendo e vivendo. Quero saber dos seus amores, seus desamores, seus momentos, suas dores. Tudo!
Eu tenho milhões de coisas pra te contar. Coisas que quero compartilhar com você, coisas que aconteceram e coisas que eu quero que saiba, os meus planos mirabolantes que mudam a cada segundo. Estou pensando na nossa tatuagem. O que podemos fazer, não é só uma peça de quebra cabeça, você é mais que isso. Então, o que mais poderia simbolizar esse amor de amiga-irmã que criamos.
Eu to vivendo umas coisas loucas, sabe? Querendo fazer outras coisas que não passaram pela minha cabeça antes, o que antes, pra mim, era um hobbie hoje eu quero seguir como carreira de vida. Pode ser que amanhã eu mude de ideia e não queira mais nada. Mas, mesmo assim, queria compartilhar esse meu momento contigo.
Eu quero sair, viajar, viver, conhecer pessoas. Eu to numa adrenalina da vida que não é minha.
E tudo isso, eu queria que você soubesse. Queria te ouvir.

Y., meu amor.
Eu te amo e não tenho medo de te dizer isso.

domingo, 7 de agosto de 2011

doidos, doidos, doidos, doidos...

apaixonada por ela (Zélia).

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Para óculos escuros

Ela estava na loja de conveniência em frente ao prédio, não estava lendo Maiakovski e ninguém da fila do pão sabia que ela o tinha encontrado. Nem ela mesmo o tinha encontrado. Foi ao sair da loja e ao atravessar a rua para entrar no prédio, que ela se depara com um homem da pele clara, cabelos negros e óculos escuros. Ela pensou: Será que eu o encontrei?

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Flor e a nostalgia das últimas semanas

Eu não ia falar sobre isso, mas eu adoro ser nostálgica, chega a ser mais forte que eu (rs).
Semana passada, a caminho do meu trabalho, fiquei zapeando pelas rádios em busca de músicas boas para ouvir, como sempre, ou melhor, como na maioria das vezes, parei na Nova Brasil FM, por volta de sete horas da manhã, eu sentada no ônibus e a rádio no intervalo comercial. Eu viajava e não sabia no que, tanto é que voltou a programação e eu não prestei a atenção, só percebo porque começa a tocar "Asas" (Maskavo). Lembrei da época em que eu estudava e tinha uns treze/quatorze anos, essa música (a banda, na verdade), me lembrava o programa da MTV Fica Comigo (com a Fernanda Lima), era incrível, a maioria das pessoas (principalmente as meninas), pediam Maskavo na hora do beijo, ou "Asas" ou "Um anjo do céu", para mim, as músicas que fizeram sucesso. Enfim... o que quero dizer é: vi meus treze anos em três minutos.
Assim que cheguei na empresa liguei o meu PC e lá fui atras de Maskavo para ouvir e vi que eu conhecia outras músicas muito boas. Foi minha trilha sonora da semana. Lá vai uma música linda!



Hoje, já cansada de ouvir as mesmas coisas, voltei aos meus treze/quatorze anos e me lembrei de Dibob. E... caralho!!! Foi uma sensação maravilhosa lembrar das minhas tardes depois da escola ouvindo rock. Fiquei o resto da tarde ouvindo a banda e fui atrás de me aprofundar, procurar, ouvir mais porque eu tenho o cabelo curto e eu sou louca (rs). Dibob acabou mas ficaram-se os vídeos, músicas tudo de bom e o bonitinho do Gesta (hahahaha perder a piada? Jamaaaais). E o vídeo de uma das músicas que eu ouvia como uma louca, umas cinquenta vezes seguidas (isso meu não mudou rs).


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Eu me perdi, me perdi dentro de mim. Preciso de uma limpeza, uma limpeza que tire tudo aquilo que é mau, que machuca, que dói. Cansei do normal, do meu normal. Sinto sede do diferente, do que realmente é meu. Sinto falta de muita coisa que eu tinha, mas não quero falar de passado. Preciso limpar, preciso ser nova.

domingo, 24 de julho de 2011

Monobloco


Eu estarei lá!
Lindamente :D
E já estou ansiosa por isso, na verdade, estou ansiosa desde quando vi que eles viriam tocar em São Paulo, então...

sábado, 23 de julho de 2011

50 anos de lobo

E eu que pensava que conhecia Lobão...
...estava totalmente enganada.
Esse livro me trouxe várias sensações e, como a maioria dos livros que eu leio, me ensinou algumas outras coisas.

Eu adoro o Acústico e adoro Corações Psicodélicos ^^

terça-feira, 19 de julho de 2011

Ele, mais uma vez falando por mim


"Não aquele que me complete, mas aquele que me some, que me acrescente."

Caio F.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Então... que seja.


Que seja doce as minhas manhãs de sol, as minha manhãs de chuva, minhas manhãs de verão, as manhãs de inverno, outono, primavera.
Que seja doce as minhas amizades, os meus amores, os meus prazeres, as minha paixões, os meus pudores, os meus pesares.
Que seja doce os meus medos, os meus pesadelos, os meus sonhos, os meus desejos.
Que seja doce a minha vida, o meu presente, o meu futuro.
Que seja doce as minhas dores, os meus desamores, os meus medos.
Que nós sejamos doces!
Que seja doce!
Que seja doce!
Que seja doce!
Que seja doce!
Que seja doce!
Que seja doce!
Que seja doce!
Sete vezes para dar sorte ;]

Obrigada, Caio F. Abreu, obrigada por me mostrar diversas formas de ser doce.

tempo.

Eu achei que isso não iria acontecer comigo, que NUNCA fosse acontecer com a minha pessoa, achei que eu nunca fosse ter esse medo, mas acontece sim, está acontecendo agora e eu to aqui sem saber o que fazer, saber como eu devo agir, mas, ao mesmo tempo, to confiando no tempo, pela primeira vez, to confiando no tempo e esperando que ele resolva.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

e posso?

eu quero sentir o seu cheiro e passar as mãos nos seus cabelos, quem sabe, sentir o gosto do beijo.

domingo, 26 de junho de 2011

E quanto mais eu conheço...

... mais eu odeio fãs de Raul e o próprio Raul.

Só que acho digno e necessário as pessoas respeitarem quem não gosta.
Tomem no meio do cu.

Pessoas lindas, perdoe-me pelas palavras, momento eufórico.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

histórias de amor e bicicleta

"Histórias de amor duram apenas 90 minutos, a vida possui histórias mais longas e muito mais interessantes."

Já dizia Zeca - protagonista do filme Histórias de amor duram apenas 90 minutos.
Achei que esse filme fosse maravilhoso, mas ele só é bom. Simples assim.
Minha sinópse se resume em: Zeca é um otário que acha que pode enganar duas mulheres.
Finalmente, assisti Malu de Bicicleta. Confesso que, deixou a desejar, talvez porque eu já tinha lido o livro algumas vezes e acho que foi o melhor escrito pelo maravilhoso Marcelo Rubens Paiva. Não digo que o filme é ruim, mas digo que eu tinha ideias diferentes sobre o filme.

sábado, 11 de junho de 2011

I love me

Eu não vou e não quero me permitir a isso. Eu sei o quanto eu valho. Eu sei da minha índole e, agora, meu bem, só quem perde é você.

Sim, eu não quero mais tentar - se é que o que eu estava fazendo era tentando alguma coisa. Mas não importa, isso não me importa mais. Eu não te quero porque você não me merece.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

porque sim.

Sabe, ainda dói e sinto que vai doer por um tempo, lembrar de você me dói e essa saudade incontrolável é de matar. Vou levar a minha vida e tirar você de mim. Como eu vou fazer isso eu não sei, mas uma hora isso acaba, ou fortalece.
Como é essa dor? Parece que um pedaço de mim foi embora junto com você. Mas nunca perdi nada físico pra comparar com isso...
Eu quero muito um abraço agora. Só.

domingo, 5 de junho de 2011

é o que tenho pra hoje

Quero tirar isso de mim, mas tá difícil.


Como diz o Caio: e me dá uma saudade irracional de você. uma vontade de chegar perto, de só chegar perto, te olhar sem dizer nada, talvez recitar livros, quem sabe só olhar estrelas…


Aaaaaah, como eu queria voltar no tempo.
fim.

sábado, 28 de maio de 2011

The End!

Eu queria chegar perto de você e poder te explicar milhões de coisas que eu não sei. Ou até mesmo falar todas aquelas coisas que eu tenho vontade e que - imagino eu a sua cara - pra você pode não fazer diferença, não mais.
Mas foi como te falei uma vez, quando as coisas não são significantes, não precisam ser contadas. Ok. Ok.
Eu sei que: eu tenho que tirar você de mim, tenho que tirar o que eu sinto por você aqui de dentro, foi bom, foi lindo, foi perfeito, mas lembrar de você me dói, me dói saber que isso passou e me dói, mais ainda, sabe que não existe mais, me dói também gostar de você.
Eu também sei que quem fodeu com tudo fui eu, só queria limpar a cagada, as coisas erradas, mas não sei mais o que fazer, acho que não tenho mais o que fazer, se é que eu tive o que fazer em algum momento.
Te ver ainda me causa tremedeiras, suores, pernas bambas e tudo mais. Tenho vontade de ser invísivel quando passo ao seu lado porque eu sei que você percebe esse tipo de coisa. As minhas coisas.
Queria muito entender o que aconteceu comigo e com todo esse sentimento que existe aqui dentro, essa coisa estranha, essa paixão sem motivos - ou com motivos demais.
Mas sim, eu vou parar de te procurar, parar de te escrever, parar de te ter em mim - acho que essa é a parte mais difícil -. Começou tão rápido, pode ir embora rápido também. Não pense que eu sou uma louca ou qualquer outra coisa, não sei se lembra, mas eu disse que sou movida a sentimentos e isso é uma prova disso.
Fica bem.
Eu ficarei.

domingo, 22 de maio de 2011

o que será?*

Será que ela é sapatão?
Ou será que ela me olha porque acha que eu sou sapatão?
Ou, ainda, será que uma onça cheira a outra?
Ou o mundo é, realmente, gay?
Ou será que eu sou louca e nem passa por nada na cabeça da pessoa?

*Falando da cobradora do ônibus que eu pego todos os dias para ir trabalhar.

PS: A palavra "Sapatão" não é pra ofender ninguém.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

acho que não



será que tiraram o melhor de mim?
e eu amo essa música, simples assim.

terça-feira, 17 de maio de 2011

e dói

"Acho que a única razão de sermos tão apegados em memórias é que elas não mudam, mesmo que as pessoas tenham mudado."

Uma amiga me mandou isso essa semana, eu poderia escrever um texto enorme e cheio de explicações, mas não.
Eu só quero dizer que ando sentindo uma falta sua e me dói.


PS: não sei de quem é a frase!

sábado, 14 de maio de 2011

sentimento

Eu não queria que existisse sentimento, ainda mais essa coisa que é tão grande e tão estranha, em tão pouco tempo, porque, de verdade, eu não sei o que você fez comigo e sei lá, to meio cansada de um bocado de coisa, ainda mais porque você deve me achar uma louca ou qualquer outro adjetivo que você deve usar quando eu falo ou faço alguma coisa fora do comum, mas é por isso, eu não gosto de ser comum, eu não gosto de ser igual a todas as pessoas que você conhece ou já conheceu. Ainda penso em ser uma árvore, mas eu sou movida a muito sentimento, eu sou muito intensa em tudo o que eu gosto, e árvores não tem isso.

domingo, 8 de maio de 2011

Do amor e outros demônios*

"Disse que o amor era um sentimento contra a natureza, que condenava dois desconhecidos a uma dependência mesquinha e mal sã, tanto mais efêmera, quanto mais intensa."



*Gabriel Garcia Marques

sábado, 7 de maio de 2011

acho que cabe...

Eu juro
Eu não sei porquê você
Você é mais bonita que a flor
Quem dera
A primavera da flor
Tivesse todo esse aroma de beleza que é o amor
Perfumando a natureza
Numa forma de mulher.


Composição: Carlos Lyra / Vinícius de Moraes

terça-feira, 3 de maio de 2011

2.1

E como eu sempre digo (eu e Cazuza): o tempo não para.
Mais um ano de Flor, mais uma pétala. Sim, fico mais velha e mais uma vez eu venho dizer: é estranho falar vinte-e-um rs. Ainda não me acostumei com essa história. Quem leu o post do ano passado, pode ser que entenda a "quase depressão" que eu entrei rs.
Bom, estou eu aqui, novamente. Espero que o ano que vem eu possa estar aqui ainda e dizer: eu não me acostumo com os vinte-e-dois.
To meio sem assunto hoje, acho que tenho motivos para isso.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Para que se entregar?

Eu pensei muito sobre isso na noite anterior. Para que/quem você se entrega? Mas o que você entrega? Você tem certeza que se entrega? Me fiz todas essas perguntas e não tive muitas respostas, ou tive todas elas em uma só.
Eu ainda acredito nas pessoas.
Com certeza todas elas tem falhas, defeitos, fazem coisas que a gente não espera, mas são pessoas, ser humano é e sempre vai ser assim. Eu faço isso, você que me lê faz isso e tenho certeza que agora está passando pela sua cabeça o que você faz ou já fez.
Mas para que se entregar? Por que se entregar?
Por que você gosta? Por que você confia ou quer começar a confiar? Existem coisas que acontecem conosco que não tem explicações.
E agora, para quê mentir? Uma vez me disseram que quem mente pra si mesmo é capaz de qualquer coisa. E eu concordo com isso. Se você não quer se entregar, por exemplo, não encha o próximo de esperanças. Não diga que quer gostar dela (e), não diga nada, deixe as coisas acontecerem, se for pra ser vai ser, se não for, não vai e pronto! A vida vai seguir, ninguém vai morrer e ninguém irá ficar com raiva de nada e de ninguém.
E mais, pra que usar de um deslize, de uma coisa insignificante (porque quando coisas são insignificantes na vida não temos motivos pra contar) para usar como uma "desculpa" de "não quero mais". A verdade é: acredito que as pessoas desse mundo tem medo das mesmas pessoas e essas pessoas ficam com essa coisa de não se entregar pra outra com medo - de novo - de que aconteça coisas ruins novamente. MAS É FATO DE QUE SE VOCÊ NÃO TENTAR DE NOVO NÃO VAI SABER SE VALE OU NÃO. Já dizia Raul "tente outra vez" então tenta, ainda mais se você quiser saber o que vem por aí, não se prenda nessa bolha que você formou, não fique preso ao seu passado, não deixe de acreditar nas pessoas por causa de uma outra. Ok, as pessoas erram, mas pra TUDO nesse mundo dá-se um jeito e esse jeito é nós quem temos que dar.


Huuum, Flores me deixam bem.

ao som de belchior

quero conhaque,
quero amores,
quero flores,
não quero dores,
quero sentir sede,
não sinto sede,
quero a sua mão em minha cintura,
quero gritar,
extravasar,
quero paixões efêmeras,
quero qualquer coisa que me tire de mim.
não quero mais nada.
eu nunca quis nada.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

absurdo

nada importa.
só sei que o coração dispara,
a mão sua,
o estômago dói - isso são as borboletas passeando.



que paixão mais estranha é essa, Deus?

segunda-feira, 18 de abril de 2011

because my love is real*

eu não sei explicar a sensação, ou até saberia...
meu coração dispara, eu começo a suar e se eu estiver andando, tenho que me controlar pra não tropeçar em nada.
como eu disse, você não precisa entender nada, continue assim.


*Soldier of love - Pearl Jam

quinta-feira, 7 de abril de 2011

sim, as borboletas fazem arte em meu estômago!

são tão engraçados esses nossos disfarces não disfarçados. esses sorrisos e esses olhares que não conseguimos controlar. ainda mais os "tchau's" que nos damos ao longe (aqueles que sabemos que tem sempre alguém olhando). os toques de pele quase-sem-querer. as nossas caras de: nãoseioquefazerquandovocêestáaqui. o teu querer tão diferente do meu, mas tão bonito e envolvente. os nossos medos iguais. os problemas diferentes. o sentimento quase perfeito...

é, essas coisas são engraçadas.
e doces.
e bonitas.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

borboletas


eu tremi, suei e senti algo no estômago...

... será que eram as borboletas?

domingo, 27 de março de 2011

estou disposta a ter o que me faz bem.

terça-feira, 22 de março de 2011

E ao ler o cometário anterior...

O melhor caminho.

Qual foi o melhor caminho? Esse que estou seguindo? Esse que me permiti seguir? Esse de deixar as coisas acontecerem nas melhores horas, mesmo quando achamos que são as piores? É, tão cedo pra poder responder essas perguntas, mas o que mais posso fazer se eu me sinto bem? O que mais posso fazer se me sinto feliz?
Eu começo a achar que o melhor caminho foi esse que você me deu, esse que fez você sair da minha vida e me fazer olhar para os lados - todos tornaram-se ponte para que eu chegasse até você* -, olhar para o lado e ver o quão especiais são as pessoas e continuar acreditando que as coisas podem dar certo, que ainda é possível confiar em outras pessoas, e mais, que é possível sentir algo bom por alguém.
Mas é, eu não duvidei de nada disso.

*Monalisa - Jorge Vercilo
(esse trecho se refere ao que vivo hoje e que eu acho que pode ser tão mais que bom, a hora necessária eu falo mais)

segunda-feira, 14 de março de 2011

guardar

eu não quero saber qual é a hora de guardar. mesmo sentindo que eu devo fazer isso, mas me dói mais guardar do que deixar assim, florindo, alimentando, mas também faz mal alimentar sendo que você não come. do que adianta? o que seria melhor? mais perguntas sem respostas, mas não estou preocupada com isso, não mais. como eu disse, sabemos que eu estarei aqui. até quando eu não sei, mas eu estou aqui.

domingo, 13 de março de 2011

mafalda

e eu também achei que fosse.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

pra terminar

hoje eu me senti calma, não veio aquela angústia que eu já estava me acostumando a sentir, mesmo com todos os problemas diários de trânsito, relacionamento, trabalho, pessoas e tudo o que possa me incomodar, eu me senti calma. eu me sinto bem agora ao escrever isso, mesmo que não seja nada muito interessante para quem lê, mas saiba que é um bocado para quem escreve.
hoje eu senti vontade de fotografar de novo - não que eu seja uma ótima fotógrafa, ou que eu seja uma fotógrafa (rs), mas só alguém que gosta de fotos - senti vontade de ler (e li quase um livro todo), eu já estava me sentindo burra e desentendida de tudo. eu não faço a mínima ideia do que aconteceu, eu não me lembro de ter dormido bem, pelo contrário, acordei diversas vezes com a sofia fazendo suas traquinagens pela casa - antes eu tinha o sono bem pesado - hoje o dia rendeu, fiz mais do que eu deveria no emprego - e meu belo emprego -, ouvi john mayer o dia todo - tem dias que eu sinto muita falta dele - mas ainda parece que existe um vazio aqui dentro, acho que eu preciso de outras palavras ao pé do ouvido.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

sobre o nada - ou sobre o muito

eu gostaria de ter a ilusão que eu poderia ser sua, ou pelo menos me sentir sua. ainda mais porque eu sinto falta de quando eu escrevia alguma coisa, algo que fosse meu e eu sentia um certo prazer em ler, o que não acontece mais e não sei o motivo, não, a culpa não é sua e nem minha, não existem culpados, não queremos culpados, queremos o que eu não sei o que é, e que talvez, eu não queira mais saber, mas também, pode ser aquela curiosidade egoísta que eu tenho de querer saciar isso que existe aqui dentro e que só faz mal ao outro.
eu tenho medo de um bocado de coisa que eu não tinha e que eu achava estar preparada para enfrentar quando acontecesse, o ruim é isso, achamos uma coisa antes de acontecer e quando acontece, não é nada daquilo que imaginamos e nos preparamos - se é essa a palavra que eu devo usar. na verdade, eu já não sei de tanta coisa, já não sei mais o que fazer, que atitudes tomar, penso em uma coisa, faço aquilo e depois desfaço e não quero mais, eu nunca quis, mas acho que seja necessário, às vezes não é eu estou me enganando, mais uma vez.
eu não entendo nada, não quero que entenda nada. mas quero muito.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

nada mais do que ouvir a voz.

tem horas que palavras são necessárias

"Acho que é isso que vocês não são capazes de compreender, que a gente, um dia, possa não querer mais do que tem." - Caio F.

é, eu não quero mais do que eu tenho, o que eu tenho (o que você me dá) já basta. pode não parecer, na verdade, eu sei que pode parecer muitas coisas, mas a verdade é que quando nos sentimos bem com algo queremos aquilo, mas eu também sei até que ponto eu posso ter você e o que tem para oferecer, por mais que não acredite nisso.

enfim, eu amo você!

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

'breu-branco'

a lua estava linda.
tão linda que, naquele momento, poderia ter uma pane no sistema de iluminação das ruas e, eu tenho certeza, que ficaria o 'breu-branco' mais belo do mundo.

será que você via a lua?

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

nota

o silêncio me revolta.
isso não é novo. é, eu demoro para me acostumar com novidades.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

cansada!

fim.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Charles*

Caí em meu patético período de desligamento. Muitas vezes, diante de seres humanos bons ou maus igualmente, meus sentidos simplesmente se desligam, se cansam, eu desisto. Sou educado. Balanço a cabeça. Finjo entender, porque não quero magoar ninguém. Este é o único ponto fraco que têm me levado a maioria das encrencas. Tentando ser bom com os outros, muitas vezes, tenho a alma reduzida a uma espécie de pasta espiritual. Deixo pra lá. Meu cerébro se tranca. Eu escuto. Eu respondo. E eles são broncos demais pra perceber que eu não estou mais ali.

Bukowski*

Ain't love the sweetest thing?



eu, simplesmente, amo essa música!

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

estranha.












i'm strange - and not is today.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

tem horas que não dá mais

a intenção não é magoar e nem falar verdades, tanto porque não fui eu quem procurou ninguém.
tudo começou com um pedido idiota de amizade numa rede social imbecil.
há muito tempo não me lembro quem você é, ou o que você foi um dia, simplesmente, você passou, passou mesmo, diferente de outras pessoas que permanecem em minha vida com um sentimento de carinho muito forte e bonito, pessoas que eu quero bem e fico feliz de encontrar.
sabe o que mais me incomoda? é quando eu falo alguma coisa (que já estava engasgada na garganta) não é porque eu preciso falar e sim, porque eu sou má e não ligo para o sentimentos da pessoas e não lembro do que foi bom que aconteceu (isso eu não lembro mesmo, nem consigo lembrar das coisas ruins que aconteceram, sabe? realmente foi passageiro - até demais.). já estou acostumada a ser o monstro, pode ser que agora eu esteja mesmo sendo um.
a verdade é: nunca te desejei mal, nunca quis te ver mal, como também nunca te desejei o contrário, és uma pessoa totalmente indiferente para mim.
então, não me venha pedir para eu te esquecer ou parar de falar alguma coisa, eu já fiz isso há muito tempo, faça você agora.

inferno!

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

eu quero que me fale "nós"

veja só, meu bem, tudo o que tinha, tudo o que ainda tem - por menor que seja, na verdade ainda tem muito e não sei por motivo eu falei no passado - é seu. ainda me sinto sua, não se se me sente sua, ou se ainda quer que eu seja o que estou aqui para ser. não sei se ainda espera algo, eu espero muito. espero porque eu sou um ser passional e com um bocado esperanças. isso contradiz muita coisa, mas eu disse, também, que tudo poderia mudar. eu sinto falta de muita coisa, mas as coisas mudam, as pessoas mudam. eu já disse, não são cobranças, eu só estou arrancado (aos poucos) todas essas sensações de mim, pode ser o que eu queira depois, mas agora é a minha necessidade. não quero que veja poesias aqui, não quero que entenda, não quero que me fale nada, ou melhor, eu quero que me fale "nós". eu quero você, assim, como você é, sem tirar, nem por, sem retocar o que possa existir de errado, (eu ainda sinto que você seja o tal dos sonhos). assim como somos. e como ainda podemos ser. acredito que podemos.
sim, eu amo você.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

belo.

Acontece isso comigo.

"Você sente saudade demais de uma pessoa, então começa a vê-la nas outras, em todos os lugares, de costas, por um jeito de andar, de sorrir."

Caio F.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

ou não guardar

eu senti a felicidade correr pelas minhas veias, senti o cheiro dela em meu suor.

nome pra quê?

Eu fui para a Augusta a noite passada, lembrei de você. Quando saímos pela primeira vez, foi pra lá que fomos. Tomamos café e depois fomos pra um boteco barato e perfeito. Bebemos várias cervejas, fumamos vários cigarros - eu parei de fumar, sabia? - e falamos muito das nossas vidas. Depois nos encontramos em um showzinho em algum SESC. Show do Nando Reis.
Depois disso eu não me lembro de nada mais.
Muitas coisas aqui mudaram, acredito que aí também.
Eu gosto de você e sinto saudades - de verdade.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

entendo perfeitamente

realmente, não queremos jogar as pedras na cabeça de alguém, mas mesmo sendo sem querer, não quer dizer que não doeu ou não vai doer.
não estou colocando culpas em pessoas. isso são só algumas coisas que vieram até mim agora, apenas.
eu gosto de te abraçar e ficar perto, gosto de sentir o cheiro de sono, gosto de te ver dormir, de ouvir a sua respiração na minha nuca, dos seus braços me cobrindo, gosto quando você diz que gosta de mim, quando me chama de "nega; minha menina bonita; cara de paçoca; branquela...", gosto muito de ter você perto de mim. gosto de ouvir a tua voz.
eu sei, também, que eu sou uma pessoa muito chata, talvez eu também seja uma criança grande.
eu te gosto, isso é fato!
(...)
Nada me resta
A não ser
A vontade de te encontrar
E o motivo eu ja nem sei
Nem que seja só para estar
Ao teu lado só pra ler
No teu rosto
Uma mensagem de amor

Léo Jaime

sábado, 8 de janeiro de 2011

\o/ ¬O

mente vazia
coração cheio

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

eu sei que...

... eu vou explodir de tanta sensação boa!