happines is found inside your heart.

domingo, 28 de novembro de 2010

é tudo de momento e é tudo uma grande merrrda (é, com três erres)

To com saudade de você debaixo do meu cobertor e te arrancar suspiros, fazer amor. To com saudade de você na varanda em noite quente, e, o arrepio frio que dá na gente - truque do desejo. Guardo na boca o gosto do beijo...

Eu sinto a falta de você, me sinto só. E aí! Será que você volta? Tudo à minha volta é triste. E aí! O amor pode acontecer de novo pra você

To com saudade de você, do nosso banho de chuva, do calor na minha pele, da língua tua. To com saudade de você censurando o meu vestido. As juras de amor ao pé do ouvido...

Eu odeio essa música, mas enfim. É o meu momento, é o que eu penso agora. É o que eu quero agora (na verdade, eu quero faz tempo), mesmo falando tudo o que eu já tenha dito. Eu também sou inconstante, isso é fato. Mas isso mostra tanto o que eu to sentindo, não tem uma outra forma expressar porque é tudo isso, é o que eu quero, é o que eu sinto e é a minha dúvida.
Será que eu deveria ter dúvidas?

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

saudade de você

Eu tive um sonho tão bonito. Será que um dia ele se realiza? É, ainda a história do tempo. Não tem como saber. Eu sinto frio, mas aqui tá quente. Acho que nunca, em toda vida, eu quis ser uma árvore como eu quero hoje. Eu não quero sobreviver.

+++

Um dia você falou: e se um dia você acordar e ver que tudo isso foi um sonho, ficaria com saudade de mim ou do sonho?
Sim, saudade de você... e do sonho.
Será que você era o homem dos meus sonhos?

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

eu procurei tanto por essa música



Que foi que eu fiz pra não merecer
Um beijo mais quente que a boca do povo viria dizer
Dizer que me amas, que és meu amor
Mas onde procuro, a côr desse olho é denso negror
É como o bafejo da hidra de sal
Dragões do meu sono, que rasgam anúncios na televisão


E é cristalinO.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

a dança louca das borboletas

E as borboletas estão invadindo
os apartamentos, cinemas e bares
Esgotos e rios e lagos e mares
Em um rodopio de arrepiar
Derrubam janelas e portas de vidro
Escadas rolantes e nas chaminés
Se sentam e pousam em meio à fumaça
De um arco-íris, se sabe o que é

é tudo culpa do tempo


é fácil culpar assim.
me disseram que o tempo cura tudo, cura as feridas, as mágoas, as coisas todas. o ruim é que cura quando ele quer curar rs, não é nada quando a gente quer, eu queria, hoje, ter acordado a pessoa mais animada do mundo, mais feliz, mais sorridente e tudo mais, mas não. isso fica sem graça, se conseguíssemos tudo o quiséssemos assim de graça não ia valer a pena, como tanta coisa não não vele na vida. enfim...
eu to assim, insossa.
e ainda me disseram que eu transformo as coisas em poesia, quem me dera. isso me deixaria um pouco melhor, mas confesso, ouvir (ler) isso foi bom para o ego.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

é rápido...

eu sinto alguma felicidade alheia no ar.
não, isso não é bom.
e, na boa, eu não vou tentar explicar. não aqui, não agora.
ou também, pode ser paranóia.
enfim...

---

e esse (fim de) ano não tem baile (do baleiro)!? oh vida.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Ah Caio...

"e me dá uma saudade irracional de você. uma vontade de chegar perto, de só chegar perto, te olhar sem dizer nada, talvez recitar livros, quem sabe só olhar estrelas…"

terça-feira, 9 de novembro de 2010

talvez seja

acordei com uma puta dor de cabeça e atrasada. uma merrrda. acordei na noite diversas vezes. telefone tocando, portas batendo, pessoas falando, não me lembro se isso foi sonho ou foi real, mas eu só lembro dessas coisas.

"quando você diz o que ninguém diz, quando você quis o que ninguém quis, quando você usa a lousa pra que eu possa ser giz, quando você arde alardeia sua teia cheia de ardis, quando você faz a minha carne triste quase feliz."

e quantas vezes eu irei me perder nesse trecho?

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

avassalador


chega sem avisar
toma de assalto, atropela
vela de incendiar

arrebatador

vem de qualquer lugar
chega, nem pede licença
avança sem ponderar

domingo, 7 de novembro de 2010

eu amo dormir contigo.

fim.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

pecadinhos

cordeiro de deus que tirai os pecados do mundo, tende piedade dos pecadinhos que de tão pequenininhos não fazem mal a ninguém.

perdoai nossas faltas, quando falta o carinho, quando flores nos faltam, quando sobram espinhos.

eu que vivo na flauta, vivo tão pianinho. vou virar astronauta, pra aprender o caminho.


Zeca Baleiro

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

é quando a gente sente uma coisa ruim aqui, sabe?

eu nunca fui boa com pressentimentos e espero que eu continue não sendo. eu quero, por demais, estar errada.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

é, eu gosto de você - e isso me basta III

eu não quero ouvir nada que não seja a voz bonita no pé do meu ouvido e, também, não quero sentir nada que não seja o toque bom das mãos - suadas - em minha pele.
é isso, eu gosto mesmo de ti.

mas nem é mais agosto

é bem estranho.
uma vontade de chorar, sabe? uma coisa meio que incontrolável. é ruim, é bem ruim, e uma sensação péssima, acho que é isso que se sente quando não consegue controlar alguma coisa, quando não se tem controle com o corpo, com a mente. é, acho que é isso.
eu to sentindo uma coisa muito ruim, e é pior ainda não saber explicar, porque é isso, eu não sei, eu não sei isso tudo me incomoda, não é de agora, não foi ontem que começou a me incomodar, isso me incomoda desde sempre, desde quando eu já tinha descoberto que não tinha explicações, que eu não tenho argumentos e todas as coisas.
eu queria falar tantas coisas, falar muito mesmo, mas eu não consigo colocar tudo aqui, eu não sei formular aquilo que eu quero que saia daqui. mas eu queria que essas coisas passassem, entende? entende o que eu to falando?
acabo de ouvir a frase num filme qualquer aí: "para acertar, primeiro precisamos saber o que tá fazendo de errado". é, faz sentido.
mano, sou muito sem noção.
eu sei que nada disso precisa de uma explicação exata, não mesmo. como muitas outras milhoes de coisas não precisam, basta estarmos aí para qualquer outra coisa rs. que merda, o que eu to falando?
eu não quero ter que arrancar um abraço e não quero que arranque uma conversa. tenho certeza que essas coisas dão pra ser de um jeito muito mais simples, muito mais bonito e diferente. não é cobrança, não pra você, mas acho que é cobrança para mim mesma, é o lance do egoísmo. eu sou egoísta. mas é frase de cima. e se eu estou disposta? sim. e o quanto que eu estou disposta? o suficiente. o suficiente.
eu quero ouvir something.