happines is found inside your heart.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

barra de alguma coisa

parece que tem alguma coisa engasgada aqui, é ruim a sensação, é ruim sentir essas coisas, ainda mais quando faz muito tempo que não se sente e já tinha esquecido como era sentir esse tipo de coisa. eu não tenho muito o que falar, parece que a cabeça tá oca, parece que não vai sair nada que preste, mas isso é normal, não é? rs. eu não ligo pra isso faz um bom tempo. acho até engraçado, sim, tem graça esse tipo de coisa, pelo menos pra mim, não pra você que não entende o que eu digo (isso não parece meu), mas eu não quero que entenda também, parei de cobrar esse tipo de coisa do ser humano (nem isso. é, aprendo muito com você, de verdade), tenho certeza que a Sofia me entende muito mais que qualquer outro ser.
isso tudo está tão estranho, não sei, às vezes, não parece que eu estou aqui digitando esse monte de coisa, parece outro alguém, alguém que eu não conheço. huum, John Mayer, fazia tempo, sei lá, alguns poucos meses. até tirei do aleatório, senti saudades mesmo. vou colocar de volta no meu mp, que estranho, bateu saudade mesmo de ouvir essas músicas, eu tenho medo de algumas coisas e esse tipo de coisa que eu não sei explicar, como muita coisa que eu não sei e não tento também, não vale a pena? não sei se é isso, acho que é só porque eu não quero mesmo.
acabo de teclar em alguma coisa e aparece uma barra lá em cima, algo que eu não sei mais tirar, fico puta com esse tipo de coisa (eu podendo me preocupar com outras coisas, não?) enfim, eu não gosto. bom, deixa ela pra lá, eu tento não olhar. acabei esquecendo tudo o que eu ia falar. mas eu não ia falar nada, não tem nada pra falar. nossa, nada com nada, como sempre. era só apertar com o botão direito e desativar? oh vida!
sinto sede.
sinto fome.
sinto sono, ainda.


heavy love

Feche a cortina
Desligue o rádio
A televisão sem som
Já é um bonito quadro

Pro nosso amor descarado
Virado (virado)
O mundo lá fora
Não vale pra nada (pra nada)

Eu não sei se o nosso caso
Vai durar ou não
Se o que sinto por você
É doença ou paixão



Cazuza
Composição: Cazuza / Roberto Frejat

domingo, 29 de agosto de 2010

...

vou pintar as unhas com o vermelho desejo...

...caso você venha

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

"se o mal é meu, é seu também"

vamos deitar na grama, ou na varanda, pode ser uma tarde de sol, ou uma tarde nublada, ou uma tarde qualquer, com um clima qualquer, simples assim.
é porque to com saudade dos teus braços cobrindo o meu corpo, a tua língua quente em minha orelha, minha nuca, tua voz no meu ouvido, o cheiro bom da tua pele...

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

e foi












Flor de Azeviche.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

encanta-me

A gente ia caminhando feito um bando de jovens gigantes de mármore e bronze.
Andávamos lentos sem perceber que o caminhar só fazia aparecer o ermo de pedras
e poeira por toda a paisagem.
A gente ainda esperava encontrar numa tabuleta de madeira podre, escrita com letra rústica a toco de carvão, "aqui é o fim do mundo".
É que a gente ainda não sabia.

---

fazer poesia com o corpo que despistes
se entrega toda: caule, folha e pétala
raridade tão discreta
mais olhasse menos eu visse
abrindo os lábios nos meus lábios
minha alva flor de azeviche

Sr. Escaleno.

domingo, 15 de agosto de 2010

é, eu gosto de você - e isso me basta.

não, você não me chateia com as suas explicações, com as suas palavras, confesso que chega uma hora que eu não presto a atenção no que diz, mas presto no tom da sua voz - que eu gosto, é eu gosto, do mesmo jeito que gosto do sotaque -, nas sílabas que sai, dos gestos, de como me olha quando conta alguma coisa, sabe quando arregala os olhos? então, é isso que eu falo, gosto de deitar no teu colo e você começa a bagunçar o meu cabelo, gosto de te fazer cafuné, de morder seus lábios. eu gosto de te ouvir, já te falei isso, isso é tão bom pra mim, sabe, eu gosto também de ouvir você cantar, e gosto do teu silêncio, sim, eu sei que eu, flor, não gostava, mas o seu gritou pra mim.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

ei, cara de mamão

eu queria conseguir descrever essas milhões de sensações que se passam aqui dentro quando eu penso e estou com você, mas você é foda, me deixa assim, sem palavras, toda boba. obriagda por isso, às vezes, é bom.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

musiquinha booouuua

"Para ver se eu aprendo alguma coisa nessa parte do caminho"

será que as coisas são efêmeras?
se for, eu aprendo.

"Hoje é o tempo p'reu ficar devagarinho; com as coisas que eu gosto e que eu sei que são efêmeras"

nada a dizer, nada mesmo.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Errar o idioma

"há certas belezas no teu riso, no teu rir que nem ouso falar. me comovem, amedrontam também. parecem maior do que as coisas que acho que mereço. e é tudo sempre tão simples que não tenho ímpetos de fazer mais nada além de olhar, de me perder em você contemplando as sutilezas dessas suas belezas que me surpreendem sempre que te vejo. como se não houvesse olhos suficientes para dar conta das coisas miúdas que você carrega - e nem sabe que carrega. tenho retinas famintas por lamber seu corpo, mais que isso, por mordiscar sua alma, o que você pensa, o que você fala, o modo como vê e como cheira."

Sr. Escaleno.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

agosto

"não há quem possa se esconder no escuro."

porra, não tenho o que dizer, não mais, ou não agora.
mas eu te gosto! talvez seja só por isso, nada mais, e nem sei se você liga pra isso, mas ah, é tão bom cheirar o seu pescoço e sentir suas mãos em meus cabelos...