happines is found inside your heart.

domingo, 27 de junho de 2010

Qual é o meu destino?

"- A morte é uma parte da vida, é o destino de todos nós. Eu não sabia disso, mas o meu destino era ser sua mãe. Fiz o melhor que pude.
- Fez muito bem.
- Só que eu acredito que nós fazemos o nosso destino. Deve fazer o melhor possível com o que Deus lhe deu.
- Qual é o meu destino, mamãe?
- Você terá que descobrir sozinho. A vida é uma caixa de bombons, nunca se sabe o que vai encontrar."


"As vezes parava de chover e as estrelas apareciam. Aí era bonito.
como no mar um pouco antes do sol ir embora. Trinta milhões de pontinhos de luz na água. como aquele lago na montanha. Era tão claro, Janny, que parecia que tinha dois céus, um em cima do outro. E no deserto, quando o sol nascia não dava para ver onde terminava o céu e começava a terra. Era tão bonito."

...

"Mamãe sempre dizia que morrer faz parte da vida. eu queria que não fizesse. Eu não sei se mamãe está certa ou se o Tenente Dan é que está. Não sei se cada um tem um destino ou se só flutuamos sem rumo, como uma brisa, mas acho que talvez sejam ambas as coisas. Talvez as duas coisas acontecem ao mesmo tempo."



Esses são trechos do filme Forrest Gump que eu assisti hoje e que achei lindo. Antigo, né?! Eu sei, sempre quis assistir, comprei essa semana. Enfim, isso não interessa. O que interessa, amei o filme, chorei algumas vezes, já não é novidade eu falar que choro em filmes [rs] e a trilha sonora, uhuu, perfeita, acabo de baixar. Tá afim também? Clica aqui oh: CD1 e CD2

Hoje foi o domingo da preguiça, determinei isso na minha vida para hoje. Nada melhor, assisti os jogos de futebol. Alemanha x Inglaterra. Depois alguns episódios de "Os Normais" - segunda temporada - depois o jogo de Argentina x México [detalhe, dormi no fim do jogo hehehe]. Acordei, assisti o filme depois mais "Os Normais". Tudo isso embaixo das cobertas. Quer coisa melhor? Sim, seria melhor se o ser do beijo bom estivesse comigo, maaas, isso não é possível -ainda-.

Beijos, pessoas.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

do beijo - bom -

ele vem me dizendo para ter calma, que não adianta eu tentar colocar o carro na frente dos bois, que tudo tem o seu tempo, mas ele mesmo sabe o que acontece aqui, a ansiedade, a vontade do beijo - boom -, o segredo, as borboletas que me rodeiam. ele sabe disso tudo e me pede para ter calma. como se pode ter calma nessa situação, se qualquer movimento, qualquer atitude me faz imaginar que é aquela presença, que é aquele meu segredo, aquilo que eu não posso fazer, e vem, de novo, aquela vontade do beijo - bom -, e mais, começo a sentir o toque, o cheiro... ah o cheiro é inesquecível... e o sorriso, ah o sorriso longo e sincero, sabe, a sinceridade da face, do beijo, dos olhos, das palavras. fecho os olhos agora, ele pede isso, imagino cada pedacinho de cada cena bem devagar, como se fosse para não acabar o que acabou. "acredite em você", ele fala sem parar. e eu queria muito acreditar que não foi só aquele beijo.

Ao som de:
Paisagem da Janela - Milton Nascimento

domingo, 20 de junho de 2010

FDS riclo [já dizia a amiga que me ama demais - Le -]

E tem um tempo que eu não venho falar da minha vida, o que tenho feito, o que acontece e etc. Então, hoje decidi falar sobre o fim de semana (que foi perfeito!) com os amigos queridos. Houve baladeeenha tudo de booom, houve jogo do Brasil e o melhor foi ver mais uma vitória (sim, sou patriota - e muito). Ando trabalhando muuuito, muito mais que antes, que vida é essa, né? huahauah; enfim, to sem assunto.

Vai uma fotenha da Flor pra matarem a saudade, porque eu sou dessaaas. ;]

terça-feira, 15 de junho de 2010

O meu psicólogo

Oh I'm never speaking up again
Starting now, starting now




Oh, the way she feels about me has changed
Thanks for playing, try again.
How could I forget?
Mama said "think before speaking"
No filter in my head
Oh, what's a boy to do
I guess he better find one

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Na época em que eu ia para igreja I


Me disseram um dia que sentir remorso não é nada bom, se arrepender também não, mas não é a mesma coisa, tem uma diferença grande que eu não sei explicar huahuahaua, estranho né? Mas eu lembro que falaram assim: "Judas Iscariotes se matou porque sentiu remorso.". Mas eu não quero ME matar, só quero morrer alguns dias.


Só aproveitando o post, hoje esse blog faz dois aninhos.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

em construção

Aqui dentro tudo se desfez e começa uma nova reforma, tudo desabou e começa uma nova reforma, o que tinha de doce permanece, mas agora com uma nova reforma, um novo toque, agora tudo será reformado, as coisas serão novas, nada do passado, mas não for possível nada mudar, tudo permanecerá e teremos que conviver com o que é de verdade, mesmo quando queremos mudanças.
Algumas coisas ficam: seletiva, chata, egoísta (não tem como mudar tudo de um dia para o outro).

terça-feira, 8 de junho de 2010

eu ouço vozes...

Eu ouço vozes, vozes que não me deixam dormir e que falam comigo toda hora, e nas horas mais inesperadas, às vezes até sinto medo, às vezes eu respondo, às vezes eu a mando calar, às vezes eu mesma quem puxa o assunto.
Uma coisa meio incontrolável, como muitas coisas aqui dentro, coisas que andam sem controle, coisas que eu não tenho mais controle, eu não tenho mais controle sobre mim, isso não é estranho? Não se ter controle do próprio corpo, das próprias palavras, das próprias vontades.
Quando me falavam esse tipo de coisa eu achava que todo mundo estava contra mim, ou que todos eram contra mim, agora eu ver todas essas coisas é algo mais difícil de engolir, entende? Não adianta ler e dizer que entende, porque eu sei que não, não é a mesma coisa, não somos pessoas iguais, não existe ninguém igual e não é nada igual aqui dentro de mim. Não quero que seja, não quero e não é.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

quinta-feira, 3 de junho de 2010

incontrolável situação de medo

eu fico a pensar tantas coisas, sabe o incontrolável que eu sei que eu posso não controlar? exatamente assim, sem entender. sabe? então, é um medo constante. medo a cada palavra que sai da minha boca que é referida a você. medo de não conseguir fazer o que não prometi a você, mas prometi a mim, um medo que parece eterno, um medo que, às vezes, me dá vontade de desistir e deixar a vida seguir, e você me diria: mas sem tentar? e eu responderia com outra pergunta: como sem tentar? estou tentando, mas tenho medo e não sabia que o medo era tão forte assim, algo que é tão incontrolável, incontrolável como a ira. aquela ira que você sabe.
nada disso é pra entender, eu não entendo, eu não entendo. o que eu quero dizer é que quero felicidade e pra tê-la eu sinto medo, e o medo é foda, porque ele aparece junto com aquilo que é incontrolável e eu queria poder manipular esses sentimentos, eu me sinto numa roda de fogo. como se não tivesse para onde correr, não tivesse o que fazer. e fico sendo repetitiva, porque eu preciso entender o que passa, preciso colocar na cabeça que isso pode passar, mas não dá, quanto mais eu lembro, mais agonia, mais raiva, mais vontade de quebrar tudo. não sei se vou conseguir, mas espero que entenda, assim como eu estou tentando entender. tentando entender. foi o que decidimos antes, então, que nós consigamos, se não der, mais uma vez, perdoe-me.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

talvez

Um medo aqui dentro, um frio, um desejo, um sorriso. Talvez, um beijo.