happines is found inside your heart.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

quer?

eu faço tudo pelo nosso amor, eu faço tudo pelo bem do nosso bem, meu bem, a saudade é minha dor e anda arrasando com o meu coração. e não duvide que um dia eu te darei o céu, o meu amor junto com um anel, pra gente se casar, no cartorio ou na igreja, se você quiser, se não quiser tudo bem, meu bem.

E será que quer?

terça-feira, 25 de maio de 2010

isso passa que eu sei, ou não sei...

Sinto que falta alguma coisa aqui dentro de mim, algo que eu tinha, algo que me faz falta. Uma coisa que eu gosto, enfim, eu sei o que é, mas agora é tarde, eu não queria acreditar e não queria que fosse verdade, mas eu mesma descobri, é pra chamar de meu, é a saudade, é o remorso, porque já não é mais arrependimento, é remorso.
fico ouvindo John Mayer o dia todo, baixei todos os discos do cara, e ando enfrentando uma super fossa, rs o último cd é tão romântico que eu quero te mandar todas as músicas, ficar um, a vida é estranha, as pessoas são estranhas e não é novidade eu ser estranha e pensamentos que eu não queria que fossem meus.
Enfim, eu to carente... to com saudade, to com remorso.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

sexta-feira, 21 de maio de 2010

que merda, não?

Mais uma vez eu caguei no saco, fiz algo e fui mal interpretada, saí da história como a infantil e a carrasca (essa parte não é novidade, eu sou um monstro hahaha), enfim, as coisas aconteceram da pior forma possível, enfim, tive uma noite péssima, não dormi nada e não parei de pensar, o que eu não deveria ter feito, claro, por que? Porque eu não tive culpa e não tenho que pensar no que as pessoas pensam. eu não era assim, eu não ficava pensando no que as pessoas pensavam a meu respeito, mas fazer o que? as coisas mudam, a vida muda e as pessoas podem mudar também, mas confesso que eu era muito mais feliz quando eu era daquele outro jeito, mas enfim, é foda, mas a vida é essa e não pode parar, continuando...

quarta-feira, 19 de maio de 2010

hahahaahaha adoro brincar com o tempo hahahahaha

eu tenho só sete minutos, adoro correr contra o tempo. Hoje eu sei que eu chego atrasada e acredito que eu vá tomar uma ocorrência, acredito também que vou passar no vestibular da etec, eu preciso passar e eu preciso conseguir outro emprego, que merda é aquela? Aff ainda bem que ninguém sabe que eu tenho blog lá e ainda bem que (se soubessem) não poderiam ver, por que? Porque tá trancado pra todo mundo e me sinto muito melhor assim, riclo.
enfim, só cinco minutos e mais, o tempo voa carai. São tantas coisas acontecendo em minha vida, ando confundindo tantas coisas e preciso agora ficar centrada em uma coisa só, apenas, estudar pra passar no vestibular, quero tanto trabalhar na área de meio ambiente, sair daquele lugar e etc, outra cosia que preciso fazer com rapidez é parar de falar de trabalho, preciso esquecer aquele lugar quando estou fora dele. Preciso e vou fazer, foi a última vez. Só falo de lá quando eu estiver saindo ahahhaa, estou tão má hoje, sei lá, pensamentos maquiavélicos hahahahaha riclo.
Beijo pra mim, pois só eu quem lê.
PS: consegui terminar antes do tempo que eu tenho, adoro correr contra o tempo.

sábado, 15 de maio de 2010

o tempo correndo e eu achando que estou super atrasada e nem é, olha só que vida. rs
eu me sinto bem hoje, amanhã, não sei mais. há. me disseram que o presente só duram três segundos, puta merda, memória de peixe? rs
sou dessas e to pirando.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Por que eu não posso escrever pra mim? Eu me sinto bem assim, e acho até mais interessante. há. riclo.
Ou melhor, eu posso sim escrever pra mim, apenas para mim, mas por que que os seres, ou melhor, algumas (poucas, muito poucas, pessoas) se incomodam tanto com isso? Ai que vida.

terça-feira, 11 de maio de 2010

eu me arrependo tanto e amargamente das coisas que fiz e que não fiz. mas acho que agora já não é mais hora pra falar de arrependimento, só que se eu pudesse voltar algumas horas, alguns dias, alguns anos atrás, eu não me arrependeria tanto, e talvez a minha vida fosse outra, completamente diferente dessa que eu vivo hoje, ou melhor, dessa que eu sobrevivo.
é um grito engasgado, é um choro preso, é uma vida que não faz mais sentido, porque eu já não sei mais o que faz sentido aqui dentro, não sei mais quais são as coisas certas e boas que eu devo fazer, já nada me consola e eu estou nessa, perdi, playboy. já era.

Amargo

E eu perdi, perdi por impulso, faço as coisas por impulso, agora o que eu posso fazer, nada. Fui burra, mais uma vez, hoje a garganta dói, tem um peso nas costas, fiz a coisa errada, mais uma vez e quando será que eu vou conseguir fazer a coisa certa? Será que um dia as coisas mudam? E quem sabe tudo volta a ser como era? Não, eu perdi, mas ia perder se eu quisesse. Ok, eu entendi. Só que o que adianta eu falar tudo isso e não acreditar no que eu disser mais? Eu entendo, eu entendo perfeitamente. O ruim é não saber resolver as cosias, o problema é o tempo, sempre o tempo, e dizem que o tempo resolve tudo, mas também o tempo passa e passa rápido, se eu não for rápida, as coisas não vão ser mais como eram antes, tenho que lutar por aquilo que eu quero, mas se eu não for rápida, não vai dar, e quem vai acreditar em mim ainda? Ou melhor, você vai acreditar em mim ainda? Eu quero tudo diferente, não quero nada perfeito, mas diferente. Vontade de pegar um vidro de remédio, ou de entrar na frente de um carro em altíssima velocidade, ou pular de uma ponte, ou de fazer qualquer coisa pra morrer agora. Eu me sinto muito burra. Se você for ler e quiser me falar alguma coisa ainda, se quiser ouvir ainda alguma coisa, você sabe me achar, sei lá, eu sou estranha eu sei, eu já não to entendendo nada, acredito que você também não, não quero te forçar a nada, como eu disse, eu caguei e taquei no ventilador, agora tem merda por todo o canto, o foda vai ser limpar. Eu preciso de um médico, ou eu preciso ir embora dessa vida de vez, e a minha vontade é a segunda opção. Eu realmente preciso me tratar, sabe a inconstancia? E quando eu achava que eu não era nada incostante, mas porra, eu sou, eu sou e além de ser inconstante eu sou uma pessoa com milões de defeitos, uma pessoa perturbada, começo a acreditar que eu preciso de um médico psiquiatra, ou um psicólogo, mas eu preciso de um médico, todo mundo diz que eu tenho que fazer o que eu acho certo, mas eu não faço as coisas certas, não mesmo. Só depois de feitas que eu vou ver a cagada que eu fiz. Foda não adianta mais falar essas coisas eu perdi e agora tenho que conviver com esse peso nas costas, no coração. Acredito que seja tarde, como tá escrito antes, talvez o tempo resolva as coisas ou não, aí conviverei com esse amargo para o resto do meu ser, isso se eu não acabar com ele antes.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

me desculpe um dia, se for possível

Eu não queria e nunca quis te magoar, eu sei que eu o fiz, mas nunca foi a intenção. O que me resta é me desculpar, se é que isso daria certo, se é que é o momento, as vezes não é, mas eu preciso falar.
O sofrimento tava sem tamanho, as brigas estavam descontroladas. Você sabe que eu não queria uma relação dessas, você também não queria, tenho certeza. como eu disse, eu não quero a relação perfeita, isso não existe, mas não conseguimos cumprir o que prometemos, prometemos não brigar, prometemos entender uma a outra, prometemos tudo o que não fizemos. Não quero culpar alguém, pois a culpa é de ambas, as coisas chegaram a esse ponto porque deixamos chegar, fomos empurrando e chegou até aqui. Chegou até onde chegou.
Sabe, mesmo sem você acreditar em mim, eu te amo, amo e sempre amei. Só que não acho que o amor cura todos os males, se existe amor e não existe respeito, confiança, companheirismo, para mim, não dá pra viver assim, só com amor. Não sei exatamente como explicar, mas eu penso assim. O amor é algo importante que deve existir, claro, mas precisa existir todas as outras coisas para que dê certo. Eu sei que não vai adiantar eu falar nada agora, mas é tudo o que eu to sentindo, estou sendo sincera, como sempre fui com você.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

tempo tempo tempo

E queria escrever um monte de coisa, mas só tenho seis minutos para ficar na frente do pc, será que dá tempo? Isso é punk, tem dias e dias que eu torço tanto para o tempo parar, exemplos típicos: quando eu to na casa da nega, ou quando eu to com ela, independente do lugar, parece que o tempo voa, só que demora tanto pra chegar a hora de vê-la. Isso é uma coisa ruim. Outro exemplo, quando eu quero que chegue logo a hora de ir embora do trampo, ficar lá sem fazer nada é úó. Também poderia parar o tempo nos meus dezenove anos (não sei a quanto tempo que eu vou ficar falando isso, mas é isso ae), não quer dizer que eu queria ter morrido aos dezenove, mas queria ter ficado com dezenove, eu, realmente, não sei como explico essa minha situação com o meu eu e os vinte anos de vida. Agora eu só tenho dois minutos pra terminar de escrever isso tudo, e nem sei mais o que escrever, ando meio sem criatividade, querendo fazer umas coisas, quero voltar a treinar judô, eu lembro que eu era uma pessoa muito mais leve e calma quando eu treinava, quero voltar a ser essa pessoa calma, bom não sei, o meu tempo tá acabando e eu nem to na lan house, to em casa mesmo, mas tenho que me arrumar, o tempo acabou. 10:00

baboseiras

O braço dói, acredito que eu tenha dormido em cima dele de novo, isso é ruim, trabalho com a mão (adoro ambiguidades kkkk).
enfim, essa semana demorou pra passar e eu não lembrei que eu tenho vinte aninhos, não mesmo. Sei lá, coisa estranha, ainda me sinto com dezenove, isso seria bom ou ruim? Não sei, mas sei lá, tudo no seu tempo, ok o tempo dos vinte chegou, certo. Mas eu não acho.

terça-feira, 4 de maio de 2010

a inveja de cada dia.

Como que alguém consegue sentir inveja? é algo tão feio, tão ruim e tão chato para a própria pessoa que inveja, claro, também para a que está sendo invejada. Eu acredito no tal do olho gordo. E acredito que as pessoas invejosas tem esse poder, às vezes nem é por mal, mas elas fazem e fazem e que se foda.
Conheço uma pessoa assim, engraçado é que ela sempre foi, só que sempre soube esconder, hoje em dia não, ela é descaradamente, mas não assume, sempre diz que quem tem inveja são os outros rs. Isso é muito foda, eu li um livro sobre inveja e vi isso no livro, um invejoso nunca vai assumir que é invejoso e pra ele nada vai estar bom, e sempre que você estiver feliz e falar alguma coisa pra ele (o invejoso) ele vai falar alguma coisa pra te deixar mal, e é isso que acontece com essa pessoa que eu conheço.
Sabe, no fundo eu sinto pena de uma pessoa dessas, porque depois quem vai sofrer sozinha é ela, ou melhor, é só ela quem sofre sozinha nessa história toda de inveja, de invejar, de querer o que não é dela, enfim.
Esse assunto é muito chato de falar, mas eu precisava jogar tudo aqui, porque só assim eu esqueço das coisas que acontecem, de verdade, eu ainda espero por um mundo melhor, com pessoas melhores, como eu respondi a uma pergunta no form, "O que precisa para mudar o mundo?" resposta "as pessoas". O que é verdade, só mudando as pessoas pode-se mudar o mundo, pelo menos pra mim.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

os vinte

Na madrugada do dia três de maio de 1990, ou melhor, no início da madrugada desse mesmo dia (00:30 para ser mais exata), nasce a Flor. Taurina com acendente em aquário. Super taurina e nada aquariada. Me disseram que eu não dormi na barriga da mãe, não dormi por isso que fiquei chutando minha mãe querendo sair e por isso que eu sou uma pessoa que consegue acordar cedo, mas eu não entendi muito bem essa filosofia.
Só que digo, os vinte chegaram e agora tem que encarar como se fosse super normal, tem que encarar e entender que são duas décadas vividas (e que eu viva mais duas, pelo menos). Será que me acostumo rápido com a ideia? Ainda tenho dez anos pra pensar em me-acostumar-a-ter-vinte-anos, ou na casa dos vinte? É, pra isso, é necessário me acostumar só com os vinte, antes de pensar no vinte e nove, por exemplo.
O que eu acho mais engraçado, é que eu sempre quis a minha independência, ter os meus vinte anos, ter meu emprego, ser mais independente de tudo, e hoje eu ando conseguindo tudo isso, mas tenho medo, não sei do que, mas tenho medo. Eu lembro de um dos livros da saga Crepúsculo, que a Bella quer ficar com dezoito anos para se tornar vampira, que ela não quer envelhecer, mas depois ela acha que ainda dá pra viver mais, porque depois será a eternidade. O que eu vejo de igual nisso? Eu queria ter ficado nos dezenove, quem sabe depois eu queira fazer vinte de verdade.