happines is found inside your heart.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

última postagem do ano II

hoje é o tal do natal e me veio lembranças de quanto eu tinha uns cinco ou seis anos, eu lembro que íamos quase sempre pra casa de algumas tias e quando eu chagava lá ficavam me falando pra eu repetir as palavras "Feliz Natal!" e eu sem saber direito o que eu estava falando... repetia. lembro-me bem de uma tia minha que quando eu cheguei segurou a minha mão e disse "como que fala hoje?" e eu fiquei muda rs, foi engraçado, depois ela falou "fala 'Feliz Natal'" e sim, eu falei com cara-de-bunda. (talvez fosse por causa dessas ocasiões - e algumas outras - que diziam que eu era uma criança chata rs, hoje dizem isso por outros inúmeros motivos que não vem ao caso hehe).
lembro também que minha mãe me carregava pra casa de várias pessoas pra ficar desejando isso aí, várias amigas dela, na verdade. ela tinha uma que morava umas três casas depois da minha, eu não sei bem por quê, mas eu adorava ir pra casa dela. lembro de uma vez que ela me deu um cacho de uvas verdes e eu me acabei na cozinha comendo uva enquanto as outras pessoas brindavam com cidra de maça, eu acho mesmo que era isso. a minha memória não é das melhores, ainda mais quando se trata da minha infância, mas eu consigo lembrar dessas coisas. lembro também (nessa mesma noite) que eu queria provar aquela coisa que brindavam (o que eu acho mesmo que era a tal cidra) e tomei do copo de alguém que deixou na mesa, não lembro qual foi a minha reação ao provar, mas também seria lembrar de muita coisa. eu não me lembro se nessa noite era natal ou ano novo, acho que não importa, não agora.
eu lembro de outros natais, mas também, não importa agora.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

última postagem do ano.

talvez seja também a mais chata. por que eu to chata, eu acordei chata e de mau-humor, acho que ainda não passou, enfim...
muitas coisas estão me cansando.
Internet me cansa;
pessoas me cansam;
músicas ruins me cansam;
trabalho me cansa;
a falsidade das pessoas me cansa;
acho que isso tudo é culpa do natal. eu não gosto de natal e festas e a falsidade das pessoas no fim do ano. além de parecer que o mundo vai acabar no dia 24 às 00h00, as pessoas tem que comer até se entupir, fazer unha, arrumar cabelo e comprar uma roupa nova. rs pode ser que não seja assim em todos os lugares, mas na maioria é o que eu vejo. odeio a cidade suja, essas luzes em todos os lugares possíveis e imagináveis. sim, eu acho que a cidade está horrível. fico até perdida quando ando em algum lugar a noite, é como se eu não estivesse passado por lá nunca em minha vida. fora o trânsito (ok, São Paulo já tem trânsito normalmente) que fica quando as pessoas vão ver a porcaria de uma árvore gigante e feia, ou quando vão ver uma apresentação estranha de um papai noel muito mais estranho que tudo que se viu.
sabe outra coisa que me cansa (que não tem nada a ver com o natal, mas vi isso esses dias num ônibus)? ver pessoas lendo zíbia gaspareto, mônica de castro, chico xavier e afins, ver pessoas chorando com esses livros me cansam mais ainda.
mas como dizia um amigo de muito "é melhor ser analfabeto do que ler esse tipo de coisa".
será alguém que lê esse bendito (ou maldito?) blog lê esse tipo de livro? nem vou pedir desculpas, porque eu não vou mudar de opinião, é foda, é to beeeem chata. pode ser que o ano que vem mude alguma (ou muita) coisa.
eu quero escrever muito mais, mas vai ser só para mim agora.
ósculos.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

eu também me senti muito bem de um jeito que eu não me sentia há muito tempo

eu te gosto.
sim, isso me basta!
ter você me basta!
o teu cheiro me basta!
suas mãos me bastam.
é, você todo me basta!
e me faz bem,
(ou mais que isso.)

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

grande.

eu quero muito ir para um outro lugar.
lugar com menos pessoas, menos trânsito, menos poluição. menos tudo que há aqui em São Paulo. me sinto como se eu já estivesse meu limite. é tudo muito estressante.
eu quero andar pela casa com móveis antigos, quero morar no meio do mato (rs) plantar e colher. é foda. São Paulo é grande demais e eu me sinto tão pequena no meio disso tudo.

Cabeceira

Intratável.
Não quero mais pôr poemas no papel.
nem dar a conhecer minha ternura.
Faço ar de dura,
muito sóbria e dura,
não pergunto
"da sombra daquele beijo
que falei?"
É inútil
fica à escutar
ou manobrar a lupa
da admiração.
Dito isto
o livro de cabeceira cai ao chão.
Tua mão que desliza
distraidamente
sobre a minha mão

Ana C.

hum, é. é, muito!

é bom sentir o seu cheiro a noite toda. é bom, também, ter os braços me cobrindo e me protegendo do frio dessa cidade estranha. é, melhor ainda, dar todos os beijos que eu te guardei.

é, eu te gosto, sim.
(é muito!)

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

de Caio

(Achei no blog da Má)
Coisa mais linda.

'Fiquei feliz em poder sentir tua falta, - a falta mostra o quão necessitamos de algo/alguém. É assim o nosso ciclo. Eu te preciso. Perto, longe, tanto faz. Preciso saber que tu está bem, se respira, se comeu ou tomou banho - com o calor que está fazendo neste verão, tome pelo menos uns três ao dia, e pense em mim, estou com calor também. Me faz bem pensar nessas atividades corriqueiras, que supostamente você está fazendo. Ah, e eu estou te esperando, com meu vestido longo, óculos escuros grandes e meu coração pulsando forte, e te abraçar até sentir o mundo girar apenas para nós. É, eu amo muito você.'

Ana C.

Sem você bem que sou lago, montanha.
Penso num homem chamado Herberto.
Me deito a fumar debaixo da janela.
Respiro com vertigem. Rolo no colchão.
E sem bravata, coração, aumento o preço.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

eu quero é tocar pandeiro!

eu te escrevi uma carta e não mandei, aquela coisa do tempo ainda, como se eu não tivesse sobrando. eu tenho um livro aqui pra você aquele que te prometi, já faz mais de um ano, é, fez aniversário. você vai se mudar e nada chega. eu não sinto vergonha da demora, eu sei que você não liga para isso, talvez, no fundo eu sinta um bocado, mas eu acho que eu perdi a mesma há um bom tempo e não sei se quero achá-la agora. não agora. não para mim e nem pra você.
hoje eu fiz loucuras que eu sinto falta de te contar, mesmo tendo esse mundo cheio de tecnologias a gente não se encontra mais, você é uma pessoa estranha, mas uma estranha que gosta de saber das minhas besteiras e pensa como eu em diversas coisas ou será que pensamos tudo diferente e por isso as coisas se encaixam? a não ser que você me engane muito bem, mas eu não quero saber. na verdade, eu já falei muito.
o que eu quero mesmo é tocar pandeiro.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

música do dia



"lembra do nosso abraço, beijo, sexo..."

domingo, 28 de novembro de 2010

é tudo de momento e é tudo uma grande merrrda (é, com três erres)

To com saudade de você debaixo do meu cobertor e te arrancar suspiros, fazer amor. To com saudade de você na varanda em noite quente, e, o arrepio frio que dá na gente - truque do desejo. Guardo na boca o gosto do beijo...

Eu sinto a falta de você, me sinto só. E aí! Será que você volta? Tudo à minha volta é triste. E aí! O amor pode acontecer de novo pra você

To com saudade de você, do nosso banho de chuva, do calor na minha pele, da língua tua. To com saudade de você censurando o meu vestido. As juras de amor ao pé do ouvido...

Eu odeio essa música, mas enfim. É o meu momento, é o que eu penso agora. É o que eu quero agora (na verdade, eu quero faz tempo), mesmo falando tudo o que eu já tenha dito. Eu também sou inconstante, isso é fato. Mas isso mostra tanto o que eu to sentindo, não tem uma outra forma expressar porque é tudo isso, é o que eu quero, é o que eu sinto e é a minha dúvida.
Será que eu deveria ter dúvidas?

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

saudade de você

Eu tive um sonho tão bonito. Será que um dia ele se realiza? É, ainda a história do tempo. Não tem como saber. Eu sinto frio, mas aqui tá quente. Acho que nunca, em toda vida, eu quis ser uma árvore como eu quero hoje. Eu não quero sobreviver.

+++

Um dia você falou: e se um dia você acordar e ver que tudo isso foi um sonho, ficaria com saudade de mim ou do sonho?
Sim, saudade de você... e do sonho.
Será que você era o homem dos meus sonhos?

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

eu procurei tanto por essa música



Que foi que eu fiz pra não merecer
Um beijo mais quente que a boca do povo viria dizer
Dizer que me amas, que és meu amor
Mas onde procuro, a côr desse olho é denso negror
É como o bafejo da hidra de sal
Dragões do meu sono, que rasgam anúncios na televisão


E é cristalinO.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

a dança louca das borboletas

E as borboletas estão invadindo
os apartamentos, cinemas e bares
Esgotos e rios e lagos e mares
Em um rodopio de arrepiar
Derrubam janelas e portas de vidro
Escadas rolantes e nas chaminés
Se sentam e pousam em meio à fumaça
De um arco-íris, se sabe o que é

é tudo culpa do tempo


é fácil culpar assim.
me disseram que o tempo cura tudo, cura as feridas, as mágoas, as coisas todas. o ruim é que cura quando ele quer curar rs, não é nada quando a gente quer, eu queria, hoje, ter acordado a pessoa mais animada do mundo, mais feliz, mais sorridente e tudo mais, mas não. isso fica sem graça, se conseguíssemos tudo o quiséssemos assim de graça não ia valer a pena, como tanta coisa não não vele na vida. enfim...
eu to assim, insossa.
e ainda me disseram que eu transformo as coisas em poesia, quem me dera. isso me deixaria um pouco melhor, mas confesso, ouvir (ler) isso foi bom para o ego.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

é rápido...

eu sinto alguma felicidade alheia no ar.
não, isso não é bom.
e, na boa, eu não vou tentar explicar. não aqui, não agora.
ou também, pode ser paranóia.
enfim...

---

e esse (fim de) ano não tem baile (do baleiro)!? oh vida.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Ah Caio...

"e me dá uma saudade irracional de você. uma vontade de chegar perto, de só chegar perto, te olhar sem dizer nada, talvez recitar livros, quem sabe só olhar estrelas…"

terça-feira, 9 de novembro de 2010

talvez seja

acordei com uma puta dor de cabeça e atrasada. uma merrrda. acordei na noite diversas vezes. telefone tocando, portas batendo, pessoas falando, não me lembro se isso foi sonho ou foi real, mas eu só lembro dessas coisas.

"quando você diz o que ninguém diz, quando você quis o que ninguém quis, quando você usa a lousa pra que eu possa ser giz, quando você arde alardeia sua teia cheia de ardis, quando você faz a minha carne triste quase feliz."

e quantas vezes eu irei me perder nesse trecho?

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

avassalador


chega sem avisar
toma de assalto, atropela
vela de incendiar

arrebatador

vem de qualquer lugar
chega, nem pede licença
avança sem ponderar

domingo, 7 de novembro de 2010

eu amo dormir contigo.

fim.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

pecadinhos

cordeiro de deus que tirai os pecados do mundo, tende piedade dos pecadinhos que de tão pequenininhos não fazem mal a ninguém.

perdoai nossas faltas, quando falta o carinho, quando flores nos faltam, quando sobram espinhos.

eu que vivo na flauta, vivo tão pianinho. vou virar astronauta, pra aprender o caminho.


Zeca Baleiro

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

é quando a gente sente uma coisa ruim aqui, sabe?

eu nunca fui boa com pressentimentos e espero que eu continue não sendo. eu quero, por demais, estar errada.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

é, eu gosto de você - e isso me basta III

eu não quero ouvir nada que não seja a voz bonita no pé do meu ouvido e, também, não quero sentir nada que não seja o toque bom das mãos - suadas - em minha pele.
é isso, eu gosto mesmo de ti.

mas nem é mais agosto

é bem estranho.
uma vontade de chorar, sabe? uma coisa meio que incontrolável. é ruim, é bem ruim, e uma sensação péssima, acho que é isso que se sente quando não consegue controlar alguma coisa, quando não se tem controle com o corpo, com a mente. é, acho que é isso.
eu to sentindo uma coisa muito ruim, e é pior ainda não saber explicar, porque é isso, eu não sei, eu não sei isso tudo me incomoda, não é de agora, não foi ontem que começou a me incomodar, isso me incomoda desde sempre, desde quando eu já tinha descoberto que não tinha explicações, que eu não tenho argumentos e todas as coisas.
eu queria falar tantas coisas, falar muito mesmo, mas eu não consigo colocar tudo aqui, eu não sei formular aquilo que eu quero que saia daqui. mas eu queria que essas coisas passassem, entende? entende o que eu to falando?
acabo de ouvir a frase num filme qualquer aí: "para acertar, primeiro precisamos saber o que tá fazendo de errado". é, faz sentido.
mano, sou muito sem noção.
eu sei que nada disso precisa de uma explicação exata, não mesmo. como muitas outras milhoes de coisas não precisam, basta estarmos aí para qualquer outra coisa rs. que merda, o que eu to falando?
eu não quero ter que arrancar um abraço e não quero que arranque uma conversa. tenho certeza que essas coisas dão pra ser de um jeito muito mais simples, muito mais bonito e diferente. não é cobrança, não pra você, mas acho que é cobrança para mim mesma, é o lance do egoísmo. eu sou egoísta. mas é frase de cima. e se eu estou disposta? sim. e o quanto que eu estou disposta? o suficiente. o suficiente.
eu quero ouvir something.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

nem o sol, nem a lua, nem eu.

enfim, eu também te amo.

Hoje eu encontrei a Lua
Antes dela me encontrar
Me lancei pelas estrelas
E brilhei no seu lugar
Derramei minha saudade
E a cidade se acendeu
Por descuido ou por maldade
Você não apareceu

Hoje eu acordei o dia
Antes dele te acordar
Fui a luz da estrela-guia
Pra poder te iluminar
Derramei minha saudade
E a cidade escureceu
Desabei na tempestade
Por um beijo seu

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

bode.

as vezes, sinto vontade de apagar tudo.

hoje acordei de mau-humor, maior do que os outros dias - os normais -, acho que dormi mal, minhas costas estão doendo. é, eu não acho, eu, realmente, dormi mal. acho que vou tirar umas fotos.

não sei onde, não sei o que, nem sei se eu quero tirar fotos, preciso procurar outras coisas, hoje eu não quero falar com ninguém. na verdade, eu quero sim, mas eu já não cumpri a minha palavra ontem rs, e sei que hoje eu ainda ligo.

queria ir ao teatro, ao cinema, um show, alguma coisa, mas não queria ir paro inferno, nem para o céu e... puff poderia ir para as 'trevas'. ficar o dia todo na cama, fazendo sexo e comendo besteira. não? é, não.

ah deixa pra lá, deixa tudo pra lá.

(flor bo-ni-ta da Flor)

árvore do cheiro bom

eu fiquei embaixo de uma árvore que tinha um cheiro muito bom, mas ela não tinha cara de que tinha o cheiro que eu estava sentindo. é estranho, mas eu acho que era dela mesmo.
mandei mensagens para algumas pessoas, liguei para outras, alguns responderam, ninguém me atendeu. fiquei ouvindo o mart'nália até dar a minha hora. sabe,? colocar a música para repetir diversas vezes rs.
acordei assim, sei lá. não quero escrever.
não tenho, acho que é isso.



Minha loucura
É te querer demais
A cabeça quer teu colo
A boca tem seu paladar
...
Só queria mais um momento
Um dengo um não sei que lá
Que pena que você nasceu sem tempo
Com hora marcada, sem poder chegar


Mart'nália
Composição: Arthur Maia, Ronaldo Barcellos e Mart'nália

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

é, eu gosto de você - e isso me basta II

eu falo sério quando digo que só você me basta; que gostar de você me basta; que quero você; que quero ficar com você, só com você; que eu não penso em outras pessoas; que é bom estar ao seu lado; que é bom dormir abraçado; andar de mão na rua; receber beijos na nuca, nas costas, no corpo todo; sim, eu falo sério. você me faz bem, me faz feliz, me deixa leve, me deixa calma. é bom. tudo isso é muito bom e verdadeiro. não tenho muito o que dizer. eu estou boba, com um sorriso indefinido estampado no rosto, a cada duas palavras, três, eu falo o seu nome, quero falar para todo mundo, quero mostrar tudo, mas não faço, tem coisas que eu prefiro guardar para mim, tem coisas que são muito mais bonitas aos meus olhos. enfim, não quero que ninguém entenda nada... mas eu estou tão feliz.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

sem mais.

não consigo ler, escrever, falar, comer, nada.
sabe, sem ação, reação ou qualquer coisa. eu queria saber ser mais - que se foda, não lembro a palavra - mas ser isso que eu quero seria bem mais fácil, ou não. é ruim, sim, é ruim.
torço para que tudo dê errado, se é que isso é errado, mas certo não pode ser... e agora eu me pergunto: por que não?
não tenho essa resposta.
mas sim, torço pelo contrário. melhor falar assim.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

do rio.

"queria é que tu estivesse aqui, comigo. tudo é paz e sossego por aqui. o céu é leitoso de estrelas e o ar tem um cheiro que me lembra o teu. cheiro de coisa morna e fresca, de fruta madura recem colhida numa manhã de sol. quero um beijo teu bem demorado. quero o calor do teu corpo nu em meu corpo nu. quero cheirar o teu cabelo até eu ficar sem fôlego. eu te amo"

sr. Escaleno

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

rápido

eu to boba aqui desse lado.
sinto muita saudade...
muita vontade de sair correndo e ir até você pra dar um cheiro no cangote, te pegar a fazer cafuné, te deitar no meu colo e fazer dormir, dormir juntinho, agarrado, ouvir a sua respiração no pé do meu ouvido, sentir suas mãos grandes e macias me cobrindo toda.
tudo transborda agora, a saudade, a paixão, o amor, todo sentimento.
te quero aqui, coração.
te gosto um bocado, meu pilantra.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

porque eu não tenho mais o que dizer

eu gosto da boca, do formato dos lábios e dos dentes grandes.
mas gosto muito mais do formato bonito do nariz.

disseram

Me disseram que eu não me expresso bem com as palavras, mas que faço isso de uma outra forma muito mais bonita e intensa. Eu também acho, agora eu acho. Se me incomoda? Não mais.
Me sinto tão calma hoje (mesmo com essa dor de cabeça - ressaca). Parece que estabeleci algo dentro de mim, não sei o que, mas parece isso, não sei o que pode ser.
Me disseram, outra vez, que nunca me entendem de primeira, mas eu não quero ser entendida, não precisa. Isso também não me incomoda mais, se é que um dia isso me incomodou.
Eu to com vontade de ouvir Tim Maia, Chico, Caetano, A-ha e mais um tanto de coisas. Que vida.
Farei isso?



Eu gosto dessa. Fiquei ouvindo um bocado.

domingo, 10 de outubro de 2010

só isso

transbordei

e nada mais.

sábado, 9 de outubro de 2010

acho que é TPM

Eu sinto saudade e isso já está ficando normal de ler aqui. A coisa tá apertando, entende?
Meu irmão joga vídeo game num volume absurdo, como ele consegue isso? To aqui, ao som de Chico, e a saudade aumenta, só que não tem como ouvir direito, não tem como competir com o barulho da TV, porra, as pessoas não se tocam, e se fosse simples pedir: B, abaixa o voluma, por favor. Ok, não é assim que eu falo, seria dessa forma: Porra, B. abaixa esse volume, tá moco¹, carai?! É, eu falo assim mesmo, ultimamente eu estou sendo uma pessoa sem escrúpulos, como diz o bem. rs.
Um saco, acho que é TPM (quando não sei o motivo, a culpa é dela).
Duas semanas? Enfim, como ele me disse ontem, não importa qual a distancia que estaremos um do outro, mas nos amamos e isso é bonito, é intenso e é sincero. Não foi bem assim, mas foi isso, só que to sentindo que essas duas semanas vão demorar a passar.

1 - moco = surdo.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

pode ser no rio ou em qualquer lugar

sonhei com paredes laranjas, verdes e azuis. um sofá para dois, uma cama para nós, uma varanda com flores bonitas a cada canto, um dia nublado, lençóis sobre o chão e eu deitada no seu colo, com cafuné, ouvi você falar coisas e coisas, eu também falava nada com nada, coisas bonitas e desconexas, como só nós sabemos fazer. me lembro, também, de uma garrafa de vinho do porto.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

é, não é.

a garganta dói. não, não é a garganta é outra coisa que fica próximo e também não tem nada a ver com as amígdalas. enfim...
hoje ouvi músicas antigas, músicas que faziam muito tempo que eu não ouvia, é bom. também respondi os meus e-mails, apaguei outros sem nem ler o assunto ou quem mandava. eram muitos e-mails, muitos e-mails sem nexo, tenho certeza. odeio essas correntes, esses pps, arg.
"você sente a sensação de que nos conhecemos há muito tempo?"
"sim, eu sinto isso também."
isso é bom, é estranhamente bom e, sim, eu gosto de ser feliz. eu to com saudade, é uma coisa (sim, coisa, eu não sei como se chama, prefiro chamar de "coisa") antecipada, entende? já to assim faz tempo, por isso digo "antecipada", mas deixa pra lá. não vem ao caso, não aqui, não agora, não com eles (como sempre).
ainda bem que não houveram cobranças, isso não é algo bom. acho que to cansada, não do corpo, não da mente, ou seria do corpo e da mente? das pessoas? será? pode ser. acho que tudo isso junto.
a verdade é: hoje não é o melhor dia.
deixa pra depois.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

pelo menos, eu acho.

como que as pessoas conseguem se dizer apaixonas pelas outras sem nunca ter visto, sem nunca ter tocado, sem nunca ter cheirado, sem nunca ter trocado uma palavra que seja? gostar de alguém não é assim, pessoa. as palavras podem ser bonitas, os sentimentos sinceros, mas não, pessoa, não dá pra ser assim.
engraçado como o tal do amor é banalizado agora.

domingo, 26 de setembro de 2010

nhain

eu gosto de estar com você. é, é isso mesmo, me acalma, da mesma forma que te acalma estar comigo. é, é sincero, é intenso, é gostoso. é isso e muitas outras milhões de coisas que me deixa assim, apaixonada por você, meu cara de mamão.

amo sim.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

ok?

eu deveria estar lendo um livro [muito bom, por sinal], mas eu não tive - mais - vontade. hoje eu queria ter tomado sorvete de morango, mas nada de muito forte que eu não possa esperar outro dia. o meu pulso ainda dói, é ruim, é muito ruim. os meus óculos já não servem mais, ou eu não quero mais que eles sirvam. minha mãe me chama pra olhar não sei o que, mas porra, eu não quero ver, mesmo assim, sem saber o que é. mas não falo isso pra ela, não sei porque. acho que não tem um motivo muito certo pra isso. o 'fala fofo' [como diz a minha tia rs] tá passando aqui na tv falando merda, assim como eu, mas eu nem ligo mais pra isso, eu sei de mim - muito pouco -, mas como só isso não basta, não tem mais como se preocupar, aff, não entendi nada do que eu tentei dizer agora, e, não, não entendam, mas eu acho que ninguém vai ler rs, se sim, hum, não ligo, se não, menos ainda. eu quero fazer minha tatuagem, mas acho que só em novembro, ou dezembro, ou janeiro... to com saudade de algumas pessoas, amendoim, em especial, caralho ela vai casar, isso é foda. meu irmão trouxe um chocolate muito do bom hoje, agora ta todo feliz pela vitória do "curintia" - maloqueiro, sofredor -. vou matar um bocado da saudade de uma amiga que, porra, faz tempo henin!? depois de tantas cobranças, lá irei. pelo menos eu não falo que vou e fico inventando desculpinhas em cima da hora, mas isso não é assunto para ser falado aqui e nem agora, elas que se entendam...
enfim, eu só queria falar bobeira, saudade de escrever, ou não. sem perguntas. ok?

sábado, 18 de setembro de 2010

praticamente, lendo lábios (e um pouco mais)

- É estranho, mas eu me sinto feliz quando estou com você.
- Não, não é estranho, eu também me sinto feliz.
- Eu gosto de ficar com você.
- Eu também gosto de ficar contigo. Também gosto de saber que você está apaixonado, que está feliz, que sente saudade. Eu gosto de você... muito.
- Eu gosto de você, meu cookie.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

para o blog

Errando lúcido na alva planície do teu abdómen,
Indeciso entre as ardentes montanhas nevadas ao norte
E o intumescido vale, de rio caudaloso, ao sul.

Um menino tentando reter na memória o sabor único e místico
Que se esconde em cada centímetro de sua pele.

Minha língua explorando partes do seu corpo que seu corpo desconhece.
Meu tato lhe apresentando sensações
Que nenhum idioma humano é capaz de expressar.

Teus seios: já viu dois gatinhos bebendo leite fresco, em pires de porcelana, iluminados pela diáfana luz de uma calma manhã de outono?

Sr. Escaleno

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

nada de nada

eu ficaria o dia lendo e relendo todas as coisas que já me escreveu, ou até aquelas coisas que não foram pra mim, na verdade, tudo o que você escreve, sim, ficaria o dia todo. mas também ficaria o dia ao seu lado, falando bobeira, dando cheiro no olho, no pescoço, segurando sua mão, suas mãos suadas. ficaria ouvindo você falar e falar e falar.
não sei, mas me parece que já tenho tudo.

sábado, 4 de setembro de 2010

O dia em que Júpiter encontrou Saturno

- Você tem um cigarro?
- Estou tentando parar de fumar.
- Eu também. Mas queria uma coisa nas mãos agora.
- Você tem uma coisa nas mãos agora.
- Eu?
- Eu.


Caio F.
"Os morangos"

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

ares

acordei bem, acordei mesmo, com aquele mau-humor matinal de sempre, aquela mesma rotina, o relógio desperta, soneca, dez minutos depois, desperta e assim vai, rolando na cama por alguns bons vinte minutos, como se adiantasse alguma coisa, ou se pelo menos o sono fosse um pouco menor, mas não. banho, comida, roupa, bolsa, fim. sol matinal, estava gostoso hoje.
mas inventaram o ar-condicionado (se bem que o ar de fora não tá bom, nada bom) e atacou alguma coisa aqui, sinusite, rinite ou algum "ite" da família, boa hipocondríaca que sou, já me entupi de remédios, já coloquei remédio no nariz, já dormi, já coloquei colírio nos olhos, mas continuo fungando, lacrimejando, espirrando e assoando o nariz de cinco em cinco minutos. isso tudo do lado direito, as minhas unhas com desejo começam a descascar, sempre a mão direita primeiro, mas ainda vou ficar com elas assim, o cheiro da acetona me faz espirrar um pouco mais, acredito que o algodão vai causar alguma coisa, mas não é por isso, acho que a verdade é que eu quero ficar assim mesmo.
a vizinha queria que eu fosse tirar fotos das orquídeas dela, e mais qualquer coisa que eu achar interessante no quintal, mas não, nada disso.
acho que quero comer mais batata.
também quero um cheiro no olho esquerdo, um abraço apertado e ouvir "te gosto, minha menina". ou só ouvir um simples "merrrda" rs. gosto disso, gosto dele.
mas não há nada com nada, mais uma vez.
minha voz fanha é engraçada.
preciso de um chá. vou terminar de assistir House M.D.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

barra de alguma coisa

parece que tem alguma coisa engasgada aqui, é ruim a sensação, é ruim sentir essas coisas, ainda mais quando faz muito tempo que não se sente e já tinha esquecido como era sentir esse tipo de coisa. eu não tenho muito o que falar, parece que a cabeça tá oca, parece que não vai sair nada que preste, mas isso é normal, não é? rs. eu não ligo pra isso faz um bom tempo. acho até engraçado, sim, tem graça esse tipo de coisa, pelo menos pra mim, não pra você que não entende o que eu digo (isso não parece meu), mas eu não quero que entenda também, parei de cobrar esse tipo de coisa do ser humano (nem isso. é, aprendo muito com você, de verdade), tenho certeza que a Sofia me entende muito mais que qualquer outro ser.
isso tudo está tão estranho, não sei, às vezes, não parece que eu estou aqui digitando esse monte de coisa, parece outro alguém, alguém que eu não conheço. huum, John Mayer, fazia tempo, sei lá, alguns poucos meses. até tirei do aleatório, senti saudades mesmo. vou colocar de volta no meu mp, que estranho, bateu saudade mesmo de ouvir essas músicas, eu tenho medo de algumas coisas e esse tipo de coisa que eu não sei explicar, como muita coisa que eu não sei e não tento também, não vale a pena? não sei se é isso, acho que é só porque eu não quero mesmo.
acabo de teclar em alguma coisa e aparece uma barra lá em cima, algo que eu não sei mais tirar, fico puta com esse tipo de coisa (eu podendo me preocupar com outras coisas, não?) enfim, eu não gosto. bom, deixa ela pra lá, eu tento não olhar. acabei esquecendo tudo o que eu ia falar. mas eu não ia falar nada, não tem nada pra falar. nossa, nada com nada, como sempre. era só apertar com o botão direito e desativar? oh vida!
sinto sede.
sinto fome.
sinto sono, ainda.


heavy love

Feche a cortina
Desligue o rádio
A televisão sem som
Já é um bonito quadro

Pro nosso amor descarado
Virado (virado)
O mundo lá fora
Não vale pra nada (pra nada)

Eu não sei se o nosso caso
Vai durar ou não
Se o que sinto por você
É doença ou paixão



Cazuza
Composição: Cazuza / Roberto Frejat

domingo, 29 de agosto de 2010

...

vou pintar as unhas com o vermelho desejo...

...caso você venha

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

"se o mal é meu, é seu também"

vamos deitar na grama, ou na varanda, pode ser uma tarde de sol, ou uma tarde nublada, ou uma tarde qualquer, com um clima qualquer, simples assim.
é porque to com saudade dos teus braços cobrindo o meu corpo, a tua língua quente em minha orelha, minha nuca, tua voz no meu ouvido, o cheiro bom da tua pele...

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

e foi












Flor de Azeviche.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

encanta-me

A gente ia caminhando feito um bando de jovens gigantes de mármore e bronze.
Andávamos lentos sem perceber que o caminhar só fazia aparecer o ermo de pedras
e poeira por toda a paisagem.
A gente ainda esperava encontrar numa tabuleta de madeira podre, escrita com letra rústica a toco de carvão, "aqui é o fim do mundo".
É que a gente ainda não sabia.

---

fazer poesia com o corpo que despistes
se entrega toda: caule, folha e pétala
raridade tão discreta
mais olhasse menos eu visse
abrindo os lábios nos meus lábios
minha alva flor de azeviche

Sr. Escaleno.

domingo, 15 de agosto de 2010

é, eu gosto de você - e isso me basta.

não, você não me chateia com as suas explicações, com as suas palavras, confesso que chega uma hora que eu não presto a atenção no que diz, mas presto no tom da sua voz - que eu gosto, é eu gosto, do mesmo jeito que gosto do sotaque -, nas sílabas que sai, dos gestos, de como me olha quando conta alguma coisa, sabe quando arregala os olhos? então, é isso que eu falo, gosto de deitar no teu colo e você começa a bagunçar o meu cabelo, gosto de te fazer cafuné, de morder seus lábios. eu gosto de te ouvir, já te falei isso, isso é tão bom pra mim, sabe, eu gosto também de ouvir você cantar, e gosto do teu silêncio, sim, eu sei que eu, flor, não gostava, mas o seu gritou pra mim.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

ei, cara de mamão

eu queria conseguir descrever essas milhões de sensações que se passam aqui dentro quando eu penso e estou com você, mas você é foda, me deixa assim, sem palavras, toda boba. obriagda por isso, às vezes, é bom.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

musiquinha booouuua

"Para ver se eu aprendo alguma coisa nessa parte do caminho"

será que as coisas são efêmeras?
se for, eu aprendo.

"Hoje é o tempo p'reu ficar devagarinho; com as coisas que eu gosto e que eu sei que são efêmeras"

nada a dizer, nada mesmo.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Errar o idioma

"há certas belezas no teu riso, no teu rir que nem ouso falar. me comovem, amedrontam também. parecem maior do que as coisas que acho que mereço. e é tudo sempre tão simples que não tenho ímpetos de fazer mais nada além de olhar, de me perder em você contemplando as sutilezas dessas suas belezas que me surpreendem sempre que te vejo. como se não houvesse olhos suficientes para dar conta das coisas miúdas que você carrega - e nem sabe que carrega. tenho retinas famintas por lamber seu corpo, mais que isso, por mordiscar sua alma, o que você pensa, o que você fala, o modo como vê e como cheira."

Sr. Escaleno.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

agosto

"não há quem possa se esconder no escuro."

porra, não tenho o que dizer, não mais, ou não agora.
mas eu te gosto! talvez seja só por isso, nada mais, e nem sei se você liga pra isso, mas ah, é tão bom cheirar o seu pescoço e sentir suas mãos em meus cabelos...

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Recém-casados

Ela
Sem saber o que fazer,
errada nas certezas.
Sozinha em sua casa,
distraída na tristeza,
começou o seu jantar
comendo a sobremesa.

Eu
Já não pude me conter
diante de tanta beleza:
invadi a sua vida
como quem sai à francesa.
Terminei o seu jantar
comendo-a sobre a mesa.

Sr. Escaleno.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

enquanto o telefone não toca, eu escrevo sem parar algo que não vale a pena ler

o sono bateu e eu não quero dormir, eu tenho um livro para terminar de ler, estou no fim, as últimas páginas e não consigo, já até falei aqui sobre isso, da felicidade clandestina, não falei? falei, eu lembro que eu falei, mas enfim, talvez você não lembre, ou não tenha lido, não felicidade clandestina, mas o que eu escrevi sobre. eu nem gosto de clarice, é eu não gosto, eu não entendo, não sinto, não gosto, não sei porque tem essa história de sentir, sentir porra nenhuma, pra mim ela nunca passou nada, e nunca consegui terminar um livro dela, e quero que se foda. eu consigo senitr sim e eu sinto com o marcelo, com o caio, com a ana, ah ana, a ana sim é para sentir, entender, querer e querer.
sabe, tem uma semana que eu venho aprendendo várias coisas (e nem sei se isso está certo, mas enfim, não ligo, não agora) e aprendi que adoro essa coisa meio saramago, sem pontuações exatas, só as minúsculas, esse tipo de coisa meio anos 40/50 (é, sem mais) . ah eu não ando me entendendo há muito e não espero que você entenda também, nem ando sentindo rs. piada infame que eu não poderia perder, claro.
hoje eu to com bobeira. huum, essa frase me lembra algo muito bom. algo que eu não posso (ou seria 'eu não quero'?) falar.
eu já não to falando nada com nada mesmo, tá tudo bem desconexo aqui, sabe, tudo isso porque eu estou esperando um telefonema e vou escrever até o telefone tocar, acho que eu ainda tenho uns vinte minutos, ou esse pode ser um dos maiores textos, mas o tamanho não interfere em nada, assim como a árvore não altera o passarinho (e salve tulipa), sim, um texto bem chato que ninguém irá ler até o fim, porque eu sou louca rs, ou eu estou louca? mas pra que ser normal? o normal não tem nenhuma graça e o normal não existe.
hoje ouvi músicas tão belas, eu deveria colocar uma delas aqui, mas não, hoje quero ser egoísta, quero guardar a beleza de cada uma delas pra mim, só pra mim e ninguém mais. é melhor assim, me sinto melhor assim. e, ultimamente, ando fazendo só o que me faz bem. já passei dela, a fase de loucura, fazer o que é bom para ver o outro bem, não exatamente assim, sou do tipo que faz para ver o outro bem, só esqueço de mim, e agora, não mais. isso não tem nada a ver, como muita coisa nesse texto idiota, mas como eu to escrevendo tudo que vem na cabeça eu tenho que escrever isso, e essas coisas daqui são estranhas, e aaaa me dá medo. eu não gosto quando eu to assim. que merrrda. é o merrrda com o sotaque antigo de carioca. gosto tanto de ouvir "merrrda".
eu tenho o que? uns quinze minutos ainda? hum, isso é o máximo, vou entrar em êxtase. mas isso aqui não é pra pirar não. ah você iria me corrigir agora, ou melhor, você não me corrige, é mesmo, você não me corrige. isso é bom, mais um ponto positivo pra você. porra, tá crescendo hein!? o telefone tocou.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

do lenine.

que move o mundo sendo sentimental - sentimentaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaal

quinta-feira, 22 de julho de 2010

ansiedade

eu acredito (e entendo) que eu tenha coisas mais interessantes (e importantes) para fazer, mas você me deixa ansiosa, e porra, isso é foda.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

gosto

eu gosto do jeito que você escreve, o jeito que me olha, o riso, a mão, o toque, o cheiro - eu gosto do cheiro porque o cheiro, ah o cheiro, é o que me faz ficar assim - gosto também da tua voz, as suas piadas, o seu sorriso, os olhos, o olhar, o seu sentir, o seu sarcasmo. gosto muito da sua facilidade de imitar sotaques, gosto de quando fala "merrrda", sim "merrrda" com o seu quase e antigo sotaque carioca. gosto do seu beijo, do beijo que dá na minha nuca, de quando me cheira, de quando pega a minha mão, quando me abraça, quando me fotografa, quando me lê, me decifra. gosto, gosto de tudo isso.

uma ponta de felicidade

- Depois de muito tempo eu me sinto calmo.
- Como assim?
- Você já se sentiu muito feliz?
- Sim.
- Então, é disso que eu to falando.

***

- Sabe o lance da felicidade que você falou? Pois é.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

eu digo "Tchau"!

tchau. digo tchau sem dúvidas, aquelas de antes, que você lembra, lembra não lembra? então, essas mesmas, eu não tenho mais. lembro de muita coisa, mas esqueci de várias também. o que não vale a pena mais falar aqui, o que eu não queria escrever aqui, mas sitno essa necessidade agora e tenho que aproveitar que o meu botão de foda-se tá ligado, porque quando eu desligar, pode ser de vez. eu não quero que entenda eu só quero poder dizer "tchau" é só isso, eu só quero dizer "tchau". só isso. e Nando diz muito aqui pra nós.


Música do dia.

Porque eu senti saudade da voz do Nando.



E te dedico =) [mesmo sabendo que você não vai ver]


"Porque eu te quero
Porque eu te amo
Até quando?
Eu e você pudermos aguentar"

quinta-feira, 15 de julho de 2010

estamos entendidos?

você sabe como você fala comigo. eu não preciso te falar.


"NÃÃÃO"

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Música do dia.

Essa semana, conversando com uma amiga de anos, comentamos sobre as músicas que ouvíamos na escola. E me bateu uma baita saudade [às vezes, penso que sou movida a isso]. Incubus era uma das bandas. Lembramos que queríamos ir no show, mas ninguém tinha um puto furado para comprar o ingresso. Mas nos divertíamos com a ideia de pensar em comprar, de chegar tal hora na frente do local pra podermos ficar lá na frente e cantar todas as músicas rs. Acabo de rever um clipe que eu cantava [tudo errado, mas isso é só um detalhe rs]. Vai aqui um vídeo da música ao vivo e que nós deveríamos estar lá gritando como loucas rs.

sábado, 10 de julho de 2010

Música do dia.

Deixo aberta a porta desses meus olhos
Abro a janela das minhas mãos
Entre as pernas, entre e roube meu colo
Nesse lugar cabe um ladrão

Dentro dessa casa sobram os móveis
Nos lençóis que envolvem o meu colchão
Entre as pernas, deite sobre o meu colo
Nesse lugar, nessa imensidão

Faça sua sede
Mate a minha sede
Coma a minha fome
Com o seu nome
Tome o seu lugar


Tendo o nome que eu não sei chamar
Dentre os homens está em último lugar
Quente o inferno, invente o inverno e o verão
Semente latente, surpreendentemente enfrente o que não há

Leio a sua mente
Seja a minha lente
Como a sua fome
Com o meu nome
Tome o seu lugar

Feche a porta e me tranque no cofre
Nessa cela no mais fundo porão
Impeça o acesso, enterre no subsolo
Nesse lugar, minha dedicação

Aprendo o seu nome que eu não vou chamar
Somem os homens, estão em último lugar
Quente o inverno eterno sem conclusão
Somente cadente, displicentemente invente o que não há

Faça a sua sede
Mate a minha sede
Coma a minha fome
Com o seu nome
Leio a sua mente
Seja a minha lente
Como a sua fome
Com o meu nome
Tome o seu lugar

Danni Carlos
O Seu Lugar
Composição: Nando Reis

sexta-feira, 9 de julho de 2010

eu espero.

sou louca, completamente apaixonada. é aquilo que eu te falei uma vez, lembra? do amor incondicional. sou desvairava, louca de amor. quero você aqui, me segurando, me curando, me cuidando, me protegendo de todo o mal. sim, fazer o mesmo por você. nem que, para isso, demore os dez anos.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

só um desabafo

toma no cu? valew (Y).

eu tava precisando. mesmo.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Música do dia.



"And you say
"Sorry" like the angel
heaven let me think was you
But i'm afraid"


Composição: Ryan Tedder

éprapirar II

mais uma vez, tenha calma, isso é loucura. você sabe do que eu falo. estamos na mesma, estamos no mesmo jogo, precisamos só saber as cartas certas para começar a jogar sem errar. mas não sei, não é pessimismo, algo me diz o contrário, você também sabe o que eu falo. ah, mas você é complicado, fica me fazendo pensar demais, isso não é o que eu preciso, eu não preciso pensar muito e você tá me deixando assim, louca, perturbada, não sei a palavra certa, to pirando. tá bom, tá bom, mas você já sabe, eu não vou embora. ah saco.

domingo, 4 de julho de 2010

éprapirar I

como você vem me dizer que ele não percebe, claro que ele percebe e ele tem medo do que possa acontecer, entende? é sempre a mesma coisa, é um inferno, rui, você entende que eu to cansada dessas coisas, já não é a primeira vez, eu sei que não vai ser a última, eu só queria que as coisas fossem mais fáceis, que as pessoas entendessem ou tentassem, ou, ah ou nada. você me entende, mas você não me explica, não me dá respostas, eu tenho que ficar tirando as respostas de você e isso não é preciso mais entre nós, to cansada de você. já to cansada de te mandar embora também, se você não me ajuda, não me atrapalha, entendeu? é o seguinte, não, não, oh, vou explicar só mais uma vez, mesmo você sabendo disso antes mesmo de eu começar a contar, é um sentimento antigo e um sentimento que eu não queria sentir assim, não por ele, é que eu já senti e parece que tá voltando, ou que pode voltar, ou ai, não sei, está entendendo a minha agonia? a minha euforia? o meu desespero? não, não é? entende? porra, me explica, rui.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

laço desfeito.

Palavras que quimaram dentro do peito, dos olhos, dos ouvidos. Palavras que poderiam ser evitadas. Mas, agora não dá para apagá-las e isso tudo aqui diz o muito do nosso pouco.

"Um adeus, um lamento, uma grande saudade
Lá vou eu, à procura da felicidade
Quem errou, não importa, já virou passado
Nosso amor não vingou, está tudo acabado"

Laço desfeito
Diogo Nogueira

domingo, 27 de junho de 2010

Qual é o meu destino?

"- A morte é uma parte da vida, é o destino de todos nós. Eu não sabia disso, mas o meu destino era ser sua mãe. Fiz o melhor que pude.
- Fez muito bem.
- Só que eu acredito que nós fazemos o nosso destino. Deve fazer o melhor possível com o que Deus lhe deu.
- Qual é o meu destino, mamãe?
- Você terá que descobrir sozinho. A vida é uma caixa de bombons, nunca se sabe o que vai encontrar."


"As vezes parava de chover e as estrelas apareciam. Aí era bonito.
como no mar um pouco antes do sol ir embora. Trinta milhões de pontinhos de luz na água. como aquele lago na montanha. Era tão claro, Janny, que parecia que tinha dois céus, um em cima do outro. E no deserto, quando o sol nascia não dava para ver onde terminava o céu e começava a terra. Era tão bonito."

...

"Mamãe sempre dizia que morrer faz parte da vida. eu queria que não fizesse. Eu não sei se mamãe está certa ou se o Tenente Dan é que está. Não sei se cada um tem um destino ou se só flutuamos sem rumo, como uma brisa, mas acho que talvez sejam ambas as coisas. Talvez as duas coisas acontecem ao mesmo tempo."



Esses são trechos do filme Forrest Gump que eu assisti hoje e que achei lindo. Antigo, né?! Eu sei, sempre quis assistir, comprei essa semana. Enfim, isso não interessa. O que interessa, amei o filme, chorei algumas vezes, já não é novidade eu falar que choro em filmes [rs] e a trilha sonora, uhuu, perfeita, acabo de baixar. Tá afim também? Clica aqui oh: CD1 e CD2

Hoje foi o domingo da preguiça, determinei isso na minha vida para hoje. Nada melhor, assisti os jogos de futebol. Alemanha x Inglaterra. Depois alguns episódios de "Os Normais" - segunda temporada - depois o jogo de Argentina x México [detalhe, dormi no fim do jogo hehehe]. Acordei, assisti o filme depois mais "Os Normais". Tudo isso embaixo das cobertas. Quer coisa melhor? Sim, seria melhor se o ser do beijo bom estivesse comigo, maaas, isso não é possível -ainda-.

Beijos, pessoas.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

do beijo - bom -

ele vem me dizendo para ter calma, que não adianta eu tentar colocar o carro na frente dos bois, que tudo tem o seu tempo, mas ele mesmo sabe o que acontece aqui, a ansiedade, a vontade do beijo - boom -, o segredo, as borboletas que me rodeiam. ele sabe disso tudo e me pede para ter calma. como se pode ter calma nessa situação, se qualquer movimento, qualquer atitude me faz imaginar que é aquela presença, que é aquele meu segredo, aquilo que eu não posso fazer, e vem, de novo, aquela vontade do beijo - bom -, e mais, começo a sentir o toque, o cheiro... ah o cheiro é inesquecível... e o sorriso, ah o sorriso longo e sincero, sabe, a sinceridade da face, do beijo, dos olhos, das palavras. fecho os olhos agora, ele pede isso, imagino cada pedacinho de cada cena bem devagar, como se fosse para não acabar o que acabou. "acredite em você", ele fala sem parar. e eu queria muito acreditar que não foi só aquele beijo.

Ao som de:
Paisagem da Janela - Milton Nascimento

domingo, 20 de junho de 2010

FDS riclo [já dizia a amiga que me ama demais - Le -]

E tem um tempo que eu não venho falar da minha vida, o que tenho feito, o que acontece e etc. Então, hoje decidi falar sobre o fim de semana (que foi perfeito!) com os amigos queridos. Houve baladeeenha tudo de booom, houve jogo do Brasil e o melhor foi ver mais uma vitória (sim, sou patriota - e muito). Ando trabalhando muuuito, muito mais que antes, que vida é essa, né? huahauah; enfim, to sem assunto.

Vai uma fotenha da Flor pra matarem a saudade, porque eu sou dessaaas. ;]

terça-feira, 15 de junho de 2010

O meu psicólogo

Oh I'm never speaking up again
Starting now, starting now




Oh, the way she feels about me has changed
Thanks for playing, try again.
How could I forget?
Mama said "think before speaking"
No filter in my head
Oh, what's a boy to do
I guess he better find one

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Na época em que eu ia para igreja I


Me disseram um dia que sentir remorso não é nada bom, se arrepender também não, mas não é a mesma coisa, tem uma diferença grande que eu não sei explicar huahuahaua, estranho né? Mas eu lembro que falaram assim: "Judas Iscariotes se matou porque sentiu remorso.". Mas eu não quero ME matar, só quero morrer alguns dias.


Só aproveitando o post, hoje esse blog faz dois aninhos.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

em construção

Aqui dentro tudo se desfez e começa uma nova reforma, tudo desabou e começa uma nova reforma, o que tinha de doce permanece, mas agora com uma nova reforma, um novo toque, agora tudo será reformado, as coisas serão novas, nada do passado, mas não for possível nada mudar, tudo permanecerá e teremos que conviver com o que é de verdade, mesmo quando queremos mudanças.
Algumas coisas ficam: seletiva, chata, egoísta (não tem como mudar tudo de um dia para o outro).

terça-feira, 8 de junho de 2010

eu ouço vozes...

Eu ouço vozes, vozes que não me deixam dormir e que falam comigo toda hora, e nas horas mais inesperadas, às vezes até sinto medo, às vezes eu respondo, às vezes eu a mando calar, às vezes eu mesma quem puxa o assunto.
Uma coisa meio incontrolável, como muitas coisas aqui dentro, coisas que andam sem controle, coisas que eu não tenho mais controle, eu não tenho mais controle sobre mim, isso não é estranho? Não se ter controle do próprio corpo, das próprias palavras, das próprias vontades.
Quando me falavam esse tipo de coisa eu achava que todo mundo estava contra mim, ou que todos eram contra mim, agora eu ver todas essas coisas é algo mais difícil de engolir, entende? Não adianta ler e dizer que entende, porque eu sei que não, não é a mesma coisa, não somos pessoas iguais, não existe ninguém igual e não é nada igual aqui dentro de mim. Não quero que seja, não quero e não é.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

quinta-feira, 3 de junho de 2010

incontrolável situação de medo

eu fico a pensar tantas coisas, sabe o incontrolável que eu sei que eu posso não controlar? exatamente assim, sem entender. sabe? então, é um medo constante. medo a cada palavra que sai da minha boca que é referida a você. medo de não conseguir fazer o que não prometi a você, mas prometi a mim, um medo que parece eterno, um medo que, às vezes, me dá vontade de desistir e deixar a vida seguir, e você me diria: mas sem tentar? e eu responderia com outra pergunta: como sem tentar? estou tentando, mas tenho medo e não sabia que o medo era tão forte assim, algo que é tão incontrolável, incontrolável como a ira. aquela ira que você sabe.
nada disso é pra entender, eu não entendo, eu não entendo. o que eu quero dizer é que quero felicidade e pra tê-la eu sinto medo, e o medo é foda, porque ele aparece junto com aquilo que é incontrolável e eu queria poder manipular esses sentimentos, eu me sinto numa roda de fogo. como se não tivesse para onde correr, não tivesse o que fazer. e fico sendo repetitiva, porque eu preciso entender o que passa, preciso colocar na cabeça que isso pode passar, mas não dá, quanto mais eu lembro, mais agonia, mais raiva, mais vontade de quebrar tudo. não sei se vou conseguir, mas espero que entenda, assim como eu estou tentando entender. tentando entender. foi o que decidimos antes, então, que nós consigamos, se não der, mais uma vez, perdoe-me.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

talvez

Um medo aqui dentro, um frio, um desejo, um sorriso. Talvez, um beijo.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

quer?

eu faço tudo pelo nosso amor, eu faço tudo pelo bem do nosso bem, meu bem, a saudade é minha dor e anda arrasando com o meu coração. e não duvide que um dia eu te darei o céu, o meu amor junto com um anel, pra gente se casar, no cartorio ou na igreja, se você quiser, se não quiser tudo bem, meu bem.

E será que quer?

terça-feira, 25 de maio de 2010

isso passa que eu sei, ou não sei...

Sinto que falta alguma coisa aqui dentro de mim, algo que eu tinha, algo que me faz falta. Uma coisa que eu gosto, enfim, eu sei o que é, mas agora é tarde, eu não queria acreditar e não queria que fosse verdade, mas eu mesma descobri, é pra chamar de meu, é a saudade, é o remorso, porque já não é mais arrependimento, é remorso.
fico ouvindo John Mayer o dia todo, baixei todos os discos do cara, e ando enfrentando uma super fossa, rs o último cd é tão romântico que eu quero te mandar todas as músicas, ficar um, a vida é estranha, as pessoas são estranhas e não é novidade eu ser estranha e pensamentos que eu não queria que fossem meus.
Enfim, eu to carente... to com saudade, to com remorso.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

sexta-feira, 21 de maio de 2010

que merda, não?

Mais uma vez eu caguei no saco, fiz algo e fui mal interpretada, saí da história como a infantil e a carrasca (essa parte não é novidade, eu sou um monstro hahaha), enfim, as coisas aconteceram da pior forma possível, enfim, tive uma noite péssima, não dormi nada e não parei de pensar, o que eu não deveria ter feito, claro, por que? Porque eu não tive culpa e não tenho que pensar no que as pessoas pensam. eu não era assim, eu não ficava pensando no que as pessoas pensavam a meu respeito, mas fazer o que? as coisas mudam, a vida muda e as pessoas podem mudar também, mas confesso que eu era muito mais feliz quando eu era daquele outro jeito, mas enfim, é foda, mas a vida é essa e não pode parar, continuando...

quarta-feira, 19 de maio de 2010

hahahaahaha adoro brincar com o tempo hahahahaha

eu tenho só sete minutos, adoro correr contra o tempo. Hoje eu sei que eu chego atrasada e acredito que eu vá tomar uma ocorrência, acredito também que vou passar no vestibular da etec, eu preciso passar e eu preciso conseguir outro emprego, que merda é aquela? Aff ainda bem que ninguém sabe que eu tenho blog lá e ainda bem que (se soubessem) não poderiam ver, por que? Porque tá trancado pra todo mundo e me sinto muito melhor assim, riclo.
enfim, só cinco minutos e mais, o tempo voa carai. São tantas coisas acontecendo em minha vida, ando confundindo tantas coisas e preciso agora ficar centrada em uma coisa só, apenas, estudar pra passar no vestibular, quero tanto trabalhar na área de meio ambiente, sair daquele lugar e etc, outra cosia que preciso fazer com rapidez é parar de falar de trabalho, preciso esquecer aquele lugar quando estou fora dele. Preciso e vou fazer, foi a última vez. Só falo de lá quando eu estiver saindo ahahhaa, estou tão má hoje, sei lá, pensamentos maquiavélicos hahahahaha riclo.
Beijo pra mim, pois só eu quem lê.
PS: consegui terminar antes do tempo que eu tenho, adoro correr contra o tempo.

sábado, 15 de maio de 2010

o tempo correndo e eu achando que estou super atrasada e nem é, olha só que vida. rs
eu me sinto bem hoje, amanhã, não sei mais. há. me disseram que o presente só duram três segundos, puta merda, memória de peixe? rs
sou dessas e to pirando.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Por que eu não posso escrever pra mim? Eu me sinto bem assim, e acho até mais interessante. há. riclo.
Ou melhor, eu posso sim escrever pra mim, apenas para mim, mas por que que os seres, ou melhor, algumas (poucas, muito poucas, pessoas) se incomodam tanto com isso? Ai que vida.

terça-feira, 11 de maio de 2010

eu me arrependo tanto e amargamente das coisas que fiz e que não fiz. mas acho que agora já não é mais hora pra falar de arrependimento, só que se eu pudesse voltar algumas horas, alguns dias, alguns anos atrás, eu não me arrependeria tanto, e talvez a minha vida fosse outra, completamente diferente dessa que eu vivo hoje, ou melhor, dessa que eu sobrevivo.
é um grito engasgado, é um choro preso, é uma vida que não faz mais sentido, porque eu já não sei mais o que faz sentido aqui dentro, não sei mais quais são as coisas certas e boas que eu devo fazer, já nada me consola e eu estou nessa, perdi, playboy. já era.

Amargo

E eu perdi, perdi por impulso, faço as coisas por impulso, agora o que eu posso fazer, nada. Fui burra, mais uma vez, hoje a garganta dói, tem um peso nas costas, fiz a coisa errada, mais uma vez e quando será que eu vou conseguir fazer a coisa certa? Será que um dia as coisas mudam? E quem sabe tudo volta a ser como era? Não, eu perdi, mas ia perder se eu quisesse. Ok, eu entendi. Só que o que adianta eu falar tudo isso e não acreditar no que eu disser mais? Eu entendo, eu entendo perfeitamente. O ruim é não saber resolver as cosias, o problema é o tempo, sempre o tempo, e dizem que o tempo resolve tudo, mas também o tempo passa e passa rápido, se eu não for rápida, as coisas não vão ser mais como eram antes, tenho que lutar por aquilo que eu quero, mas se eu não for rápida, não vai dar, e quem vai acreditar em mim ainda? Ou melhor, você vai acreditar em mim ainda? Eu quero tudo diferente, não quero nada perfeito, mas diferente. Vontade de pegar um vidro de remédio, ou de entrar na frente de um carro em altíssima velocidade, ou pular de uma ponte, ou de fazer qualquer coisa pra morrer agora. Eu me sinto muito burra. Se você for ler e quiser me falar alguma coisa ainda, se quiser ouvir ainda alguma coisa, você sabe me achar, sei lá, eu sou estranha eu sei, eu já não to entendendo nada, acredito que você também não, não quero te forçar a nada, como eu disse, eu caguei e taquei no ventilador, agora tem merda por todo o canto, o foda vai ser limpar. Eu preciso de um médico, ou eu preciso ir embora dessa vida de vez, e a minha vontade é a segunda opção. Eu realmente preciso me tratar, sabe a inconstancia? E quando eu achava que eu não era nada incostante, mas porra, eu sou, eu sou e além de ser inconstante eu sou uma pessoa com milões de defeitos, uma pessoa perturbada, começo a acreditar que eu preciso de um médico psiquiatra, ou um psicólogo, mas eu preciso de um médico, todo mundo diz que eu tenho que fazer o que eu acho certo, mas eu não faço as coisas certas, não mesmo. Só depois de feitas que eu vou ver a cagada que eu fiz. Foda não adianta mais falar essas coisas eu perdi e agora tenho que conviver com esse peso nas costas, no coração. Acredito que seja tarde, como tá escrito antes, talvez o tempo resolva as coisas ou não, aí conviverei com esse amargo para o resto do meu ser, isso se eu não acabar com ele antes.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

me desculpe um dia, se for possível

Eu não queria e nunca quis te magoar, eu sei que eu o fiz, mas nunca foi a intenção. O que me resta é me desculpar, se é que isso daria certo, se é que é o momento, as vezes não é, mas eu preciso falar.
O sofrimento tava sem tamanho, as brigas estavam descontroladas. Você sabe que eu não queria uma relação dessas, você também não queria, tenho certeza. como eu disse, eu não quero a relação perfeita, isso não existe, mas não conseguimos cumprir o que prometemos, prometemos não brigar, prometemos entender uma a outra, prometemos tudo o que não fizemos. Não quero culpar alguém, pois a culpa é de ambas, as coisas chegaram a esse ponto porque deixamos chegar, fomos empurrando e chegou até aqui. Chegou até onde chegou.
Sabe, mesmo sem você acreditar em mim, eu te amo, amo e sempre amei. Só que não acho que o amor cura todos os males, se existe amor e não existe respeito, confiança, companheirismo, para mim, não dá pra viver assim, só com amor. Não sei exatamente como explicar, mas eu penso assim. O amor é algo importante que deve existir, claro, mas precisa existir todas as outras coisas para que dê certo. Eu sei que não vai adiantar eu falar nada agora, mas é tudo o que eu to sentindo, estou sendo sincera, como sempre fui com você.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

tempo tempo tempo

E queria escrever um monte de coisa, mas só tenho seis minutos para ficar na frente do pc, será que dá tempo? Isso é punk, tem dias e dias que eu torço tanto para o tempo parar, exemplos típicos: quando eu to na casa da nega, ou quando eu to com ela, independente do lugar, parece que o tempo voa, só que demora tanto pra chegar a hora de vê-la. Isso é uma coisa ruim. Outro exemplo, quando eu quero que chegue logo a hora de ir embora do trampo, ficar lá sem fazer nada é úó. Também poderia parar o tempo nos meus dezenove anos (não sei a quanto tempo que eu vou ficar falando isso, mas é isso ae), não quer dizer que eu queria ter morrido aos dezenove, mas queria ter ficado com dezenove, eu, realmente, não sei como explico essa minha situação com o meu eu e os vinte anos de vida. Agora eu só tenho dois minutos pra terminar de escrever isso tudo, e nem sei mais o que escrever, ando meio sem criatividade, querendo fazer umas coisas, quero voltar a treinar judô, eu lembro que eu era uma pessoa muito mais leve e calma quando eu treinava, quero voltar a ser essa pessoa calma, bom não sei, o meu tempo tá acabando e eu nem to na lan house, to em casa mesmo, mas tenho que me arrumar, o tempo acabou. 10:00

baboseiras

O braço dói, acredito que eu tenha dormido em cima dele de novo, isso é ruim, trabalho com a mão (adoro ambiguidades kkkk).
enfim, essa semana demorou pra passar e eu não lembrei que eu tenho vinte aninhos, não mesmo. Sei lá, coisa estranha, ainda me sinto com dezenove, isso seria bom ou ruim? Não sei, mas sei lá, tudo no seu tempo, ok o tempo dos vinte chegou, certo. Mas eu não acho.

terça-feira, 4 de maio de 2010

a inveja de cada dia.

Como que alguém consegue sentir inveja? é algo tão feio, tão ruim e tão chato para a própria pessoa que inveja, claro, também para a que está sendo invejada. Eu acredito no tal do olho gordo. E acredito que as pessoas invejosas tem esse poder, às vezes nem é por mal, mas elas fazem e fazem e que se foda.
Conheço uma pessoa assim, engraçado é que ela sempre foi, só que sempre soube esconder, hoje em dia não, ela é descaradamente, mas não assume, sempre diz que quem tem inveja são os outros rs. Isso é muito foda, eu li um livro sobre inveja e vi isso no livro, um invejoso nunca vai assumir que é invejoso e pra ele nada vai estar bom, e sempre que você estiver feliz e falar alguma coisa pra ele (o invejoso) ele vai falar alguma coisa pra te deixar mal, e é isso que acontece com essa pessoa que eu conheço.
Sabe, no fundo eu sinto pena de uma pessoa dessas, porque depois quem vai sofrer sozinha é ela, ou melhor, é só ela quem sofre sozinha nessa história toda de inveja, de invejar, de querer o que não é dela, enfim.
Esse assunto é muito chato de falar, mas eu precisava jogar tudo aqui, porque só assim eu esqueço das coisas que acontecem, de verdade, eu ainda espero por um mundo melhor, com pessoas melhores, como eu respondi a uma pergunta no form, "O que precisa para mudar o mundo?" resposta "as pessoas". O que é verdade, só mudando as pessoas pode-se mudar o mundo, pelo menos pra mim.

segunda-feira, 3 de maio de 2010

os vinte

Na madrugada do dia três de maio de 1990, ou melhor, no início da madrugada desse mesmo dia (00:30 para ser mais exata), nasce a Flor. Taurina com acendente em aquário. Super taurina e nada aquariada. Me disseram que eu não dormi na barriga da mãe, não dormi por isso que fiquei chutando minha mãe querendo sair e por isso que eu sou uma pessoa que consegue acordar cedo, mas eu não entendi muito bem essa filosofia.
Só que digo, os vinte chegaram e agora tem que encarar como se fosse super normal, tem que encarar e entender que são duas décadas vividas (e que eu viva mais duas, pelo menos). Será que me acostumo rápido com a ideia? Ainda tenho dez anos pra pensar em me-acostumar-a-ter-vinte-anos, ou na casa dos vinte? É, pra isso, é necessário me acostumar só com os vinte, antes de pensar no vinte e nove, por exemplo.
O que eu acho mais engraçado, é que eu sempre quis a minha independência, ter os meus vinte anos, ter meu emprego, ser mais independente de tudo, e hoje eu ando conseguindo tudo isso, mas tenho medo, não sei do que, mas tenho medo. Eu lembro de um dos livros da saga Crepúsculo, que a Bella quer ficar com dezoito anos para se tornar vampira, que ela não quer envelhecer, mas depois ela acha que ainda dá pra viver mais, porque depois será a eternidade. O que eu vejo de igual nisso? Eu queria ter ficado nos dezenove, quem sabe depois eu queira fazer vinte de verdade.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

vou dar um tempo

começo agora, dando um tempo, mais uma vez. Dessa vez, espero que seja um tempo mais longo do que os outros.

Até qualquer hora.

kisses

conversas de ônibus ouvindo Zeca

Ah como eu não aguento assuntos dentro ônibus. Como diz minha prima, assuntos de ônibus não podem ser discutidos em ônibus porque você pode apanhar e é a pura verdade, mas falar da vida sexual num ônibus lotado às 20:00 não é algo agradável para quem está ouvindo ao redor, pelo menos para mim não é rs. "Ah a minha primeira vez foi quando eu tinha dezesseis anos, foi com um amigo da escola, e foi ruim, doeu tanto que eu...", não lembro mais o que ela falou, nessa hora fechei o livro e coloquei meu fone de ouvido e fui o resto do caminho ouvindo Zeca Bala.

Agora falando de Zeca (já que toquei no assunto), há tempos eu queria escrever algo há mais sobre ele. O que eu acho, o que eu sinto o que ele representa pra mim.
Enfim, ele é um cara espetacular, com um talento que é só dele e um ser que me fascina, me deixa leve, dono de uma voz que não se encontra em qualquer lugar. Se não fosse o Zeca, hoje eu não seria a Flor de Azeviche he. Quando eu ouço Zeca parece que o mundo inteiro parou, é tão bom, não sei o que acontece exatamente, não sei descrever essa sensação boa que eu sinto. Coisa estranha, mas é uma leveza sem tamanho.
Sabe aquela coisa de ficar tempos sem ouvir aí quando ouve em qualquer lugar bate uma saudade e é como nunca tivesse escutado, muitas vezes eu senti isso ouvindo Zeca Bala.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Vou começar a jogar no bicho

Essa noite eu sonhei que minha prima aprecia na minha casa com uma cobra piton daquelas amarelas lindas enrolada no pescoço e falava que tinha ganhado do Snoop Dogg. (?????)

***

Agora uma coisinha pra minha nega.

Aqui dentro um amor sem fim,
que eu não posso apagar,
que não dá pra esconder,
que eu não quero guardar,
que é meu todo pra você.


Te amo...

sexta-feira, 23 de abril de 2010

o tempo não pára

Eu fico impressionada com a rapidez do tempo. Eu lembro que ontem eu estava comemorando os meus dezenove anos com as amigas e a namorada, o natal com a família, o ano novo na casa da nega e, hoje, me pego pensando nos meus vinte anos (já são vinte, todo mundo sabe, mas eu não me conformei ainda). Sei lá, parece tanta independência, mesmo sabendo que eu ainda moro e vou continuar morando com a minha mãe e meu pai, os "vinte" tem peso, fico só pensando quando chegar os trinta. Daqui a pouco é natal novamente e o tempo vai passando, realmente não pára.



(Ficou linda com o Ney, vale a pena ver)

Beijoos

quinta-feira, 22 de abril de 2010

tudo isso aí numa pessoa só

cansaço.

sono.

dor nas costas.

dor nos olhos.

dor de cabeça.

saudade.

Agora o ruim?

Tenho tanta coisa pra fazer, mas a minha cama me chama e eu não posso recusar esse pedido.

Essa é a música do meu dia. Tão lindaaa.


terça-feira, 20 de abril de 2010

que tudo dê certo, de qualquer forma, que dê certo

Eu fiz merda, fiz merda grande, agora conto com a força dos deuses, dos anjos, dos santos e santas e com qualquer força maior para que tudo dê certo, de qualquer forma, que dê certo. E sim, tudo dará certo, sempre dá certo no final, mesmo assim, que dê certo, de qualquer forma, que dê certo. O ruim vai ser se não acontecer o que eu espero que aconteça, aí sim vai ser foda ou nem tanto, talvez eu esteja me precipitando, se nada der certo, espero, pelo menos que entendam o meu lado, porra, todo mundo erra. Putz, que merda grande e fedida =/

inferno astral

Amanhã é feriado e, graças ao senhor bom Deus, eu não trabalho. Já quero férias, sabe? To cansada. =F
É estranho falar assim porque eu comecei tem pouquíssimo tempo, mas eu entendo o meu estado, fiquei muito tempo na moleza, agora a coisa tá pegando e eu tenho que meter as caras, tirando que eu tenho que estudar e não to conseguindo direito, tento nos meus intervalos, mas não dá muito certo, quando eu saio da sala já é hora de voltar, e em casa eu só quero chegar e dormir, mas eu preciso estudar e estudar e estudar.
Os dias vão passando e agora que me dei conta que me encontro no meu inferno astral, não que eu entenda de astrologia, mas eu estou nesse tal fase aí. A cada dia me aproximo mais dos vinte. Um certo receio, não sei, é difícil pensar "eu vou fazer vinte anos". Porra, são duas décadas (bem vividas), eu lembro quando eu fiz quinze, o tempo correu e eu to pra fazer vinte e ainda não me acostumei com essa história, de verdade (e faz tempo que eu to tentando digerir isso, só pra constar). Nem eu mesma entendo esse "medo" dos vinte, será que é assim mesmo? Não ouvi nenhum dos meus amigos (as) falarem essas coisas, mas enfim... cada um com seu cada qual (já dizia uma prima aí).

segunda-feira, 19 de abril de 2010

agora sim.

To com sono, muito sono, mas fiquei até agora só pra arrumar esse lay e sabe que eu gostei. Dessa vez eu gostei um bocado.

Um beijo e até mais.

domingo, 18 de abril de 2010

Vou andar na garoa. Observar os tons de cinza. Sentar no banco e esperar você chegar.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

eu só quero.

Eu to querendo mudar o blog, mas nada me apetece (como diz a nega). To querendo assistir vários filmes nacionais antigos e nada de encontrá-los (isso é fato). To querendo que o meu cabelo cresça, mas tá demorando "bagarai". To querendo (e preciso) começar a estudar, mas eu não pego no livro faz um tempo. Quero trocar o óculos (nossa, esse faz bastante tempo), mas não acho nenhuma armação que me agrade. Quero ouvir coisas novas, mas não acho nada pra baixar. Quero fazer uns passeios culturais com a nega, mas não tenho dinheiro.

Aff, que merda. Falo mais nada;

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Essa noite eu sonhei que estava em uma escola e aparecia um gato com uma lesma nas costas e ele ficava doidinho pra tirar e não conseguia, do nada, me vejo gritando e correndo de um gato e de várias lesmas que estavam subindo em mim.

Acordei com um certo mal estar =/.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Último dia.

Achei tão linda...

Vale a pena ;]



Olivia Tabet - Último Dia

Beijoo

domingo, 11 de abril de 2010

Braço, emprego e unas cositas más

Hoje eu acordei com uma puta dor no braço, de verdade. Ontem fui tomar a vacina da gripe A e meww, que isso, to com uma dor absurda no braço, parece que to carregando 20kg de farinha só por ele, tá foda, to digitando com uma mão só. Sem contar que ontem fiquei toda molenga, enjoada e querendo ficar na cama o tempo todo.
Eu achei que tivesse reação, claro que achei, só que não assim, no mesmo dia, que foda. Bem que disseram na hora: vai de pessoa pra pessoa, ela pode ter reação e você não ou vice-versa. Pelo menos hoje eu não to mole, mas o braço tá valendo pelo corpo todo.

***

Huum, agora falando de coisas boas, to lá trabalhando num lugar super legal, legal mesmo, to adorando, mesmo sendo muito difícil pro começo, mas se fosse fácil eu não ia querer ficar lá, não gosto de coisas fáceis demais. Eu não posso sair de casa com esse braço doendo desse jeito (parece exagero ne? mas a coisa tá feia).

***

Gente, que isso? To com a TV ligada na MTV e tá passando MTV Lab - RRAURL um clipe de um banheiro, que isso? Todas as cosias que podem acontecer (e que acontecem, a gente só não fica sabendo ;]) num banheiro público hauahuahaua, que foda mew. Vejam, vejam.



Pessoas, meu braço dói e eu vou sair, cansei de digitar com uma só mão.
Beijos e até a próxima ;]

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Recomendo ;]

Ontem tive a felicidade de terminar de ler um livro da autora Patrícia Melo. "Mundo Perdido". (Antes de ler "Mundo Perdido", leia "O Matador")

Os livros contam a história de Máiquel e o segundo também (rs). O protagonista é um cara que... ah não vou falar, mas deixo a dica.

Quem quiser ler, eu recomendo, é bem real. Acredito que as cosias acontecem assim mesmo.

"O Matador" virou filme em 2003, "O Homem do Ano".

Eu, amante do cinema nacional, ainda não assisti. Tá aqui o trailer.



Beijos, pessoas =)

sábado, 3 de abril de 2010

A tal da felicidade tá explodindo dentro de mim

Cá eu, muito, mas muito feliz.

Feliz por poder olhar para o lado e ver você, acordar juntinho, dar beijo toda hora, dizer que amo e que quero ficar junto pra sempre. Sou uma pessoa muito melhor hoje, muito mais completa, da mesma forma que fui um dia, me sinto amada e quero sentir isso pra todo o sempre, para o nosso sempre.

Te amo, minha nêga, te amo mais que muito.

Obrigada por não querer sair da minha vida nunca.



"Ah la la la ah la la la I la la la la love you"

quarta-feira, 31 de março de 2010

viajando muito.

Estou eu, Flor, sempre paradinha, bonitinha e lendo qualquer coisa e do nada eu paro e começo a viajar, viagens loucas e repetitivas.
Sempre penso que vai chegar alguém e jogar minha revista, ou o meu livro, ou o que eu estiver lendo super longe e me encher de pancada, me acabar na porrada, me bater até chegar alguém e separar. Depois disso, eu volto para a realidade e começo a rir sozinha da situação que eu criei na minha cabeça. Ok, as pessoas são estranhas e podem chegar batendo nas outras, mas é engraçado de imaginar que vai acontecer com você, e (acredito) que é aí começa uma mania de perseguição.
Mas, voltando ao assunto do ser batendo no outro do nada. Isso já aconteceu com uma amiga minha, ela sentada na mesa de um bar com as amigas, eis que surge um mendigo e dá um tapão nas costas de um mendigo que passava correndo do lado dela. Ficou os cinco dedos do "homi" nas costas dela por uns dois dias.
Melhor pensar que não vai acontecer, mas sim, o ser humano é estranho.

Coisa de quem não tem muito o que falar, mas é de verdade hahahahaha.

"To nem aí, fi."

segunda-feira, 29 de março de 2010

eu vou tentar manter o coração aberto pra você.

Sabe, estou bem, estou feliz. To com a nêga (de novo) =D e dessa vez vai dar certo. Tenho um emprego agora. Ontem fomos ao show da Zélia. E agora estamos bem. Tentando mais uma vez.

quinta-feira, 25 de março de 2010

- Você já pediu?

- Pediu o que, Flor?

- Para a Nestlé dar um tempo às florestas.



Eu já pedi, e você?

Ainda não? Então, venha AQUI e peça também, não vai demorar mais que dois minutos ;]

Beijos, pessoas.
Eu sou do tipo que odeia tomar decisões precipitadas, eu sempre penso muito antes de fazer qualquer coisa, mas ando vendo que pensar não está sendo a solução, eu era mais feliz com o FODA-SE ligado, sabe? Como disse alguém um dia "tem que deixar o foda-se ligado e quebrar o botão". Acho que tomarei essa frase pra mim.

Eu to cansada de diversas coisas, to odiando as coisas que vem acontecendo, to cansada de cobranças, to cansada de promessas, eu só quero poder viver a minha vida de um jeito um pouco diferente do que eu já vivi, quero ser um pouco diferente agora, quero ver o que tem pra acontecer, não quero sentir medo do que tem por vir, do que eu terei que enfrentar, queria ser um pouco mais corajosa, confesso.

Porra, eu to tão feliz e ao mesmo tempo tão infeliz, como isso é possível?

Ando a pessoa mais insuportável do mundo nos últimos meses.

quarta-feira, 24 de março de 2010

Velho, o blog é meu e nele eu escrevo o que eu quiser.

É, é isso mesmo. Não vou meeeesmo parar de postar o que eu sinto, o que acontece, o que eu quero porque "machuca". Poupe-me, ok? Poupe-me. Na hora de pensar se a Flor tá machucada, sem água, com as pétalas murchas, ninguém pensa, porque pensam que a Flor é uma carnívora, que morde, que faz tudo de errado, mas dessa vez, eu digo, dessa vez não fui eu quem errou desse jeito aí que vocês sabem. Não, não foi.

"Ah, eu sou um monstro, você não sabia, Rui?" - frase da Martha para o Rui (Os Normais - O filme).

Flor puta da vida.

terça-feira, 23 de março de 2010

feliz.

Por mais que eu queira chorar, por mais que eu queira gritar, por mais que eu sinta tristeza, por mais que eu esteja perdida... há uma ponta de felicidade e isso não é nada ruim, nem um pouco.



Porque eu gosto e fim.

domingo, 21 de março de 2010

ela, às vezes, se sente suja, como agora, nenhum banho tira essa sujeira. fica tentando entender o que a faz fazer essas coisas ou o que a faz se sentir assim, apesar de que ela sabe o que a faz se sentir assim, aquela cobrança toda que ela mesma me falou uma vez, ou várias vezes, sim, inúmeras vezes, uma coisa meio desconexa, sem sentido. sim, ela entende, e ela sabe o que acontece, cobranças e cobranças e mais cobranças, nada de novo. ela sente como se tudo estivesse voltando, eu digo sempre que ela tem é que viver o presente, mas não, está voltando no passado. o que dá pra entender é que ela não quer mais essa vida, que está decidida, cansou, simplesmente, cansou como muitas pessoas cansam, a hora dela chegou.
o que importa é o que ela realmente é, o que ela sempre prezou e o que sempre quis pra si, ela só não vê isso, o que não quer dizer que ela não entende, mas acredita que tudo voltará ao normal no momento exato.

sábado, 20 de março de 2010

Vidinha monótona

A diferença é que: nada é tão interessante.
Ou melhor, não há diferença.
Há tédio, ou mais que isso.

sexta-feira, 19 de março de 2010

A pior sensação


Eu quero me achar, eu to perdida dentro de mim mesma. Não quero isso pra mim, não quero mesmo, nunca quis. Eu não me conheço mais, não sou mais aquela que EU achava que conhecia, imagina como tudo tá transbordando dentro de mim? Vários sentimentos sem nenhuma diferença, nem sinto as mudanças, não sinto o que eu deveria sentir, mesmo sem saber o que é que eu deveria sentir.

Não consigo mais chorar, não consigo mais sorrir, não consigo mais ser quem eu era e eu sinto falta disso, mais que nunca.

Ando repetitiva, chata, estúpida, sem assunto.

Preciso de um desabafo, o desabafo que não consigo fazer, quero gritar e a voz não sai, quero chorar e as lágrimas não caem, quero sorrir e o sorriso não vem.

Eu quero e mereço um pouco de respeito.



Eu já estou com o pé nessa estrada
Qualquer dia a gente se vê
Sei que nada será como antes, amanhã
Que notícias me dão dos amigos?
Que notícias me dão de você?
Alvoroço em meu coração
Amanhã ou depois de amanhã
Resistindo na boca da noite um gosto de sol
Num domingo qualquer, qualquer hora
Ventania em qualquer direção
Sei que nada será como antes amanhã
Que notícias me dão dos amigos?
Que notícias me dão de você?
Sei que nada será como está
Amanhã ou depois de amanhã
Resistindo na boca da noite um gosto de sol

Nada Será Como Antes - Milton Nascimento
Composição: Milton Nascimento/Ronaldo Bastos